Publicidade

Responsabilidade Social Empresarial

Home > Sustentabilidade > Responsabilidade-social-empresarial
Responsabilidade Social Empresarial

Mudança positiva: Atração do Rock In Rio 2019 promove experiências de conexão com o planeta

A fauna e a flora tropical são destaques embalados por uma canção e fragrância criadas exclusivamente para este momento

Luciano Nogueira, especial para o Portal Amazônia

jornalismo@portalamazonia.com


Multissensorialidade. Esse palavrão do português contemporâneo é a melhor expressão que define a “Nave – Nosso Futuro é Agora”, espaço montado pela marca de cosméticos Natura dentro do Rock in Rio 2019. Convidado para conhecer a experiência com exclusividade, o publicitário Luciano Nogueira já está no Rio de Janeiro para o festival e escreve ao Portal Amazônia sobre o que o público vai conferir neste espaço com tecnologia de ponta.

 

Além disso, uma trilha sonora inédita foi composta por Zé Ribeiro para embalar a experiência, e traz nomes consagrados da música nacional como Toni Bellotto, Tico Santa Cruz, Gaby Amarantos, Projota, Iza, Maria Rita, Elza Soares, Dona Onete, entre outros. Intitulada "Ritmo da Alma", a canção sugere que cada um encontre o seu ritmo e inicie o seu próprio processo de transformação.

 

Nave - Nosso Futuro É Agora. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

Em sessões de 14 minutos, arte, música impactante, estímulos sensoriais, efeitos cenográficos e 5 mil metros quadrados de projeções mapeadas em uma imagem panorâmica produzida em altíssima resolução mudam o ritmo de cada visitante. O tempo ganha nova dimensão dentro do Velódromo do Parque Olímpico, e apresenta uma oportunidade para nos reconhecermos e nos conectarmos com o mundo em que vivemos, mas de uma maneira totalmente diferenciada.

 

Equilíbrio, aceleração, suspensão, reflexão e sincronização são os cinco movimentos escolhidos a dedo para despertar o mais íntimo dos sentidos. Nove morros cenográficos formam ainda áreas com relevo que o público poderá escalar, além de quatro camas elásticas, que deixam a experiência mais interativa. Outro grande momento fica por conta da experiência olfativa, onde 40 máquinas ficam responsáveis por dispersar uma fragrância produzida especialmente para a atração.

 

Por fim, com o auxílio de “Ritmo da Alma”, o espaço materializa o convite para o engajamento do público em prol da transformação positiva do mundo e da construção do futuro que já começou. 

 

Nave - Nosso Futuro É Agora. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

Sustentabilidade

 

Consciente do poder disseminador da marca, o presidente do Rock in Rio, Roberto Medina, reafirma que o evento 'preza por atitudes positivas a qualquer hora e em todos os lugares'. Em entrevista exclusiva ao Portal Amazônia ele contou dos ótimos resultados que vem obtendo através do Amazonia Live – projeto social do Rock in Rio que promete plantar 4 milhões de árvores em 400 hectares de área desmatada da floresta Amazônica, nas nascentes e cabeceiras do Rio Xingu.

 

"A nossa função é dar luz ao problema!", afirma Medina. "A gente já tem 3,5 milhões de árvores plantadas, mas esse número não diz respeito ao problema. A gente quer mostrar que tem empresas preocupadas para que pessoas se conectem e puxem, assim, políticas públicas que vão resolver essa questão ambiental", completa.

 

Otimista, ele reitera que essa questão histórica do desmatamento pode sim ser resolvida com o apoio da arte. “A música tem o poder de unir os diferentes, e isso acaba criando uma oportunidade para você conversar e melhorar as coisas sem atrito. O que nós fazemos aqui é pegar a experiência positiva de cada artista e juntar”, finalizou.

 

Marcelo Dantas, João Paulo Ferreira, Zé Ricardo, Andres Alvarez, Roberto Medina e Roberta Medina. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

 

Roberto Medina, Roberta Medina, Projota, Zé Roberto e Tico Santa Cruz. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

Músico, compositor, escritor e roqueiro brasileiro, Tico Santa Cruz também concedeu entrevista exclusiva ao Portal Amazônia para falar das questões humanitárias que sempre defendeu. “Eu acho que o festival também tem essa missão de amplificar, através das manifestações artísticas de modo geral, as questões humanitárias. É obvio que o tema da sustentabilidade transcende ideologias; na verdade é uma questão de respeito pelo meio ambiente e pelo planeta. A pluralidade do Brasil tem que fazer valer a democracia que as pessoas estão deixando de lado nesse momento, que é conseguir conviver num mesmo lugar com ideias diferentes”, disse.

 

Demonstrando alegria, o artista fala ainda sobre participar de “Ritmo da Alma”, que chama as pessoas para esses questionamentos. “Fazer parte disso junto com outros grandes artistas faz com que eu me sinta acolhido e, ao mesmo tempo, no caminho certo. Certo de que realmente as questões com as quais eu me envolvo e a forma que eu abordo é uma maneira humana de se tratar temas que são complicados”, concluiu.

 

Tico Santa Cruz. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

Nave – Nosso Futuro é Agora

 

Ao cruzar os portões do Parque Olímpico do Rio de Janeiro, a "Nave – Nosso Futuro é Agora" será a primeira grande atração a impactar os visitantes. Durante o Rock in Rio 2019, o espaço terá 14 sessões diárias, para até 3 mil pessoas por vez, distribuídas por ordem de chegada. Os horários das sessões são: 14h15, 14h50, 15h25, 16h, 16h35, 17h10, 17h45, 18h20, 18h55, 19h30, 20h05, 20h40, 21h15 e 21h50.

 



Mudança positiva: Atração do Rock In Rio 2019 promove experiências de conexão com o planeta

A fauna e a flora tropical são destaques embalados por uma canção e fragrância criadas exclusivamente para este momento

Luciano Nogueira, especial para o Portal Amazônia

jornalismo@portalamazonia.com


Multissensorialidade. Esse palavrão do português contemporâneo é a melhor expressão que define a “Nave – Nosso Futuro é Agora”, espaço montado pela marca de cosméticos Natura dentro do Rock in Rio 2019. Convidado para conhecer a experiência com exclusividade, o publicitário Luciano Nogueira já está no Rio de Janeiro para o festival e escreve ao Portal Amazônia sobre o que o público vai conferir neste espaço com tecnologia de ponta.

 

Além disso, uma trilha sonora inédita foi composta por Zé Ribeiro para embalar a experiência, e traz nomes consagrados da música nacional como Toni Bellotto, Tico Santa Cruz, Gaby Amarantos, Projota, Iza, Maria Rita, Elza Soares, Dona Onete, entre outros. Intitulada "Ritmo da Alma", a canção sugere que cada um encontre o seu ritmo e inicie o seu próprio processo de transformação.

 

Nave - Nosso Futuro É Agora. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

Em sessões de 14 minutos, arte, música impactante, estímulos sensoriais, efeitos cenográficos e 5 mil metros quadrados de projeções mapeadas em uma imagem panorâmica produzida em altíssima resolução mudam o ritmo de cada visitante. O tempo ganha nova dimensão dentro do Velódromo do Parque Olímpico, e apresenta uma oportunidade para nos reconhecermos e nos conectarmos com o mundo em que vivemos, mas de uma maneira totalmente diferenciada.

 

Equilíbrio, aceleração, suspensão, reflexão e sincronização são os cinco movimentos escolhidos a dedo para despertar o mais íntimo dos sentidos. Nove morros cenográficos formam ainda áreas com relevo que o público poderá escalar, além de quatro camas elásticas, que deixam a experiência mais interativa. Outro grande momento fica por conta da experiência olfativa, onde 40 máquinas ficam responsáveis por dispersar uma fragrância produzida especialmente para a atração.

 

Por fim, com o auxílio de “Ritmo da Alma”, o espaço materializa o convite para o engajamento do público em prol da transformação positiva do mundo e da construção do futuro que já começou. 

 

Nave - Nosso Futuro É Agora. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

Sustentabilidade

 

Consciente do poder disseminador da marca, o presidente do Rock in Rio, Roberto Medina, reafirma que o evento 'preza por atitudes positivas a qualquer hora e em todos os lugares'. Em entrevista exclusiva ao Portal Amazônia ele contou dos ótimos resultados que vem obtendo através do Amazonia Live – projeto social do Rock in Rio que promete plantar 4 milhões de árvores em 400 hectares de área desmatada da floresta Amazônica, nas nascentes e cabeceiras do Rio Xingu.

 

"A nossa função é dar luz ao problema!", afirma Medina. "A gente já tem 3,5 milhões de árvores plantadas, mas esse número não diz respeito ao problema. A gente quer mostrar que tem empresas preocupadas para que pessoas se conectem e puxem, assim, políticas públicas que vão resolver essa questão ambiental", completa.

 

Otimista, ele reitera que essa questão histórica do desmatamento pode sim ser resolvida com o apoio da arte. “A música tem o poder de unir os diferentes, e isso acaba criando uma oportunidade para você conversar e melhorar as coisas sem atrito. O que nós fazemos aqui é pegar a experiência positiva de cada artista e juntar”, finalizou.

 

Marcelo Dantas, João Paulo Ferreira, Zé Ricardo, Andres Alvarez, Roberto Medina e Roberta Medina. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

 

Roberto Medina, Roberta Medina, Projota, Zé Roberto e Tico Santa Cruz. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

Músico, compositor, escritor e roqueiro brasileiro, Tico Santa Cruz também concedeu entrevista exclusiva ao Portal Amazônia para falar das questões humanitárias que sempre defendeu. “Eu acho que o festival também tem essa missão de amplificar, através das manifestações artísticas de modo geral, as questões humanitárias. É obvio que o tema da sustentabilidade transcende ideologias; na verdade é uma questão de respeito pelo meio ambiente e pelo planeta. A pluralidade do Brasil tem que fazer valer a democracia que as pessoas estão deixando de lado nesse momento, que é conseguir conviver num mesmo lugar com ideias diferentes”, disse.

 

Demonstrando alegria, o artista fala ainda sobre participar de “Ritmo da Alma”, que chama as pessoas para esses questionamentos. “Fazer parte disso junto com outros grandes artistas faz com que eu me sinta acolhido e, ao mesmo tempo, no caminho certo. Certo de que realmente as questões com as quais eu me envolvo e a forma que eu abordo é uma maneira humana de se tratar temas que são complicados”, concluiu.

 

Tico Santa Cruz. Foto: Luciano Nogueira/Divulgação

Nave – Nosso Futuro é Agora

 

Ao cruzar os portões do Parque Olímpico do Rio de Janeiro, a "Nave – Nosso Futuro é Agora" será a primeira grande atração a impactar os visitantes. Durante o Rock in Rio 2019, o espaço terá 14 sessões diárias, para até 3 mil pessoas por vez, distribuídas por ordem de chegada. Os horários das sessões são: 14h15, 14h50, 15h25, 16h, 16h35, 17h10, 17h45, 18h20, 18h55, 19h30, 20h05, 20h40, 21h15 e 21h50.

 


   

TAG responsabilidade social empresarialRock in Riosustentabilidademeio ambiente