Sidebar Menu

Manaus 30º • Nublado
Quinta, 13 Mai 2021

A ariranha é um animal semelhante à lontra e que é encontrada em todo o Brasil.

Etnia indígena, estimada em torno de 33 mil pessoas, que habita a região de fronteira entre Brasil, Venezuela e as Guianas

Ritual indígena milenar na região do Alto Rio Negro celebra a fartura e a união entre diferentes povos

Liderança política dos povos indígenas, o tuxaua é uma figura que representa a sabedoria da aldeia

Com cerca de 690 mil falantes, o arawak é um dos principais troncos linguísticos indígenas, falado principalmente na região da Amazônia Internacional

O gato-maracajá é um felino pintado de pequeno porte que vive na florestas tropicais, mais especificamente, na América Central e na América do Sul.

Um dos mais famosos ritos indígenas, o Kuarup é uma forma de celebrar a vida e a memória de quem partiu

O nome científico da espécie, inclusive, é uma homenagem à irmã Dorothy Mae Stang, assassinada em 2005 e incansável defensora da Amazônia e de seus povos tradicionais 

Na tribo Macuxi havia um índio forte e muito inteligente. Um dia ele se apaixonou por uma bela índia de sua aldeia. Casaram-se logo depois e viviam muito felizes, até que um dia a índia ficou gravemente doente e paralítica.

Muiraquitã é o nome dado pelos índios a pequenos amuletos trabalhados em forma de animal, geralmente representando sapos. São feitos de pedras de cor verde, ou de minerais como a nefrita.

Referência de identidade paraense mais em voga na atualidade, o carimbó é uma forma de expressão marcada pelo ritmo e pela dança

Iny

Os Karajá, Karajá-Xambioá (ou apenas Xambioá) e Javaé formam o povo Iny (pronuncia-se 'inã'), pertencente ao tronco lingüístico Macro-Jê, família e língua Karajá. Juntos, formam o maior povo do Tocantins, com 6.123 indígenas, conforme o último levantamento.

Os Xerente também pertencem ao grupo linguístico Macro-Jê e sobrevivem da roça de toco, onde plantam milho, arroz e mandioca 

Os Krahô são reconhecidos pela preservação de suas tradições e celebrações

Os óleos essenciais são compostos voláteis produzidos pelas plantas para a sua sobrevivência, pois são substâncias químicas que exercem as funções de defesa e de atração de polinizadores, além de inibir a ação de alguns herbívoros.

Conta a lenda, que à noite, um assobio agudo perturba o sono das pessoas e assusta as crianças, ocasião em que o dono da casa deve prometer tabaco ou fumo.

Os índios Macuxi contam que antigamente, no local onde hoje existe o Monte Roraima, existiam apenas terras baixas e alagadiças, cheias de igapó.

Criado em janeiro de 2009, o Museu da Amazônia (Musa) ocupa 100 hectares da Reserva Florestal Adolpho Ducke, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia  (INPA), em Manaus. Uma área de floresta de terra firme, nativa, que há mais de 60 anos vem sendo estudada com paixão. Os resultados dessas pesquisas, reunidos em catálogos sobre temas como plantas, pássaros e rãs, contam o que o Musa quer mostrar ao visitante.

O boto, como Uauiará, representa o variante masculino da Iara (Mãe-d'Água), dona de igual poder de encantamento e sedução. Assim, de modo amplo, o boto está simbolizando o elemento água, dentro da qual vive.

Sauim-de-Manaus, ou sauim-de-coleira, é o único calitriquídeo na região de Manaus. Sua distribuição se estende a leste, chegando até a cidade de Itacoatiara, e a cerca de 40 quilômetros ao norte de Manaus.