Publicidade

Luciana Frazão

Home > Opiniao > Luciana-frazao
Luciana Frazão

Aranha-golias: uma gigante na região Amazônica

A espécie Theraphosa blondi é a maior aranha do mundo em massa corporal e chega a ter mais do que 30 cm. Apesar do tamanho, esse belo animal não oferece risco de vida para os seres humanos

Luciana Frazão

luca.frazao@gmail.com


A aranha-golias, também conhecida como caranguejeira ou aranha-comedora-de-pássaros, é um animal que impressiona pelo tamanho. Principalmente as pessoas que sofrem de uma das fobias mais comuns do mundo: a aracnofobia. E não é para menos, chegando a ter mais de 30 cm de comprimento e pode pesar até 170g. 

 

 
Aranha-golias, Theraphosa blondi, se locomovendo pelo folhiço na Reserva Florestal Adolpho Ducke em Manaus, Amazonas. Foto: Eliza Sena/Divulgação
 

Essa espécie, pertencente ao gênero Theraphosa, juntamente com outras duas espécies de caranguejeiras, é caracterizada pela falta de pelos longos nas patas (mais precisamente na patela e tíbia), presença de aparelho estridulante, ou seja, capazes de emitir som áspero e agudo (utilizado para espantar possíveis predadores), situados na parte anterior das coxas e presença de uma única espermateca (ductos de inseminação) fundida nas fêmeas.

 

Elas podem ser encontradas em buracos no solo (usados como tocas), junto a igarapés de floresta primária. Possuem hábito noturno e são caçadoras eficazes. Estas aranhas atacam uma grande variedade de invertebrados no solo da floresta e pode até capturar pequenos vertebrados. Apesar do nome comedora-de-pássaros, ela raramente se alimenta de aves, sendo sua dieta composta principalmente por insetos e animais invertebrados e também pequenos vertebrados, como sapos, cobras e roedores.

 

 
Aranha-golias, Theraphosa blondi, em vista frontal. Foto: Doc Miller/Divulgação
 

Apesar de intimidar pelo tamanho, esses animais não oferecem risco de vida para os seres humanos. O veneno da aranha-golias é forte o suficiente para paralisar suas presas, mas não muito prejudicial aos seres humanos, sendo capaz de provocar náuseas, transpiração excessiva e dor local, uma vez que as “presas” (quelíceras) dessa espécie podem chegar até 3 cm de comprimento, sendo capazes de perfurar a pele humana com muita facilidade.

 

Por não ser uma espécie perigosa, muitas pessoas acabam criando interesse por criar esses animais, porém a manipulação só é recomendada por pessoas com experiência, pois apresenta um comportamento muito agressivo. Além disso, seus pelos abdominais são extremamente urticantes e a aranha-golias é capaz de lançá-los em direção aos seus predadores, provocando irritação nas vias respiratórias e na pele, principalmente de pessoas mais sensíveis e alérgicas.

 

 
A aranha-golias pode facilmente ser maior do que a mão de um homem adulto. Foto: Piotr Naskrecki/Divulgação
 

Como esta aranha vive nas florestas tropicais úmidas da Amazônia e praticamente não apresenta predadores naturais, a maior ameaça para a espécie é a perda do habitat, principalmente pelo desmatamento crescente (os dados dos satélites internacionais e divulgados pelo INPE estão aí pra quem quiser ver e não me deixam mentir) e também o tráfico, devido ao comércio ilegal desses animais para serem criados como pets.

 

Para saber mais sobre o assunto, recomendo a leitura das seguintes referências que também serviram como base para esse texto: 

 

“Life history of Goliath Birdeaters – Theraphosa apophysis and Theraphosa blondi (Araneae, Theraphosidae, Theraphosinae)” (http://www.academia.edu/download/40585928/Striffler2005Theraphosa_spp_BTS__J_21_1.pdf) – Texto de autoria do Pesquisador Boris F. Striffler. 

 

 “First record of Theraphosa apophysis (Tinter, 1991) (Araneae, Mygalomorphae, Theraphosidae) in Brazil” (https://checklist.pensoft.net/article/26087/) - Artigo científico em inglês sobre o tema – Autores: Marlus Queiroz Almeida, Lidianne Salvatierra e José Wellington de Morais.

 

Espero que tenham gostado do texto de hoje e até o próximo animal incrível da nossa fauna! Abraços de sucuri pra vocês!

 


 

     

Aranha-golias: uma gigante na região Amazônica

A espécie Theraphosa blondi é a maior aranha do mundo em massa corporal e chega a ter mais do que 30 cm. Apesar do tamanho, esse belo animal não oferece risco de vida para os seres humanos

Luciana Frazão

luca.frazao@gmail.com


A aranha-golias, também conhecida como caranguejeira ou aranha-comedora-de-pássaros, é um animal que impressiona pelo tamanho. Principalmente as pessoas que sofrem de uma das fobias mais comuns do mundo: a aracnofobia. E não é para menos, chegando a ter mais de 30 cm de comprimento e pode pesar até 170g. 

 

 
Aranha-golias, Theraphosa blondi, se locomovendo pelo folhiço na Reserva Florestal Adolpho Ducke em Manaus, Amazonas. Foto: Eliza Sena/Divulgação
 

Essa espécie, pertencente ao gênero Theraphosa, juntamente com outras duas espécies de caranguejeiras, é caracterizada pela falta de pelos longos nas patas (mais precisamente na patela e tíbia), presença de aparelho estridulante, ou seja, capazes de emitir som áspero e agudo (utilizado para espantar possíveis predadores), situados na parte anterior das coxas e presença de uma única espermateca (ductos de inseminação) fundida nas fêmeas.

 

Elas podem ser encontradas em buracos no solo (usados como tocas), junto a igarapés de floresta primária. Possuem hábito noturno e são caçadoras eficazes. Estas aranhas atacam uma grande variedade de invertebrados no solo da floresta e pode até capturar pequenos vertebrados. Apesar do nome comedora-de-pássaros, ela raramente se alimenta de aves, sendo sua dieta composta principalmente por insetos e animais invertebrados e também pequenos vertebrados, como sapos, cobras e roedores.

 

 
Aranha-golias, Theraphosa blondi, em vista frontal. Foto: Doc Miller/Divulgação
 

Apesar de intimidar pelo tamanho, esses animais não oferecem risco de vida para os seres humanos. O veneno da aranha-golias é forte o suficiente para paralisar suas presas, mas não muito prejudicial aos seres humanos, sendo capaz de provocar náuseas, transpiração excessiva e dor local, uma vez que as “presas” (quelíceras) dessa espécie podem chegar até 3 cm de comprimento, sendo capazes de perfurar a pele humana com muita facilidade.

 

Por não ser uma espécie perigosa, muitas pessoas acabam criando interesse por criar esses animais, porém a manipulação só é recomendada por pessoas com experiência, pois apresenta um comportamento muito agressivo. Além disso, seus pelos abdominais são extremamente urticantes e a aranha-golias é capaz de lançá-los em direção aos seus predadores, provocando irritação nas vias respiratórias e na pele, principalmente de pessoas mais sensíveis e alérgicas.

 

 
A aranha-golias pode facilmente ser maior do que a mão de um homem adulto. Foto: Piotr Naskrecki/Divulgação
 

Como esta aranha vive nas florestas tropicais úmidas da Amazônia e praticamente não apresenta predadores naturais, a maior ameaça para a espécie é a perda do habitat, principalmente pelo desmatamento crescente (os dados dos satélites internacionais e divulgados pelo INPE estão aí pra quem quiser ver e não me deixam mentir) e também o tráfico, devido ao comércio ilegal desses animais para serem criados como pets.

 

Para saber mais sobre o assunto, recomendo a leitura das seguintes referências que também serviram como base para esse texto: 

 

“Life history of Goliath Birdeaters – Theraphosa apophysis and Theraphosa blondi (Araneae, Theraphosidae, Theraphosinae)” (http://www.academia.edu/download/40585928/Striffler2005Theraphosa_spp_BTS__J_21_1.pdf) – Texto de autoria do Pesquisador Boris F. Striffler. 

 

 “First record of Theraphosa apophysis (Tinter, 1991) (Araneae, Mygalomorphae, Theraphosidae) in Brazil” (https://checklist.pensoft.net/article/26087/) - Artigo científico em inglês sobre o tema – Autores: Marlus Queiroz Almeida, Lidianne Salvatierra e José Wellington de Morais.

 

Espero que tenham gostado do texto de hoje e até o próximo animal incrível da nossa fauna! Abraços de sucuri pra vocês!

 


 

     

TAG biodiversidadeanimais da amazoniaanimais silvestresaranha-goliasaranhas da amazoniaLuciana Frazao