Publicidade

Bruno Ferreira

Home > Opiniao > Bruno-ferreira
Bruno Ferreira

Julho: férias, frutos e frutas!

Lembro que nas memórias que guardo da infância, férias geralmente tinham a ver com casa na praia e muita fruta colhida no pé


Depois de um semestre intenso de atividades escolares e profissionais finalmente chegamos às tão merecidas férias de Julho. Muitos vão curtir momentos de descanso e lazer junto à família dentro e fora da cidade, do estado ou do país. Mesmo que nem todo mundo possam usufruir de uma parada na correria do dia-a dia, ainda assim, quem fica, pode aproveitar cidades mais tranquilas, sem trânsito caótico, barulho, além de shoppings, restaurantes, praças menos concorridas e com mais espaço.

 

E este também é um mês muito promissor para safras de verduras, legumes e frutas. Os chamados “frutos de época” encontram neste início de verão amazônico, um clima bastante favorável para sua oferta em grande escala, garantindo o abastecimento das famílias, além de nos presentear com uma rica variedade de nutrientes, além de cores, aromas e sabores. Lembro que nas memórias que guardo da infância, férias geralmente tinham a ver com casa na praia e muita fruta colhida no pé, como as caramboleiras que se espalhavam pelos quintais.

 

 

   
Foto: Shutterstock/Reprodução
 

 


Entre os alimentos disponíveis durante este mês, podemos destacar alguns deles:


FRUTAS: carambola, laranja-lima e tangerina;

VERDURAS:  chicória, coentro, agrião, couve e espinafre;

LEGUMES: cenoura, abóbora, batata-doce, cogumelo, ervilha, inhame, mandioca, mandioquinha, milho-verde, palmito e pepino.


Mas, tão importante quanto a quantidade de alimentos disponíveis, é fundamental elencar algumas vantagens para seu consumo em períodos de safra:


1) Os alimentos de época são produzidos respeitando seu calendário natural de desenvolvimento, o que significa mais produtos orgânicos, sem agrotóxicos e/ou estimulantes agrícolas que acelerem seu processo de maturação e disponibilidade para o consumidor;


2) Vinculado a este primeiro ponto, como estes alimentos são plantados e colhidos a partir de seus ciclos biológicos específicos, eles conseguem desenvolver melhor suas propriedades organolépticas, como sabores, aromas e cores. Por este motivo, são muito mais apetitosos do que aqueles produzidos com o uso intenso de tecnologia, mas fora de sua temporada;


3) Geralmente, sua produção é realizada próxima dos pontos de consumo. Assim,  não necessitam percorrem longos trechos entre o centro produtivo e o local de abastecimento, como mercados e mesmo feiras, o que pode comprometer sua integridade e prazo de validade, aumentando significativamente o desperdício. Este é o caso dos alimentos conhecidos como “raio zero” ou “zero km”;


4) Alimentos em épocas de safra, em função de sua maior oferta, são ingredientes

disponíveis em grande quantidade e por conta disso mais baratos, garantindo alívio no bolso. Desta maneira, pode ser interessante pensar em substituições por alimentos mais em conta, como um purê de mandioca no lugar da batata-inglesa, que é mais cara neste período. Pesquisando na página oficial da Central de Abastecimento doPará (CEASA), foi possível achar a batata-doce (que pode virar chips deliciosos) a R$ 1,60 o kg;

 

5) Finamente, alimentos de época nos proporcionam uma maior variedade de escolhas. Podemos fazer uso de diversas frutas, legumes e verduras que às vezes nem consideramos em nossa dieta cotidiana. Então, por que não ousar e investir em novos paladares na nossa mesa, como um belo suco de tangerina com couve, que promove a hidratação de crianças e adultos, além de possuir propriedades antioxidantes, combatendo os radicais livres e servindo também como desintoxicante do organismo. Ou então trocar a salada de alface de todo dia por uma salada fresca de agrião com fatias de laranja-lima, combinação que une a personalidade de uma hortaliça de sabor marcante com a leveza cítrica da laranja lima.


E para terminar, vou sugerir um arroz temperado com chicória, que pode ser acompanhado por palitos de cenoura, cogumelos e milho-verde grelhados e um tucunaré assado na brasa. Este prato sai bem barato neste mês, muito em função do tucunaré (a exemplo da pescada branca, do pargo e das ostras) encontrar seu período de maior oferta. E com uma vantagem adicional: para quem quer buscar a perfeita cor do verão, o consumo de cenoura garante a quantidade de betacaroteno necessária para adquirir um bronzeado de sucesso, que perdure por muito tempo (mas não esqueça do protetor solar!)



Então, vamos aproveitar para descansar, curtir, esticar as pernas, colocar o pé na areia ou dentro da água e aproveitar a vida, comendo mais e melhor.


Boas férias!


Julho: férias, frutos e frutas!

Lembro que nas memórias que guardo da infância, férias geralmente tinham a ver com casa na praia e muita fruta colhida no pé

Bruno Ferreira

jornalismo@portalamazonia.com


Depois de um semestre intenso de atividades escolares e profissionais finalmente chegamos às tão merecidas férias de Julho. Muitos vão curtir momentos de descanso e lazer junto à família dentro e fora da cidade, do estado ou do país. Mesmo que nem todo mundo possam usufruir de uma parada na correria do dia-a dia, ainda assim, quem fica, pode aproveitar cidades mais tranquilas, sem trânsito caótico, barulho, além de shoppings, restaurantes, praças menos concorridas e com mais espaço.

 

E este também é um mês muito promissor para safras de verduras, legumes e frutas. Os chamados “frutos de época” encontram neste início de verão amazônico, um clima bastante favorável para sua oferta em grande escala, garantindo o abastecimento das famílias, além de nos presentear com uma rica variedade de nutrientes, além de cores, aromas e sabores. Lembro que nas memórias que guardo da infância, férias geralmente tinham a ver com casa na praia e muita fruta colhida no pé, como as caramboleiras que se espalhavam pelos quintais.

 

 

   
Foto: Shutterstock/Reprodução
 

 


Entre os alimentos disponíveis durante este mês, podemos destacar alguns deles:


FRUTAS: carambola, laranja-lima e tangerina;

VERDURAS:  chicória, coentro, agrião, couve e espinafre;

LEGUMES: cenoura, abóbora, batata-doce, cogumelo, ervilha, inhame, mandioca, mandioquinha, milho-verde, palmito e pepino.


Mas, tão importante quanto a quantidade de alimentos disponíveis, é fundamental elencar algumas vantagens para seu consumo em períodos de safra:


1) Os alimentos de época são produzidos respeitando seu calendário natural de desenvolvimento, o que significa mais produtos orgânicos, sem agrotóxicos e/ou estimulantes agrícolas que acelerem seu processo de maturação e disponibilidade para o consumidor;


2) Vinculado a este primeiro ponto, como estes alimentos são plantados e colhidos a partir de seus ciclos biológicos específicos, eles conseguem desenvolver melhor suas propriedades organolépticas, como sabores, aromas e cores. Por este motivo, são muito mais apetitosos do que aqueles produzidos com o uso intenso de tecnologia, mas fora de sua temporada;


3) Geralmente, sua produção é realizada próxima dos pontos de consumo. Assim,  não necessitam percorrem longos trechos entre o centro produtivo e o local de abastecimento, como mercados e mesmo feiras, o que pode comprometer sua integridade e prazo de validade, aumentando significativamente o desperdício. Este é o caso dos alimentos conhecidos como “raio zero” ou “zero km”;


4) Alimentos em épocas de safra, em função de sua maior oferta, são ingredientes

disponíveis em grande quantidade e por conta disso mais baratos, garantindo alívio no bolso. Desta maneira, pode ser interessante pensar em substituições por alimentos mais em conta, como um purê de mandioca no lugar da batata-inglesa, que é mais cara neste período. Pesquisando na página oficial da Central de Abastecimento doPará (CEASA), foi possível achar a batata-doce (que pode virar chips deliciosos) a R$ 1,60 o kg;

 

5) Finamente, alimentos de época nos proporcionam uma maior variedade de escolhas. Podemos fazer uso de diversas frutas, legumes e verduras que às vezes nem consideramos em nossa dieta cotidiana. Então, por que não ousar e investir em novos paladares na nossa mesa, como um belo suco de tangerina com couve, que promove a hidratação de crianças e adultos, além de possuir propriedades antioxidantes, combatendo os radicais livres e servindo também como desintoxicante do organismo. Ou então trocar a salada de alface de todo dia por uma salada fresca de agrião com fatias de laranja-lima, combinação que une a personalidade de uma hortaliça de sabor marcante com a leveza cítrica da laranja lima.


E para terminar, vou sugerir um arroz temperado com chicória, que pode ser acompanhado por palitos de cenoura, cogumelos e milho-verde grelhados e um tucunaré assado na brasa. Este prato sai bem barato neste mês, muito em função do tucunaré (a exemplo da pescada branca, do pargo e das ostras) encontrar seu período de maior oferta. E com uma vantagem adicional: para quem quer buscar a perfeita cor do verão, o consumo de cenoura garante a quantidade de betacaroteno necessária para adquirir um bronzeado de sucesso, que perdure por muito tempo (mas não esqueça do protetor solar!)



Então, vamos aproveitar para descansar, curtir, esticar as pernas, colocar o pé na areia ou dentro da água e aproveitar a vida, comendo mais e melhor.


Boas férias!

TAG manausamazonasBruno Ferreiraferias