Publicidade

Flavio Guimarães

Home > Opiniao > Flavio-guimaraes
Flavio Guimarães

Saiba como fazer contatos que rendem resultados

Até mesmo a pessoa mais difícil do mundo tem um ponto de sensibilidade que, como profissionais, podemos tocar. Conheça algumas estratégias que dão muito certo:

Flávio Guimarães

flavioguimaraesjr@hotmail.com


O relacionamento humano foi, é e sempre será um fator muito complexo para se analisar. Um dos grandes desafios é criar relacionamentos contínuos e duradouros, seja na forma pessoal ou profissional. A complexidade do comportamento humano atrapalha, em alguns casos, a criação de laços que podem ser benéficos para a carreira de uma forma geral. Além disso, a falta de habilidade em relacionamento interpessoal também é um fator que dificulta a existência de oportunidades. Relacionamentos e contatos sempre abrirão portas profissionais e de negócios, independente da área de atuação do(a) profissional.

 

Nos últimos 15 anos de vida profissional, presenciei e convivi com pessoas de todos os tipos de comportamento: do mais amável até o mais maquiavélico. Com isso, cheguei a algumas conclusões que me mostraram que até mesmo a pessoa mais difícil do mundo tem um ponto de sensibilidade que, como profissionais, podemos tocar. Abaixo, listo algumas estratégias que dão muito certo:

 

Foto: Reprodução

- Técnica do Espelhamento: consiste em usar as mesmas palavras que a pessoa em questão usa. Normalmente, todas as pessoas têm expressões que gostam de usar. Eu, por exemplo, gosto da “sem dúvida”. Quando se usa a mesma linguagem com uma pessoa se cria um laço invisível com ela, uma espécie de ligação indireta. A pessoa, por consequência disso, criará afinidade com a outra, assim facilitando qualquer processo de convencimento. Na rotina de vendas, funciona muito bem.

 

- Estudar o perfil, crenças e cenários: comportamento e crenças também são fatores que atraem pessoas em qualquer circunstância. É necessário estudarmos se a pessoa em questão é religioso(a) ou não, se tem algum alinhamento ideológico de qualquer natureza ou não, se tem conceitos como Lealdade ou não, e assim por diante. Dentro desse contexto podemos citar um exemplo bem prático: em um cenário que um(a) executivo(a) acabou de passar por um processo de separação (divórcio), não é recomendável falar com ele(a) sobre Família, afinal estaremos trazendo de volta a dor da separação. Por consequência disso, a pessoa, mesmo sem perceber de forma consciente, se afastará de nós. Em outro cenário que podemos constatar que a pessoa em questão tem um forte laço com um(a) filho(a), podemos falar sobre esse assunto. Se não tivermos filhos, podemos falar que temos essa pretensão e também discorrer um pouco sobre o amor de Pai ou Mãe. A consequência será, novamente, um alinhamento de simpatia da pessoa conosco.

 

- Participar os outros em nossos objetivos: essa é a melhor forma de aproximar de pessoas. Se quisermos enviar um currículo para uma empresa, não é interessante pedir o emprego, mas sim enviar o currículo e pedir sugestões de melhorias. Por exemplo: Fulano descobriu que existe uma vaga em empresas X. Essa vaga tem o seu perfil exato. A melhor forma de abordagem é contactar a pessoa responsável e dizer “Estou lhe enviando o meu currículo para a sua visualização. Você acha que tenho condições de participar do processo seletivo com “tal vaga”? Nesse caso, se o perfil do profissional estiver alinhado ao que a empresa e o(a) gestor(a) busca, existe uma grande tendência de sermos inseridos no processo. Uma abordagem assim é a mesma coisa que pedir para participar do processo, porém, com uma roupagem diferente.

 

- Participação em eventos: muitos profissionais já foram descobertos por alguém ao participarem de eventos, palestras, cursos, seminários e similares. Nessas ações muitos(as) gestores(as) participam, e alguns deles, acabam até buscando talentos que se destaquem. Se a nossa profissão tem uma associação, ou instituto, ou ONG ou Conselho, precisamos estar envolvidos. Mesmo que não surja uma oportunidade de imediato, se estivermos dentro do cenário, estaremos em evidência. E isso é muito importante. Além disso, também devemos lembrar que boas oportunidades e bons negócios também surgem numa mesa de bar, num clube, numa rodada de conversar, enfim.

 

- Falar apenas quando precisar de algo: esse é ponto mais crítico do relacionamento entre pessoas. Presenciei vários casos de conhecidos que não se ligavam, não se falavam de nenhuma forma, e depois de 3, 4 ou 5 anos um fez contato com o outro para pedir algo. Quando isso é percebido pela outra pessoa, automaticamente temos uma barreira de limitação para alcançarmos o êxito no que pretendemos. Por isso, o recomendável é que tenhamos um banco de dados de contatos e conhecidos, apenas os contatos telefônicos e e-mails. Dessa forma, podemos enviar mensagens de tempos em tempos, mostrando para a pessoa que não esquecemos dela. Que seja uma simples mensagem de Bom dia, mas que essa continuidade de relação continue, sempre.

 

- Nunca escolha as aparências: você já ouviu falar que aquele(a) senhor(senhorinha) com chinelos e bermuda pode ser um comprador com o pagamento a vista? É exatamente isso. Não somente pelo interesse de alcançar o objetivo do convencimento, mas todas as pessoas devem ser tratadas de forma igual. Que seja alguém com um terno ou com a uma camisa de dormir. Você, assim como eu, já deve ter presenciado alguma cena, em alguma loja, que uma pessoa aparentemente humilde rodou, rodou, rodou e rodou no salão e não foi atendida. Ao mesmo tempo, também já deve ter visto alguma cena de alguém que entrou bem vestido e, de pronto, foi abordado. Precisamos ter muita cautela com isso.

 

- Nunca deixe de responder a alguém: uma pessoa sem resposta tem uma alta tendência de mágoas. A verdade é que ninguém gosta de ser ignorado. Por isso, se faz necessário responder as pessoas, mesmo que demore. Conheci, há alguns anos atrás, um grande artista brasileiro que me deu uma lição que lembro até: “Flávio, sempre responda as pessoas que lhe fizerem contato. “Mesmo que você demora 1 mês para fazer isso, faça. Assim, você ganhará o respeito e admiração delas”. Essa frase me marcou profundamente, afinal, comecei a lembrar de pessoas que eu havia feito contato e havia me dado retorno, mesmo que negativo. Essas pessoas se tornaram boas lembranças e que sempre falarei bem em qualquer lugar que estiver.

 

E então, vamos fazer contatos virarem prosperidade?

 

Flávio Guimarães é diretor da Guimarães Consultoria, Administrador de Empresas, Especializado em Negócios, Comportamento e Recursos Humanos, Articulista dos Jornais Bom Dia Amazônia e Jornal do Amazonas 1ª Edição, CBN Amazônia, Portal Amazônia e Consultor em Avaliação e Reelaboração Curricular.

 

     

Saiba como fazer contatos que rendem resultados

Até mesmo a pessoa mais difícil do mundo tem um ponto de sensibilidade que, como profissionais, podemos tocar. Conheça algumas estratégias que dão muito certo:

Flávio Guimarães

flavioguimaraesjr@hotmail.com


O relacionamento humano foi, é e sempre será um fator muito complexo para se analisar. Um dos grandes desafios é criar relacionamentos contínuos e duradouros, seja na forma pessoal ou profissional. A complexidade do comportamento humano atrapalha, em alguns casos, a criação de laços que podem ser benéficos para a carreira de uma forma geral. Além disso, a falta de habilidade em relacionamento interpessoal também é um fator que dificulta a existência de oportunidades. Relacionamentos e contatos sempre abrirão portas profissionais e de negócios, independente da área de atuação do(a) profissional.

 

Nos últimos 15 anos de vida profissional, presenciei e convivi com pessoas de todos os tipos de comportamento: do mais amável até o mais maquiavélico. Com isso, cheguei a algumas conclusões que me mostraram que até mesmo a pessoa mais difícil do mundo tem um ponto de sensibilidade que, como profissionais, podemos tocar. Abaixo, listo algumas estratégias que dão muito certo:

 

Foto: Reprodução

- Técnica do Espelhamento: consiste em usar as mesmas palavras que a pessoa em questão usa. Normalmente, todas as pessoas têm expressões que gostam de usar. Eu, por exemplo, gosto da “sem dúvida”. Quando se usa a mesma linguagem com uma pessoa se cria um laço invisível com ela, uma espécie de ligação indireta. A pessoa, por consequência disso, criará afinidade com a outra, assim facilitando qualquer processo de convencimento. Na rotina de vendas, funciona muito bem.

 

- Estudar o perfil, crenças e cenários: comportamento e crenças também são fatores que atraem pessoas em qualquer circunstância. É necessário estudarmos se a pessoa em questão é religioso(a) ou não, se tem algum alinhamento ideológico de qualquer natureza ou não, se tem conceitos como Lealdade ou não, e assim por diante. Dentro desse contexto podemos citar um exemplo bem prático: em um cenário que um(a) executivo(a) acabou de passar por um processo de separação (divórcio), não é recomendável falar com ele(a) sobre Família, afinal estaremos trazendo de volta a dor da separação. Por consequência disso, a pessoa, mesmo sem perceber de forma consciente, se afastará de nós. Em outro cenário que podemos constatar que a pessoa em questão tem um forte laço com um(a) filho(a), podemos falar sobre esse assunto. Se não tivermos filhos, podemos falar que temos essa pretensão e também discorrer um pouco sobre o amor de Pai ou Mãe. A consequência será, novamente, um alinhamento de simpatia da pessoa conosco.

 

- Participar os outros em nossos objetivos: essa é a melhor forma de aproximar de pessoas. Se quisermos enviar um currículo para uma empresa, não é interessante pedir o emprego, mas sim enviar o currículo e pedir sugestões de melhorias. Por exemplo: Fulano descobriu que existe uma vaga em empresas X. Essa vaga tem o seu perfil exato. A melhor forma de abordagem é contactar a pessoa responsável e dizer “Estou lhe enviando o meu currículo para a sua visualização. Você acha que tenho condições de participar do processo seletivo com “tal vaga”? Nesse caso, se o perfil do profissional estiver alinhado ao que a empresa e o(a) gestor(a) busca, existe uma grande tendência de sermos inseridos no processo. Uma abordagem assim é a mesma coisa que pedir para participar do processo, porém, com uma roupagem diferente.

 

- Participação em eventos: muitos profissionais já foram descobertos por alguém ao participarem de eventos, palestras, cursos, seminários e similares. Nessas ações muitos(as) gestores(as) participam, e alguns deles, acabam até buscando talentos que se destaquem. Se a nossa profissão tem uma associação, ou instituto, ou ONG ou Conselho, precisamos estar envolvidos. Mesmo que não surja uma oportunidade de imediato, se estivermos dentro do cenário, estaremos em evidência. E isso é muito importante. Além disso, também devemos lembrar que boas oportunidades e bons negócios também surgem numa mesa de bar, num clube, numa rodada de conversar, enfim.

 

- Falar apenas quando precisar de algo: esse é ponto mais crítico do relacionamento entre pessoas. Presenciei vários casos de conhecidos que não se ligavam, não se falavam de nenhuma forma, e depois de 3, 4 ou 5 anos um fez contato com o outro para pedir algo. Quando isso é percebido pela outra pessoa, automaticamente temos uma barreira de limitação para alcançarmos o êxito no que pretendemos. Por isso, o recomendável é que tenhamos um banco de dados de contatos e conhecidos, apenas os contatos telefônicos e e-mails. Dessa forma, podemos enviar mensagens de tempos em tempos, mostrando para a pessoa que não esquecemos dela. Que seja uma simples mensagem de Bom dia, mas que essa continuidade de relação continue, sempre.

 

- Nunca escolha as aparências: você já ouviu falar que aquele(a) senhor(senhorinha) com chinelos e bermuda pode ser um comprador com o pagamento a vista? É exatamente isso. Não somente pelo interesse de alcançar o objetivo do convencimento, mas todas as pessoas devem ser tratadas de forma igual. Que seja alguém com um terno ou com a uma camisa de dormir. Você, assim como eu, já deve ter presenciado alguma cena, em alguma loja, que uma pessoa aparentemente humilde rodou, rodou, rodou e rodou no salão e não foi atendida. Ao mesmo tempo, também já deve ter visto alguma cena de alguém que entrou bem vestido e, de pronto, foi abordado. Precisamos ter muita cautela com isso.

 

- Nunca deixe de responder a alguém: uma pessoa sem resposta tem uma alta tendência de mágoas. A verdade é que ninguém gosta de ser ignorado. Por isso, se faz necessário responder as pessoas, mesmo que demore. Conheci, há alguns anos atrás, um grande artista brasileiro que me deu uma lição que lembro até: “Flávio, sempre responda as pessoas que lhe fizerem contato. “Mesmo que você demora 1 mês para fazer isso, faça. Assim, você ganhará o respeito e admiração delas”. Essa frase me marcou profundamente, afinal, comecei a lembrar de pessoas que eu havia feito contato e havia me dado retorno, mesmo que negativo. Essas pessoas se tornaram boas lembranças e que sempre falarei bem em qualquer lugar que estiver.

 

E então, vamos fazer contatos virarem prosperidade?

 

Flávio Guimarães é diretor da Guimarães Consultoria, Administrador de Empresas, Especializado em Negócios, Comportamento e Recursos Humanos, Articulista dos Jornais Bom Dia Amazônia e Jornal do Amazonas 1ª Edição, CBN Amazônia, Portal Amazônia e Consultor em Avaliação e Reelaboração Curricular.

 

     

TAG empregovaga de empregocomo fazer networkingcontatos profissionais