Manaus 30º • Nublado
Terça, 06 Dezembro 2022

Venezuelanos querem seguir para outros estados, diz Prefeitura de Boa Vista

Venezuelanos querem seguir para outros estados, diz Prefeitura de Boa Vista
Diante da solicitação do Governo Federal para que o processo de interiorização seja concluído, a Prefeitura de Boa Vista promoveu neste sábado (24), uma ação de vacinação, avaliação e atendimento médico para atender os venezuelanos que estão em um abrigo da cidade. Os imigrantes vieram para Boa Vista fugindo da crise humanitária que se instalou na Venezuela.

As equipes de saúde aguardavam mais de 500 venezuelanos na unidade de saúde para receber os atendimentos, tendo em vista que 571 deles, conforme dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) manifestaram a vontade de seguir viagem.

O processo de interiorização foi uma das medidas adotadas pelo Governo, que consiste no deslocamento dos refugiados para outras regiões do país. A princípio, dois estados se dispuseram a receber um quantitativo de pessoas, Amazonas e São Paulo.

“Foi realizado o atendimento médico e vacinação para garantir que essas pessoas possam atualizar sua carteira e assim ficarem livres de possíveis doenças, como sarampo e febre amarela. Aqueles que ainda não estão com a situação documental regular no Brasil seguiram para a Policia Federal para providenciar os tramites necessários para que esse processo seja concluído”, explicou a secretaria municipal de Gestão Municipal, Simone Queiroz.  
Foto: Divulgação / Prefeitura de Manaus 
Carlos José Cotez, de 37, foi um dos venezuelanos que também passou pela unidade de saúde. Ele buscou atendimento, pois é um dos interessados na interiorização. “Vou em busca de um lugar melhor, de emprego, as coisas não estão fáceis para nós. Na Venezuela não temos acesso a remédios, graças a Deus conseguimos aqui no Brasil”, contou.

Na última quinta-feira(22) Boa Vista decretou situação de emergência social, diante da situação de calamidade e visando preservar, principalmente, a segurança e os direitos das crianças e adolescentes. O decreto tem validade de 180 dias. 

Veja mais notícias sobre Cidades.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 07 Dezembro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/