Publicidade

Dan Holanda

Home > Opiniao > Dan-holanda
Dan Holanda

Sou médium, e agora?

“A mediunidade é uma faculdade inerente a toda alma humana e, com isso, quero dizer que a mediunidade não é um dom exclusivo de poucos escolhidos”


Olá buscadores,

Hoje continuaremos abordando o tema Mediunidade.

E se você está chegando agora, eu sugiro que leia antes o artigo Ai, meu Deus!!! Será que sou médium?, publicado na semana passada. 

Bom, como falamos, a mediunidade é uma faculdade inerente a toda alma humana e, com isso, quero dizer que a mediunidade não é um dom exclusivo de poucos escolhidos, mas o contrário disso, pois cada vez mais pessoas estão tomando consciência de suas faculdades mediúnicas e buscando estudar o assunto para que possam entender essas manifestações.

 
Foto: Reprodução

Essas potencialidades mediúnicas podem eclodir de forma mais ostensiva a qualquer momento. Para alguns acontece logo na infância, outros muitos durante a adolescência, para outros na idade adulta ou mesmo na terceira idade. O processo nem sempre é tranquilo e para cada fase dessa que citei existe um desafio. Por exemplo; quando se manifesta na infância, normalmente, o papai e mamãe ou os adultos em geral não acreditam e classificam a situação como imaginação infantil, não é assim? Na adolescência, normalmente se classifica como um desajuste comportamental por conta da idade, ou uma depressão. Na idade adulta, a pessoa tende a esconder a situação para não parecer “estranho” ou mesmo, “louco”, sendo comum a própria pessoa pensar: “Estarei enlouquecendo?”. Já na terceira idade o grande problema é confundir os sintomas de mediunidade com a senilidade ou com efeitos colaterais de algum medicamento entre muitos que normalmente o idoso utiliza. 

É importante saber que a mediunidade se manifesta (ou eclode ou floresce) de forma diferente em cada pessoa, mas de uma forma geral podemos listar:  percepções de presença, sensação de que está sendo observado ou acompanhado, ansiedade, depressão, síndrome do pânico, insônia ou pesadelos recorrentes, oscilação de humor, irritação excessiva, pensamentos autodestrutivos e ainda aquela sensação de que toda a sua energia para tocar o dia está se esvaindo.

 
Foto: Reprodução

Sabe aqueles momentos em que está tudo bem, você se sente bem, está tudo normal....e, de repente, você começa a sentir estranho, angustiado, raivoso ou sem energia? Já aconteceu com você? Ou quando você começa a sentir mal depois de chegar ou entrar em algum lugar ou ambiente, ou mesmo quando interage com alguma pessoa? Então, você pode ainda não entender o porquê de tudo isso, é meio confuso mesmo, mas essas sensações podem, muito facilmente, ser frutos de interações mediúnicas. 

Mas como isso acontece? Bom, você está lá, tocando o seu dia, de boa, quando por algum motivo (normalmente uma baixa em seu campo vibracional) você passa a sintonizar (como uma estação de rádio) com uma consciência (ou espírito) desencarnado. Nesse momento, o seu campo vibracional pessoal e o da consciência (ou espírito) se entrelaçam e um passa a captar sensações, sentimentos, ideias e intenções que na verdade são do outro. Então, se você sintoniza com algum espírito que esteja em sofrimento íntimo, você vai captar e sentir sensações de tristeza, raiva, luxúria ou ainda pensamentos estranhos. E, é nessa hora que você pensa: “Gente eu acho que sou bipolar, ou então estou ficando maluco”.

Por isso é tão importante estudar e entender esses mecanismos, independentemente de sua crença religiosa. Lembre-se que mediunidade não tem relação com religião, ela pode acontecer (e vai acontecer) entre católicos, evangélicos, espíritas, budistas... Enfim! A mediunidade é uma sensibilidade extrafísica, natural, orgânica e que qualquer pessoa tem, mas que requer estudo. Assim como a humanidade aprendeu a falar e a andar sobre duas pernas, agora também precisa aprender a interagir (através da mediunidade) com outros planos vibracionais.

 
Foto: Reprodução

E se você se interessa por esse assunto e deseja saber mais, deixe uma mensagem para que eu saiba. As formas de contato são: instagram (mestredanholanda ou espacopremamanaus) ou e-mail: daniel_holanda@hotmail.com.

Prema!  


Sou médium, e agora?

“A mediunidade é uma faculdade inerente a toda alma humana e, com isso, quero dizer que a mediunidade não é um dom exclusivo de poucos escolhidos”

Dan Holanda

daniel_holanda@hotmail.com


Olá buscadores,

Hoje continuaremos abordando o tema Mediunidade.

E se você está chegando agora, eu sugiro que leia antes o artigo Ai, meu Deus!!! Será que sou médium?, publicado na semana passada. 

Bom, como falamos, a mediunidade é uma faculdade inerente a toda alma humana e, com isso, quero dizer que a mediunidade não é um dom exclusivo de poucos escolhidos, mas o contrário disso, pois cada vez mais pessoas estão tomando consciência de suas faculdades mediúnicas e buscando estudar o assunto para que possam entender essas manifestações.

 
Foto: Reprodução

Essas potencialidades mediúnicas podem eclodir de forma mais ostensiva a qualquer momento. Para alguns acontece logo na infância, outros muitos durante a adolescência, para outros na idade adulta ou mesmo na terceira idade. O processo nem sempre é tranquilo e para cada fase dessa que citei existe um desafio. Por exemplo; quando se manifesta na infância, normalmente, o papai e mamãe ou os adultos em geral não acreditam e classificam a situação como imaginação infantil, não é assim? Na adolescência, normalmente se classifica como um desajuste comportamental por conta da idade, ou uma depressão. Na idade adulta, a pessoa tende a esconder a situação para não parecer “estranho” ou mesmo, “louco”, sendo comum a própria pessoa pensar: “Estarei enlouquecendo?”. Já na terceira idade o grande problema é confundir os sintomas de mediunidade com a senilidade ou com efeitos colaterais de algum medicamento entre muitos que normalmente o idoso utiliza. 

É importante saber que a mediunidade se manifesta (ou eclode ou floresce) de forma diferente em cada pessoa, mas de uma forma geral podemos listar:  percepções de presença, sensação de que está sendo observado ou acompanhado, ansiedade, depressão, síndrome do pânico, insônia ou pesadelos recorrentes, oscilação de humor, irritação excessiva, pensamentos autodestrutivos e ainda aquela sensação de que toda a sua energia para tocar o dia está se esvaindo.

 
Foto: Reprodução

Sabe aqueles momentos em que está tudo bem, você se sente bem, está tudo normal....e, de repente, você começa a sentir estranho, angustiado, raivoso ou sem energia? Já aconteceu com você? Ou quando você começa a sentir mal depois de chegar ou entrar em algum lugar ou ambiente, ou mesmo quando interage com alguma pessoa? Então, você pode ainda não entender o porquê de tudo isso, é meio confuso mesmo, mas essas sensações podem, muito facilmente, ser frutos de interações mediúnicas. 

Mas como isso acontece? Bom, você está lá, tocando o seu dia, de boa, quando por algum motivo (normalmente uma baixa em seu campo vibracional) você passa a sintonizar (como uma estação de rádio) com uma consciência (ou espírito) desencarnado. Nesse momento, o seu campo vibracional pessoal e o da consciência (ou espírito) se entrelaçam e um passa a captar sensações, sentimentos, ideias e intenções que na verdade são do outro. Então, se você sintoniza com algum espírito que esteja em sofrimento íntimo, você vai captar e sentir sensações de tristeza, raiva, luxúria ou ainda pensamentos estranhos. E, é nessa hora que você pensa: “Gente eu acho que sou bipolar, ou então estou ficando maluco”.

Por isso é tão importante estudar e entender esses mecanismos, independentemente de sua crença religiosa. Lembre-se que mediunidade não tem relação com religião, ela pode acontecer (e vai acontecer) entre católicos, evangélicos, espíritas, budistas... Enfim! A mediunidade é uma sensibilidade extrafísica, natural, orgânica e que qualquer pessoa tem, mas que requer estudo. Assim como a humanidade aprendeu a falar e a andar sobre duas pernas, agora também precisa aprender a interagir (através da mediunidade) com outros planos vibracionais.

 
Foto: Reprodução

E se você se interessa por esse assunto e deseja saber mais, deixe uma mensagem para que eu saiba. As formas de contato são: instagram (mestredanholanda ou espacopremamanaus) ou e-mail: daniel_holanda@hotmail.com.

Prema!  

TAG autoconhecimentoDan HolandaMediunidade