Publicidade

Dan Holanda

Home > Opiniao > Dan-holanda
Dan Holanda

Mas afinal, o que é o Sagrado Feminino?

“Já começo o assunto deixando claro que, independente do gênero, toda pessoa traz em si energias femininas e masculinas. Essas duas energias são energias primordiais, ou seja, vem desde o princípio de tudo”


“Eu vejo que mesmo entre as mulheres a energia masculina está muito forte, muito dominante. As mulheres estão no mercado de trabalho competindo com os homens e acreditam que para serem bem-sucedidas precisam minimizar seus aspectos femininos e ampliar os aspectos masculinos. Então temos mulheres cada vez mais fortes, focadas, assertivas, racionais e que vão se distanciando de seus atributos intuitivos, emocionais, espirituais e amorosos quando o correto a fazer seria integrar todos esses atributos. Quando essa mulher conseguir realmente integrar esses aspectos...Aí sim! Aí teremos uma mulher plena e poderosa, uma mulher fluindo em toda sua essência, uma mulher desperta. E ninguém segura uma mulher assim meu amor!”



Tatiana Farnocchia

Condutora de Sagrado Feminino

 

Foto: Divulgação

Quando se fala em Sagrado Feminino, muitos já imaginam algo feito exclusivamente para mulheres, onde o masculino é rejeitado ou excluído, ou ainda que está ligado a expressão da sexualidade. Não é isso? 

 

Pois é, mas não é isso! 

 

E eu já começo o assunto deixando claro que independente do gênero, toda pessoa traz em si energias femininas e masculinas.

 

Essas duas energias – a masculina e a feminina - são energias primordiais, ou seja, vem desde o princípio de tudo. Repare que tudo tem um aspecto dual e complementar. A luz e a escuridão, a noite e o dia, o fogo (dentro do xamanismo é a expressão máxima do masculino) e a água (dentro do xamanismo é a expressão máxima do feminino), o Yin e Yang, o masculino e o feminino.

 

Todos nós carregamos essas duas energias. A maioria dos homens tem uma prevalência de energia masculina e a maioria das mulheres tem prevalência da energia feminina, no entanto, não existe regra e o importante é buscar o equilíbrio desses dois aspectos que compõe nossa dualidade. É através da aceitação, desenvolvimento e equilíbrio dessas duas energias que entramos em um estado de harmonia. 

 

Foto: Divulgação

O aspecto feminino é nossa parte intuitiva, receptiva, espiritual, criativa, emocional, é a capacidade de nutrir, proteger e acolher.

 

O aspecto masculino é ação, habilidade para fazer coisas, movimento, assertividade, expansão mental, logica, foco, força, disciplina. 

 

Para se ter uma vida harmonizada é necessário buscar o equilíbrio das duas polaridades que formam nossa essência.

 

No entanto, hoje existe um desequilíbrio. O que acontece é que em nossa sociedade a energia masculina é mais valorizada e desenvolvida. Ela é vista como superior a energia feminina, e isso não faz sentido nenhum pois, como já vimos, são energias complementares. Devido a esse movimento da sociedade a energia feminina vem sendo cada vez mais reprimida e é aí que homens e mulheres entram em desequilíbrio. Acredita-se a nível inconsciente se eu fortalecer e desenvolver minha energia masculina eu serei mais aceito, mais produtivo e terei mais sucesso em sociedade. O movimento de Sagrado Feminino tem a missão de fazer esse resgate e facilitar a expansão da energia do feminino nas relações. 

 

Mas para que não prevaleça somente a minha opinião sobre o assunto, hoje eu chamei para opinar aqui uma mulher empoderada, xamã e que trabalha com o Sagrado Feminino e as forças naturais há mais de 10 anos. Vamos saber a opinião de Tatiana Farnocchia sobre o assunto? 

 

Dan: O que é o Sagrado Feminino para você?

 

Tatiana: Quando falamos de feminino, estamos falando da vida manifestada, da manifestação da energia geradora de vida. O Sagrado Feminino está ligado ao despertar da nossa essência divina através dos atributos femininos da alma humana e dos ciclos da vida e do corpo feminino. Como mulheres, temos um papel fundamental, que é expressar essa energia. A mulher é comparada a Pachamama que é a nossa Mãe Terra, o útero universal, que nos gera e nutre de vida. Assim como Pachamama a mulher é o canal de geração e nutrição de novas vidas.

 

Foto: Divulgação

Dan: Você concorda que todos temos energia masculina e energia feminina e que precisamos equilibrá-las e integrá-las? Então, porque existem vivências de Sagrado Feminino voltadas somente para mulheres? 

 

Tatiana: Eu vejo que mesmo entre as mulheres a energia masculina está muito forte, muito dominante. As mulheres estão no mercado de trabalho competindo com os homens e acreditam que para serem bem-sucedidas precisam minimizar seus aspectos femininos e ampliar os aspectos masculinos. Então, temos mulheres cada vez mais fortes, focadas, assertivas, racionais e que vão se distanciando de seus atributos intuitivos, emocionais, espirituais e amorosos quando o correto a fazer seria integrar todos esses atributos. Quando essa mulher conseguir realmente integrar esses aspectos...Aí sim! Aí teremos uma mulher plena e poderosa, uma mulher fluindo em toda sua essência, uma mulher desperta. E ninguém segura uma mulher assim meu amor!

 

É isso que busco curar em uma vivência de Sagrado Feminino só para mulheres como essa que vou conduzir em Manaus. Cada mulher que for tocada e curada em seu Sagrado Feminino, estará não somente sendo liberta e empoderada, mas também estará levando a cura para os seus parceiros ou parceiras, para seus pais, filhos, netos e para toda a nossa sociedade.

 

Esse movimento é voltado inicialmente para mulheres porque essa energia já existe de forma natural e mais forte nelas. Via de regra é mais fácil e rápido despertar e expandir a energia feminina em uma mulher do que em um homem.

 

Dan: Eu diria até que o Sagrado Feminino ajuda a mulher a se empoderar e a ter mais autoestima. O que você acha dessa afirmação?

 

Tatiana: É isso mesmo. No Sagrado Feminino, mulheres de todas  as posições sociais, religiões e crenças aprendem a se desvincular de padrões e regras pré-estabelecidas pela sociedade onde reina a energia masculina. Elas descobrem como se amar exatamente como são e então acontece o despertar da deusa interior. Nesse momento as mulheres passam a sentir orgulho de gerar, parir, nutrir, passam a entender e valorizar seus ciclos naturais, passa a trazer amor e feminilidade para todas essas fases da vida. Entendem, por fim que podem ser deusas amorosas e férteis e ao mesmo tempo determinadas e guerreiras. 

 

Foto: Divulgação

Dan: Como isso tudo pode impactar na vida amorosa, nos relacionamentos afetivos?

 

Tatiana:  Eu sempre digo que não pode haver plenitude sem entrega sincera e não pode haver entrega se não houver segurança. A segurança, a autoconfiança só são desenvolvidas através do autoconhecimento. Afinal, quando você se conhece, se entende, sabe do que gosta e o que quer, tudo fica mais fácil. Não adianta você esperar que o universo te abençoe com algo que nem você mesma sabe o que é. Você precisa se conhecer para saber exatamente o que deseja e assim vibrar e assim atrair. No Sagrado Feminino você aprende a amar sem depender da pessoa para viver, afinal o amor próprio deve vir em primeiro lugar. É através da estima por si mesma que a paixão será alimentada. 

 

Através do Sagrado Feminino você desperta a sua deusa interior. Essa deusa surge à medida que você conhece seu corpo, seus ciclos naturais, suas emoções, sua sexualidade... Sua deusa desperta a partir do momento que você se cura e se empodera como mulher forte e amorosa ao mesmo tempo, quando você se enche de atitude e se torna dona de si mas não perde a doçura, quando você é assertiva em suas colocações, mas vai guiada pelas suas intuições. 

 

Dan: Obrigado Tatiana por sua contribuição.

 

Antes de fechar o nosso assunto me vem à lembrança do arquétipo da deusa Artemis. 

 

Artemis é essa mulher forte e livre, não se sente à vontade cumprindo ordens e seguindo regras. Quanto mais liberdade de auto expressão tiver, mais feliz será. Ártemis é a representação do vínculo afetivo entre irmãs, do companheirismo entre mulheres. É a aceitação e a cumplicidade que deveria haver entre as mulheres sem o vício do pensamento machista e ou feminista. 

 

A mulher que se identifica com os instintos representados por Ártemis não vive fascinada por dominar os homens e também não vive exclusivamente para a relação mãe-filho ela sabe que tem vida própria e outros aspectos para equilibrar. Evita os homens que queiram ser o centro de sua vida, dando preferência aos relacionamentos dentro de um padrão entre iguais. 

 

É isso! E aí? Curtiu o assunto? Tem dúvidas? Quer sugerir temas para os próximos artigos? Você pode falar comigo através das redes sociais INSTAGRAM @MESTREDANHOLANDA OU @ESPACOPREMAMANAUS.

 

Aho!!!

 

     

Mas afinal, o que é o Sagrado Feminino?

“Já começo o assunto deixando claro que, independente do gênero, toda pessoa traz em si energias femininas e masculinas. Essas duas energias são energias primordiais, ou seja, vem desde o princípio de tudo”

Dan Holanda

daniel_holanda@hotmail.com


“Eu vejo que mesmo entre as mulheres a energia masculina está muito forte, muito dominante. As mulheres estão no mercado de trabalho competindo com os homens e acreditam que para serem bem-sucedidas precisam minimizar seus aspectos femininos e ampliar os aspectos masculinos. Então temos mulheres cada vez mais fortes, focadas, assertivas, racionais e que vão se distanciando de seus atributos intuitivos, emocionais, espirituais e amorosos quando o correto a fazer seria integrar todos esses atributos. Quando essa mulher conseguir realmente integrar esses aspectos...Aí sim! Aí teremos uma mulher plena e poderosa, uma mulher fluindo em toda sua essência, uma mulher desperta. E ninguém segura uma mulher assim meu amor!”



Tatiana Farnocchia

Condutora de Sagrado Feminino

 

Foto: Divulgação

Quando se fala em Sagrado Feminino, muitos já imaginam algo feito exclusivamente para mulheres, onde o masculino é rejeitado ou excluído, ou ainda que está ligado a expressão da sexualidade. Não é isso? 

 

Pois é, mas não é isso! 

 

E eu já começo o assunto deixando claro que independente do gênero, toda pessoa traz em si energias femininas e masculinas.

 

Essas duas energias – a masculina e a feminina - são energias primordiais, ou seja, vem desde o princípio de tudo. Repare que tudo tem um aspecto dual e complementar. A luz e a escuridão, a noite e o dia, o fogo (dentro do xamanismo é a expressão máxima do masculino) e a água (dentro do xamanismo é a expressão máxima do feminino), o Yin e Yang, o masculino e o feminino.

 

Todos nós carregamos essas duas energias. A maioria dos homens tem uma prevalência de energia masculina e a maioria das mulheres tem prevalência da energia feminina, no entanto, não existe regra e o importante é buscar o equilíbrio desses dois aspectos que compõe nossa dualidade. É através da aceitação, desenvolvimento e equilíbrio dessas duas energias que entramos em um estado de harmonia. 

 

Foto: Divulgação

O aspecto feminino é nossa parte intuitiva, receptiva, espiritual, criativa, emocional, é a capacidade de nutrir, proteger e acolher.

 

O aspecto masculino é ação, habilidade para fazer coisas, movimento, assertividade, expansão mental, logica, foco, força, disciplina. 

 

Para se ter uma vida harmonizada é necessário buscar o equilíbrio das duas polaridades que formam nossa essência.

 

No entanto, hoje existe um desequilíbrio. O que acontece é que em nossa sociedade a energia masculina é mais valorizada e desenvolvida. Ela é vista como superior a energia feminina, e isso não faz sentido nenhum pois, como já vimos, são energias complementares. Devido a esse movimento da sociedade a energia feminina vem sendo cada vez mais reprimida e é aí que homens e mulheres entram em desequilíbrio. Acredita-se a nível inconsciente se eu fortalecer e desenvolver minha energia masculina eu serei mais aceito, mais produtivo e terei mais sucesso em sociedade. O movimento de Sagrado Feminino tem a missão de fazer esse resgate e facilitar a expansão da energia do feminino nas relações. 

 

Mas para que não prevaleça somente a minha opinião sobre o assunto, hoje eu chamei para opinar aqui uma mulher empoderada, xamã e que trabalha com o Sagrado Feminino e as forças naturais há mais de 10 anos. Vamos saber a opinião de Tatiana Farnocchia sobre o assunto? 

 

Dan: O que é o Sagrado Feminino para você?

 

Tatiana: Quando falamos de feminino, estamos falando da vida manifestada, da manifestação da energia geradora de vida. O Sagrado Feminino está ligado ao despertar da nossa essência divina através dos atributos femininos da alma humana e dos ciclos da vida e do corpo feminino. Como mulheres, temos um papel fundamental, que é expressar essa energia. A mulher é comparada a Pachamama que é a nossa Mãe Terra, o útero universal, que nos gera e nutre de vida. Assim como Pachamama a mulher é o canal de geração e nutrição de novas vidas.

 

Foto: Divulgação

Dan: Você concorda que todos temos energia masculina e energia feminina e que precisamos equilibrá-las e integrá-las? Então, porque existem vivências de Sagrado Feminino voltadas somente para mulheres? 

 

Tatiana: Eu vejo que mesmo entre as mulheres a energia masculina está muito forte, muito dominante. As mulheres estão no mercado de trabalho competindo com os homens e acreditam que para serem bem-sucedidas precisam minimizar seus aspectos femininos e ampliar os aspectos masculinos. Então, temos mulheres cada vez mais fortes, focadas, assertivas, racionais e que vão se distanciando de seus atributos intuitivos, emocionais, espirituais e amorosos quando o correto a fazer seria integrar todos esses atributos. Quando essa mulher conseguir realmente integrar esses aspectos...Aí sim! Aí teremos uma mulher plena e poderosa, uma mulher fluindo em toda sua essência, uma mulher desperta. E ninguém segura uma mulher assim meu amor!

 

É isso que busco curar em uma vivência de Sagrado Feminino só para mulheres como essa que vou conduzir em Manaus. Cada mulher que for tocada e curada em seu Sagrado Feminino, estará não somente sendo liberta e empoderada, mas também estará levando a cura para os seus parceiros ou parceiras, para seus pais, filhos, netos e para toda a nossa sociedade.

 

Esse movimento é voltado inicialmente para mulheres porque essa energia já existe de forma natural e mais forte nelas. Via de regra é mais fácil e rápido despertar e expandir a energia feminina em uma mulher do que em um homem.

 

Dan: Eu diria até que o Sagrado Feminino ajuda a mulher a se empoderar e a ter mais autoestima. O que você acha dessa afirmação?

 

Tatiana: É isso mesmo. No Sagrado Feminino, mulheres de todas  as posições sociais, religiões e crenças aprendem a se desvincular de padrões e regras pré-estabelecidas pela sociedade onde reina a energia masculina. Elas descobrem como se amar exatamente como são e então acontece o despertar da deusa interior. Nesse momento as mulheres passam a sentir orgulho de gerar, parir, nutrir, passam a entender e valorizar seus ciclos naturais, passa a trazer amor e feminilidade para todas essas fases da vida. Entendem, por fim que podem ser deusas amorosas e férteis e ao mesmo tempo determinadas e guerreiras. 

 

Foto: Divulgação

Dan: Como isso tudo pode impactar na vida amorosa, nos relacionamentos afetivos?

 

Tatiana:  Eu sempre digo que não pode haver plenitude sem entrega sincera e não pode haver entrega se não houver segurança. A segurança, a autoconfiança só são desenvolvidas através do autoconhecimento. Afinal, quando você se conhece, se entende, sabe do que gosta e o que quer, tudo fica mais fácil. Não adianta você esperar que o universo te abençoe com algo que nem você mesma sabe o que é. Você precisa se conhecer para saber exatamente o que deseja e assim vibrar e assim atrair. No Sagrado Feminino você aprende a amar sem depender da pessoa para viver, afinal o amor próprio deve vir em primeiro lugar. É através da estima por si mesma que a paixão será alimentada. 

 

Através do Sagrado Feminino você desperta a sua deusa interior. Essa deusa surge à medida que você conhece seu corpo, seus ciclos naturais, suas emoções, sua sexualidade... Sua deusa desperta a partir do momento que você se cura e se empodera como mulher forte e amorosa ao mesmo tempo, quando você se enche de atitude e se torna dona de si mas não perde a doçura, quando você é assertiva em suas colocações, mas vai guiada pelas suas intuições. 

 

Dan: Obrigado Tatiana por sua contribuição.

 

Antes de fechar o nosso assunto me vem à lembrança do arquétipo da deusa Artemis. 

 

Artemis é essa mulher forte e livre, não se sente à vontade cumprindo ordens e seguindo regras. Quanto mais liberdade de auto expressão tiver, mais feliz será. Ártemis é a representação do vínculo afetivo entre irmãs, do companheirismo entre mulheres. É a aceitação e a cumplicidade que deveria haver entre as mulheres sem o vício do pensamento machista e ou feminista. 

 

A mulher que se identifica com os instintos representados por Ártemis não vive fascinada por dominar os homens e também não vive exclusivamente para a relação mãe-filho ela sabe que tem vida própria e outros aspectos para equilibrar. Evita os homens que queiram ser o centro de sua vida, dando preferência aos relacionamentos dentro de um padrão entre iguais. 

 

É isso! E aí? Curtiu o assunto? Tem dúvidas? Quer sugerir temas para os próximos artigos? Você pode falar comigo através das redes sociais INSTAGRAM @MESTREDANHOLANDA OU @ESPACOPREMAMANAUS.

 

Aho!!!

 

     

TAG sagrado femininoautoconhecimentoDan Holandaxamanismoartigo