Publieditorial

Sistemas de combate a incêndio em prédios precisam de atenção, informa especialista

Muito além de ser incluso no projeto de concepção de um prédio, o sistema deve ser monitorado periodicamente para evitar sinistros


Londres (Inglaterra), sofreu um choque quando, em 14 de junho deste ano, um prédio foi tomado por um incêndio. No total, 79 pessoas morreram e tudo começou com curto-circuito em uma geladeira. Um foco de incêndio que poderia ser controlado facilmente acabou tomando proporções descomunais porque o sistema de alarme do prédio, há muito tempo sem manutenção, não funcionou. Este foi o maior incêndio britânico registrado, mesmo após alertas sobre a condição da edificação.

Caso parecido no Brasil aconteceu com o Edifício Joelma, em São Paulo, em 1974, com incêndio causado também por curto-circuito em um aparelho condicionador de ar. Entretanto, nesta época as leis e as normas de sistemas de combate a incêndios ainda eram muito embrionárias e, desde então, evoluíram.
Independente da razão do incêndio, explica o engenheiro civil de Manaus (AM), na empresa Quartzo Engenharia Diagnóstica & Gerenciamento, Thiago Maron, é necessário que haja um sistema de combate a incêndio em toda edificação.

De acordo com Maron, o equipamento necessário varia de imóvel para imóvel. Ele explica que em edificações de baixo risco, como prédios residenciais, o sistema é mais simples, com hidrantes e extintores. Já imóveis com riscos mais altos, como fábricas, exigem sistemas mais complexos.

"Entretanto, toda edificação precisa ter, no mínimo, extintores, iluminação de emergência, placas de sinalização e uma rota de fuga bem feita. O principal objetivo do sistema de combate a incêndio é proteger a vida dos ocupantes de qualquer edificação, facilitando sua fuga em casos de emergência", informa.

 

 

 

Foto: Reprodução/Shutterstock

 

 

O engenheiro destaca que o sistema de combate a incêndio deve ser uma preocupação desde a concepção do imóvel, em seu projeto inicial. "É muito mais fácil implementar um sistema de combate a incêndio que foi bem estudado e planejado, construído juntamente com a edificação. Já imaginou ter que instalar um sistema de hidrantes num prédio habitado, por exemplo, como uma escola? Demanda muito esforço, muito dinheiro e atrapalha muitas pessoas", justifica.

Depois de elaborado, o plano deve ser encaminhado para aprovação do Corpo de Bombeiros. Conforme explicação do engenheiro, "atualmente é obrigatória a apresentação do projeto de combate a incêndio para análise pelo Corpo de Bombeiros" e depois de aprovado o sistema pode ser implementado. "Para elaborar os projetos para análise, todo profissional deve ser previamente cadastrado junto ao CBMAM", avisa.

Manutenção

Após a elaboração, implementação e aprovação do sistema de combate a incêndio, muitas pessoas acreditam que as preocupações terminam. No entanto, é preciso lembrar que, como qualquer outro sistema, este deve ser monitorado periodicamente, justamente para evitar o que ocorreu no caso do incêndio em Londres, em que um especialista já havia alertado as autoridades sobre os riscos que o prédio corria desde 2011.

"A recomendação é que o sistema seja verificado por completo pelo menos a cada ano. Alguns equipamentos mecânicos, como a bomba de incêndio, a pressurização da escada de emergência etc., devem ser postos em funcionamento pelo menos todo mês, de forma que funcionem corretamente em caso de emergência", exemplifica Maron.

Vale destacar que toda e qualquer manutenção precisa ser realizada por profissionais qualificados, como engenheiros(as) e arquitetos(as). Segundo o especialista da Quartzo, assim é possível evitar prejuízos tanto aos componentes do sistema como à edificação como um todo. "É imprescindível a emissão de uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) ou de um Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) referente ao serviço", avaliou.

Em Manaus, assegura o engenheiro, a Quartzo Engenharia trabalha com assessoria completa para obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento que comprova que o sistema de combate a incêndio está funcionando corretamente.

"Esta assessoria contempla desde uma vistoria da atual situação do sistema, com emissão de Laudo Técnico indicando quais as falhas existentes e o que precisa ser feito para corrigi-las, passa pela elaboração do Projeto de Prevenção e Combate a Incêndio, completamente adequado às normas vigentes atualmente, até a protocolização e o acompanhamento do projeto junto ao CBMAM e, inclusive, o acompanhamento da instalação do sistema de combate a incêndio, dependendo da necessidade do cliente", informa.

Quartzo Engenharia 

A Quartzo Engenharia Diagnóstica & Gerenciamento foi fundada em 2011 e é filiada ao Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia do Amazonas (IBAPE-AM). Desde então, se especializou em análises e perícias de problemas em edifícios, casas e condomínios. A empresa realiza vistoria e inspeção da saúde e segurança de edificações, além de Assessoria Condominial em Engenharia, um serviço técnico voltado para esclarecer questões de construção e engenharia civil em condomínios. O serviço contempla também a análise de projetos de reforma e a fiscalização periódica de obras.

O escritório está localizado no Edifício Rio Negro Center, na sala nº 508, na Rua 24 de Maio, Centro. Para mais informações: (92) 3346-6818 ou atendimento@quartzoengenharia.com.  


Publieditorial

Sistemas de combate a incêndio em prédios precisam de atenção, informa especialista

Muito além de ser incluso no projeto de concepção de um prédio, o sistema deve ser monitorado periodicamente para evitar sinistros

Clarissa Bacellar

clarissa.bacellar@portalamazonia.com


Londres (Inglaterra), sofreu um choque quando, em 14 de junho deste ano, um prédio foi tomado por um incêndio. No total, 79 pessoas morreram e tudo começou com curto-circuito em uma geladeira. Um foco de incêndio que poderia ser controlado facilmente acabou tomando proporções descomunais porque o sistema de alarme do prédio, há muito tempo sem manutenção, não funcionou. Este foi o maior incêndio britânico registrado, mesmo após alertas sobre a condição da edificação.

Caso parecido no Brasil aconteceu com o Edifício Joelma, em São Paulo, em 1974, com incêndio causado também por curto-circuito em um aparelho condicionador de ar. Entretanto, nesta época as leis e as normas de sistemas de combate a incêndios ainda eram muito embrionárias e, desde então, evoluíram.
Independente da razão do incêndio, explica o engenheiro civil de Manaus (AM), na empresa Quartzo Engenharia Diagnóstica & Gerenciamento, Thiago Maron, é necessário que haja um sistema de combate a incêndio em toda edificação.

De acordo com Maron, o equipamento necessário varia de imóvel para imóvel. Ele explica que em edificações de baixo risco, como prédios residenciais, o sistema é mais simples, com hidrantes e extintores. Já imóveis com riscos mais altos, como fábricas, exigem sistemas mais complexos.

"Entretanto, toda edificação precisa ter, no mínimo, extintores, iluminação de emergência, placas de sinalização e uma rota de fuga bem feita. O principal objetivo do sistema de combate a incêndio é proteger a vida dos ocupantes de qualquer edificação, facilitando sua fuga em casos de emergência", informa.

 

 

 

Foto: Reprodução/Shutterstock

 

 

O engenheiro destaca que o sistema de combate a incêndio deve ser uma preocupação desde a concepção do imóvel, em seu projeto inicial. "É muito mais fácil implementar um sistema de combate a incêndio que foi bem estudado e planejado, construído juntamente com a edificação. Já imaginou ter que instalar um sistema de hidrantes num prédio habitado, por exemplo, como uma escola? Demanda muito esforço, muito dinheiro e atrapalha muitas pessoas", justifica.

Depois de elaborado, o plano deve ser encaminhado para aprovação do Corpo de Bombeiros. Conforme explicação do engenheiro, "atualmente é obrigatória a apresentação do projeto de combate a incêndio para análise pelo Corpo de Bombeiros" e depois de aprovado o sistema pode ser implementado. "Para elaborar os projetos para análise, todo profissional deve ser previamente cadastrado junto ao CBMAM", avisa.

Manutenção

Após a elaboração, implementação e aprovação do sistema de combate a incêndio, muitas pessoas acreditam que as preocupações terminam. No entanto, é preciso lembrar que, como qualquer outro sistema, este deve ser monitorado periodicamente, justamente para evitar o que ocorreu no caso do incêndio em Londres, em que um especialista já havia alertado as autoridades sobre os riscos que o prédio corria desde 2011.

"A recomendação é que o sistema seja verificado por completo pelo menos a cada ano. Alguns equipamentos mecânicos, como a bomba de incêndio, a pressurização da escada de emergência etc., devem ser postos em funcionamento pelo menos todo mês, de forma que funcionem corretamente em caso de emergência", exemplifica Maron.

Vale destacar que toda e qualquer manutenção precisa ser realizada por profissionais qualificados, como engenheiros(as) e arquitetos(as). Segundo o especialista da Quartzo, assim é possível evitar prejuízos tanto aos componentes do sistema como à edificação como um todo. "É imprescindível a emissão de uma Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) ou de um Registro de Responsabilidade Técnica (RRT) referente ao serviço", avaliou.

Em Manaus, assegura o engenheiro, a Quartzo Engenharia trabalha com assessoria completa para obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB), documento que comprova que o sistema de combate a incêndio está funcionando corretamente.

"Esta assessoria contempla desde uma vistoria da atual situação do sistema, com emissão de Laudo Técnico indicando quais as falhas existentes e o que precisa ser feito para corrigi-las, passa pela elaboração do Projeto de Prevenção e Combate a Incêndio, completamente adequado às normas vigentes atualmente, até a protocolização e o acompanhamento do projeto junto ao CBMAM e, inclusive, o acompanhamento da instalação do sistema de combate a incêndio, dependendo da necessidade do cliente", informa.

Quartzo Engenharia 

A Quartzo Engenharia Diagnóstica & Gerenciamento foi fundada em 2011 e é filiada ao Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia do Amazonas (IBAPE-AM). Desde então, se especializou em análises e perícias de problemas em edifícios, casas e condomínios. A empresa realiza vistoria e inspeção da saúde e segurança de edificações, além de Assessoria Condominial em Engenharia, um serviço técnico voltado para esclarecer questões de construção e engenharia civil em condomínios. O serviço contempla também a análise de projetos de reforma e a fiscalização periódica de obras.

O escritório está localizado no Edifício Rio Negro Center, na sala nº 508, na Rua 24 de Maio, Centro. Para mais informações: (92) 3346-6818 ou atendimento@quartzoengenharia.com.  

TAG ManausQuartzo Engenhariapublieditorialincendioprevencao