Publicidade

Flavio Guimarães

Descubra segredos e dicas para estudar para concurso públicos e não perder o foco

“Muitos são os obstáculos que levam profissionais à desclassificação. A redação, a forma de estudar, as estratégias de memorizações e assim por diante”

Flávio Guimarães

flavioguimaraesjr@hotmail.com


Quando falamos em concurso público um pensamento vem à mente: estabilidade. Em tempos de crise, ela é uma ótima alternativa. Por isso, há profissionais que se preparam durante anos para passar nas provas. Outros viajam de Estado para Estado para alcançarem o êxito. Diante disso, temos o desafio da capacitação, preparo e formação concurseira.

 

Muitos são os obstáculos que levam profissionais à desclassificação. A redação, a forma de estudar, as estratégias de memorizações e assim por diante. Abaixo listamos algumas dicas para os concurseiros:

 

- Estudar questões mais simples e fácil: são as questões que mais precisam de foco. Por termos uma falta sensação de que elas “estão no papo”, acabamos não dando a atenção necessária. Muitos candidatos acabam tendo pontuações baixíssimas. Quase sempre, os pesos e quantidades dessas questões são suficientes para um desempate ou uma vantagem competitiva durante as correções, mesmo que mínima. Portanto, a primeira linha de estudo deve ser direcionada a elas. Tendo-as garantidas, partimos para as mais difíceis.

 

 
Foto: Arquivo/Agência Brasil
 

- Tática 30x10x20: é uma estratégia pouco usada durante os estudos para concursos. Ela consiste em estudar durante 30 minutos, ter um intervalo de 10 e depois voltar a estudar por mais 20. No total, 60 minutos (1 hora). Se esse ciclo for repetido constantemente, a tendência é que a mente do estudante esteja sempre aguçada e menos cansada. Quando uma capacitação dura mais de 30 minutos, há uma perda significativa do aprendizado e memorização. Por isso, o intervalo de 10 minutos é fundamental. Nesse intervalo, pratique ações que envolvam o lazer. Assim, a sua programação mental entrará em um estado de relaxamento. Em seguida, volte aos estudos por mais 20 minutos. Cumprido um ciclo, espero por mais 1 ou 2 horas e o repita. Dá certo, funciona.

 

- Tática do Pal-Mito: consiste em você criar sentidos figurados e imagens ao invés de palavras. Sempre existe uma expressão ou outra que temos dificuldade de lembrar, não é mesmo? Eu, por exemplo, tinha um problema enorme para lembrar o nome “palmito”. Eu olhava para ele, olhava de novo e de novo, e minha mente ficava perguntando: Qual o nome disso? O branco de lembrança era total. Incrível. Assim, eu criei a Tática do Pal-Mito, que você ser usada em qualquer outra expressão, frase ou colocação. É muito simples: eu criei imagens na minha mente. Vamos à prática?

 

Palmito: um pedaço de madeira + Pelé = pau + mito = palmito.

Mitocôndria: Pelé + Anaconda = mito + condria = mitocôndria.

Geladeira: o que passa no cabelo + onde o carro desce = gel + ladeira = geladeira.

 

 

Agora você pode usar essa estratégia para qualquer outra palavra. Você deve estar rindo aí, não? Rsrsrs Mas acredite..... funciona muito. A potencialização mental é um campo enorme a ser explorado.

 

- Um espaço exclusivo para o estudo (de cor branca ou bege): o espaço exclusivo é clichê, não? Você já deve ter ouvido falarem muito disso. Mas vamos para a parte prática? Quando falamos em estratégias de memorizações e estudos precisamos imaginar que nossa mente precisa ser potencializada ao máximo possível. Todo e qualquer segundo de atenção é primordial no processo de aprendizagem. Por isso, os tempos de estudos devem ser direcionados apenas para isso. Nesse período, esqueça as redes sociais, esqueça a(o) namorado(a), esqueça tudo que estiver em volta. Direção integral para os livros, por favor. Além disso, as cores branca e bege têm uma forte influência na tranquilidade mental. Elas promovem o estado de paz, e por isso, o processo da aprendizagem será mais eficiente. A mente estará trabalhando de forma tranquila. Se em sua casa houver um espaço amarelo ou vermelho, por exemplo, vá para outro canto. O amarelo e o vermelho são cores que têm uma influência inconsciente para a geração de estresse e ansiedade. Você já notou que a maioria dos restaurantes possui a cor vermelha em suas fachadas? Pois é, ela estimula o estresse e ansiedade inconscientes. Sem perceber, o(a) cliente age para aliviar os sentimentos estressados. Por consequência: vai comer mais. Da mesma forma funciona a mente no processo de aprendizagem, porém nesse caso não comerá mais, mas sim ficará com a mente inquieta, em estado de alerta, o que dificultará qualquer assimilação de conteúdo. Além disso, é necessário ter cuidado com a cor azul clara. Ela estimula o sono. Ao invés de estimular a sua menta para a produção poderá te deixar cansado(a) demais.

 

- Apoio da Família, namorado(a), noivo(a), esposo(a), filhos: a tolerância sempre foi, é e sempre será um fator fundamental no relacionamento humano em qualquer contexto. Quando alguém decide ser um(a) concurseiro(a) toda a Família e relacionados precisam entender isso e terem a consciência de que haverá domingos que a pessoa não poderá sair, que haverá sábados que a balada desejada não poderá existir, que o rodízio de pizza não acontecerá mais sempre que quiserem, nem aquele cineminha, enfim. Muito provavelmente você já ouviu falarem sobre isso, porém vamos para a parte prática:

 

João decidiu virar concurseiro. Como objetivo de vida, decidiu que estudará até conseguir a sua colocação no serviço público. João passa muito tempo estudando, não consegue mais dar a atenção que dava antes para a namorada, para a mãe e para a irmã. A namorada começou a reclamar, a mãe também e a irmã o tempo inteiro pede para brincar. João, no meio de tudo isso, vive com a pressão mental de estudar para passar, da namorada cobrando, da mãe criticando e da irmã querendo jogar videogame. Assim, não consegue mais se concentrar e o seu processo de aprendizagem perde eficiência por estar sempre irritado. João pensa em desistir para sair de todas essas pressões. João desiste e nunca será um profissional concursado como tanto sonhou. Assim, ele escolhe uma profissão. Se forma, se especializa e entra no mercado de trabalho. Décadas depois, João se aposenta e faz uma reflexão: “em todos esses anos eu fiz e fui quem eu não queria. Queria mesmo ser um funcionário público, era o meu sonho de vida. Mas agora já passou”.

 

O texto acima retrata a história de muitos e muitos profissionais por toda a parte do mundo que por não terem o apoio da Família e relacionados fecham suas vidas frustrados, sem terem feito o que realmente queriam. Citei todas essas descrições para mostrar que esse apoio ou a falta dele podem levar qualquer profissional ao Sucesso ou ao Fracasso definitivo. É assim que é.

 

*Flávio Guimarães é diretor da Guimarães Consultoria, Administrador de Empresas, Especializado em Negócios, Comportamento e Recursos Humanos, Articulista dos Jornais Bom Dia Amazônia e Jornal do Amazonas 1ª Edição, CBN Amazonas, CBN Rondônia e Portal Amazônia.

 

     

Flavio Guimarães

Home > Opiniao > Flavio-guimaraes

Descubra segredos e dicas para estudar para concurso públicos e não perder o foco

“Muitos são os obstáculos que levam profissionais à desclassificação. A redação, a forma de estudar, as estratégias de memorizações e assim por diante”

Flávio Guimarães

flavioguimaraesjr@hotmail.com


Quando falamos em concurso público um pensamento vem à mente: estabilidade. Em tempos de crise, ela é uma ótima alternativa. Por isso, há profissionais que se preparam durante anos para passar nas provas. Outros viajam de Estado para Estado para alcançarem o êxito. Diante disso, temos o desafio da capacitação, preparo e formação concurseira.

 

Muitos são os obstáculos que levam profissionais à desclassificação. A redação, a forma de estudar, as estratégias de memorizações e assim por diante. Abaixo listamos algumas dicas para os concurseiros:

 

- Estudar questões mais simples e fácil: são as questões que mais precisam de foco. Por termos uma falta sensação de que elas “estão no papo”, acabamos não dando a atenção necessária. Muitos candidatos acabam tendo pontuações baixíssimas. Quase sempre, os pesos e quantidades dessas questões são suficientes para um desempate ou uma vantagem competitiva durante as correções, mesmo que mínima. Portanto, a primeira linha de estudo deve ser direcionada a elas. Tendo-as garantidas, partimos para as mais difíceis.

 

 
Foto: Arquivo/Agência Brasil
 

- Tática 30x10x20: é uma estratégia pouco usada durante os estudos para concursos. Ela consiste em estudar durante 30 minutos, ter um intervalo de 10 e depois voltar a estudar por mais 20. No total, 60 minutos (1 hora). Se esse ciclo for repetido constantemente, a tendência é que a mente do estudante esteja sempre aguçada e menos cansada. Quando uma capacitação dura mais de 30 minutos, há uma perda significativa do aprendizado e memorização. Por isso, o intervalo de 10 minutos é fundamental. Nesse intervalo, pratique ações que envolvam o lazer. Assim, a sua programação mental entrará em um estado de relaxamento. Em seguida, volte aos estudos por mais 20 minutos. Cumprido um ciclo, espero por mais 1 ou 2 horas e o repita. Dá certo, funciona.

 

- Tática do Pal-Mito: consiste em você criar sentidos figurados e imagens ao invés de palavras. Sempre existe uma expressão ou outra que temos dificuldade de lembrar, não é mesmo? Eu, por exemplo, tinha um problema enorme para lembrar o nome “palmito”. Eu olhava para ele, olhava de novo e de novo, e minha mente ficava perguntando: Qual o nome disso? O branco de lembrança era total. Incrível. Assim, eu criei a Tática do Pal-Mito, que você ser usada em qualquer outra expressão, frase ou colocação. É muito simples: eu criei imagens na minha mente. Vamos à prática?

 

Palmito: um pedaço de madeira + Pelé = pau + mito = palmito.

Mitocôndria: Pelé + Anaconda = mito + condria = mitocôndria.

Geladeira: o que passa no cabelo + onde o carro desce = gel + ladeira = geladeira.

 

 

Agora você pode usar essa estratégia para qualquer outra palavra. Você deve estar rindo aí, não? Rsrsrs Mas acredite..... funciona muito. A potencialização mental é um campo enorme a ser explorado.

 

- Um espaço exclusivo para o estudo (de cor branca ou bege): o espaço exclusivo é clichê, não? Você já deve ter ouvido falarem muito disso. Mas vamos para a parte prática? Quando falamos em estratégias de memorizações e estudos precisamos imaginar que nossa mente precisa ser potencializada ao máximo possível. Todo e qualquer segundo de atenção é primordial no processo de aprendizagem. Por isso, os tempos de estudos devem ser direcionados apenas para isso. Nesse período, esqueça as redes sociais, esqueça a(o) namorado(a), esqueça tudo que estiver em volta. Direção integral para os livros, por favor. Além disso, as cores branca e bege têm uma forte influência na tranquilidade mental. Elas promovem o estado de paz, e por isso, o processo da aprendizagem será mais eficiente. A mente estará trabalhando de forma tranquila. Se em sua casa houver um espaço amarelo ou vermelho, por exemplo, vá para outro canto. O amarelo e o vermelho são cores que têm uma influência inconsciente para a geração de estresse e ansiedade. Você já notou que a maioria dos restaurantes possui a cor vermelha em suas fachadas? Pois é, ela estimula o estresse e ansiedade inconscientes. Sem perceber, o(a) cliente age para aliviar os sentimentos estressados. Por consequência: vai comer mais. Da mesma forma funciona a mente no processo de aprendizagem, porém nesse caso não comerá mais, mas sim ficará com a mente inquieta, em estado de alerta, o que dificultará qualquer assimilação de conteúdo. Além disso, é necessário ter cuidado com a cor azul clara. Ela estimula o sono. Ao invés de estimular a sua menta para a produção poderá te deixar cansado(a) demais.

 

- Apoio da Família, namorado(a), noivo(a), esposo(a), filhos: a tolerância sempre foi, é e sempre será um fator fundamental no relacionamento humano em qualquer contexto. Quando alguém decide ser um(a) concurseiro(a) toda a Família e relacionados precisam entender isso e terem a consciência de que haverá domingos que a pessoa não poderá sair, que haverá sábados que a balada desejada não poderá existir, que o rodízio de pizza não acontecerá mais sempre que quiserem, nem aquele cineminha, enfim. Muito provavelmente você já ouviu falarem sobre isso, porém vamos para a parte prática:

 

João decidiu virar concurseiro. Como objetivo de vida, decidiu que estudará até conseguir a sua colocação no serviço público. João passa muito tempo estudando, não consegue mais dar a atenção que dava antes para a namorada, para a mãe e para a irmã. A namorada começou a reclamar, a mãe também e a irmã o tempo inteiro pede para brincar. João, no meio de tudo isso, vive com a pressão mental de estudar para passar, da namorada cobrando, da mãe criticando e da irmã querendo jogar videogame. Assim, não consegue mais se concentrar e o seu processo de aprendizagem perde eficiência por estar sempre irritado. João pensa em desistir para sair de todas essas pressões. João desiste e nunca será um profissional concursado como tanto sonhou. Assim, ele escolhe uma profissão. Se forma, se especializa e entra no mercado de trabalho. Décadas depois, João se aposenta e faz uma reflexão: “em todos esses anos eu fiz e fui quem eu não queria. Queria mesmo ser um funcionário público, era o meu sonho de vida. Mas agora já passou”.

 

O texto acima retrata a história de muitos e muitos profissionais por toda a parte do mundo que por não terem o apoio da Família e relacionados fecham suas vidas frustrados, sem terem feito o que realmente queriam. Citei todas essas descrições para mostrar que esse apoio ou a falta dele podem levar qualquer profissional ao Sucesso ou ao Fracasso definitivo. É assim que é.

 

*Flávio Guimarães é diretor da Guimarães Consultoria, Administrador de Empresas, Especializado em Negócios, Comportamento e Recursos Humanos, Articulista dos Jornais Bom Dia Amazônia e Jornal do Amazonas 1ª Edição, CBN Amazonas, CBN Rondônia e Portal Amazônia.

 

     

TAG empregoconcursoconcurso publico