Manaus 30º • Nublado
Quinta, 20 Janeiro 2022

Candidatos se pronunciam sobre anulação de eleição no Amazonas

Candidatos se pronunciam sobre anulação de eleição no Amazonas
A decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski de suspender a eleição suplementar para o governo do Amazonas pegou todos de surpresa na noite desta quarta-feira (28). Nas redes sociais, os candidatos à eleição se pronunciaram sobre a decisão.

Em nota, o senador Eduardo Braga (PMDB) se mostrou indignado com a situação. “Depois de tudo o que vivemos na disputa de 2014 - compra de votos, uso da máquina, abuso de poder econômico, entre outros - é difícil acreditar que essa decisão, ainda provisória, será mantida. Suspender as eleições é entregar o estado de novo para o mesmo grupo que colocou o Amazonas na UTI. O meu compromisso é com os milhões de amazonenses que sofrem as consequências diretas do caos promovido por esse grupo. A gente já provou que o Amazonas tem jeito. Eu estou na luta e nela ficarei até recuperar as esperanças dos amazonenses”, comentou.
Foto: Reprodução
Por meio de vídeo, o candidato Wilker Barreto (PHS) também falou sobre o caso. “Todos pegos de surpresa na questão da decisão judicial. Meu corpo jurídico vai se aprofundar na matéria, obviamente vou ter que cancelar a campanha. Vamos aguardar a decisão da justiça, mas estou muito feliz da forma como fui recebido nesses dias de pré-campanha ao governo do Estado. Tenho certeza que o sentimento e a força do povo amazonense para vencer desafios ficou evidente”, declarou.

"Decisão absurda- equivocada- de um único ministro do STF coloca em risco o direito do povo amazonense de substituir o governador cassado", escreveu Luiz Castro (Rede) em suas redes sociais. Em um vídeo, Castro também desabafou sobre a situação política do Estado. “O povo amazonense já sofreu muito sobre o julgo dessa corrente política que está há 34 anos no poder”, disse.

A candidata Rebecca Garcia (PP) também se pronunciou sobre a decisão do ministro Lewandowski. Garcia acredita que a justiça será feita e que aguardará a decisão. “A justiça precisa ser respeitada. Agora devemos aguardar na certeza que essa decisão será célere, pois estamos tratando do futuro do Amazonas e dos amazonenses”, explicou.

Já a candidata Liliane Araújo (PPS) lamentou a decisão do ministro. Ela também afirmou que a partir do momento em que a questão jurídica for resolvida, o PPS seguirá firme na agenda de eventos.“O respeito à decisão da justiça deve acontecer, mas é inadmissível que o futuro de um Estado esteja nas mãos de uma minoria política. É preciso que o poder judiciário ofereça aos cidadãos a segurança jurídica, não permitindo que artifícios e manobras causem prejuízos à sociedade. Que os embargos de declaração sejam julgados o mais breve possível”, disse.

Por telefone, o presidente do Partido Pátria Livre (PPL) no Amazonas, José Ribamar, falou que o candidato Jardel entendeu a posição do STF. Ele acredita que, apesar de as legendas já estarem mobilizadas, a decisão judicial não se discute, cumpre-se. “Cabe aos partidos acatarem a decisão do ministro Lewandowski”, contou.Para José Ricardo (PT), com a atual decisão liminar do STF, o Amazonas terá um ex-governador cassado por corrupção eleitoral e um governador interino que não foi eleito pela população. “E como fica o direito democrático e de escolha do povo? Esperamos que o STF restaure rapidamente as decisões de Justiça que determinam a realização de eleição suplementar direta para o governo", declarou o parlamentar.

O candidato Amazonino Mendes (PDT) se manifestou através de um vídeo e garantiu que o Amazonas precisa ser tratado com respeito. “Estamos atônitos e surpresos, mas tudo bem é a justiça. Temos que aguardar a decisão final com paciência. É muito importante olhar para vocês e dizer o seguinte, não perca a esperança, o fundamental é a reconstrução do nosso Estado, mais cedo ou tarde isso vai ter que acontecer”, falou o candidato.

Em nota também divulgada em rede social, o candidato Marcelo Serafim (PSB) lamentou a decisão do STF, argumentando que "o melhor caminho para retirar o estado do Amazonas da crise na qual ele se instalou é a realização das eleições de forma direta". "Continuaremos aguardando a decisão final para que possamos construir um estado liderado pela nova geração política e não por aqueles que insistem em levar o Amazonas para o caminho do atraso político", finalizou o candidato.

Veja mais notícias sobre Cidades.

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 20 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/