Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Sexta, 07 Mai 2021

Piloto paraense desaparecido há quase 40 dias é resgatado em Almerim, no Pará

7398_27e63dae-1fcb-4344-ca6a-9702982477f2

Ao ser resgatado na tarde deste sábado (06), o piloto paraense Antônio Sena afirmou para os policiais que fazem parte do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), que a aeronave que ele pilotava "parou" de funcionar e ele conseguiu fazer um pouso forçado. O relato de Antônio foi feito logo após descer do helicóptero, que o resgatou em meio à mata fechada em uma região próxima da divisa com o Amapá, na localidade chamada Igarapé Puxuri.

"Pousei forçado. A aeronave parou (de funcionar). Como eu vinha voando baixo em três mil metros e ali tinha serra de dois mil metros e um pouco mais, o tempo que eu tive foi de tentar reacender (o avião) e não consegui. Como eu não consegui, já fui buscando local para pouso. Fui encontrando um vale, desviando das árvores maiores até que consegui pousar em um valezinho no meio de duas serras", recordou Antônio Sena.

 "Então ele (o avião) entrou e eu bati nos açaizeiros e ele (o avião) entrou de bico no igarapé certinho. Ele está de cara no igarapé. Como é tudo muito rápido, eu só lembro de conseguir sair do cockpit e minha mochila estava jogada do lado, peguei minha mochila, um saco de pão, algumas coisas e me afastei da aeronave, que tinha muito óleo diesel. Aí peguei uma corda e o que pude pegar que tinha na aeronave e que fosse me ajudar no meio do mato. Não demorou muito e a aeronave começou a pegar fogo. Ela está queimada. Uma parte esta queimada", detalhou.

O piloto paraense Antônio Sena disse ainda que marcou pelo GPS a localização da queda da aeronave em que estava. "Ainda fiquei uma semana lá. Eu ouvia aeronave passar um pouco longe, nenhuma muito próximo. Passada uma semana que vi que demorou e mudou a frequência de aeronaves entendi que não viriam mais", relatou Antônio Sena ao comentar o momento em que decidiu buscar ajuda.

O Resgate 

O delegado José Humberto que faz parte do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) e quem pilotou o avião que levou Antônio Sena até Santarém, explica que o resgate realizado na tarde deste sábado (06) foi feito em um local de acesso extremamente complicado, localizado nas redondezas do Rio Paru e um pequeno vilarejo próximo à pista de pouso do Paricá. Do local de resgate, Antônio Sena foi levado de helicóptero em um voo que durou 45 minutos até o município de Prainha.

Recepção calorosa

Mesmo com as medidas restritivas solicitadas pelas autoridades de vigilância sanitária, após saber que Antônio Sena estava sendo levado para Santarém, amigos e familiares correram para o aeroporto do município para dar as boas-vindas.

O primeiro encontro com familiares foi realizado ainda na pista do aeroporto, uma vez que parte da família também participou da operação em voo fretado. O segundo encontro foi feito na saída do aeroporto, onde dentro de uma ambulância, Antônio Sena saudou os amigos.

Atendimento médico

Após pousar no aeroporto de Santarém, por volta de 15h45, Antônio Sena foi levado de ambulância direto para um hospital particular do município onde passa por exames médicos.


Veja mais notícias sobre Pará.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Sexta, 07 Mai 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://portalamazonia.com/