Publicidade

André Torbey

Home > Opiniao > Andre-torbey
André Torbey

E quando a síndrome do impostor te pegar?

"A Síndrome do Impostor é uma distorção que faz com que as pessoas pensem que não são competentes, esforçadas, inteligentes"

André Torbey

torbey.andre@gmail.com


Já ouviu falar na Síndrome do Impostor? Para alguns, esse termo pode ser novidade e aqui abrimos o espaço para explicar um pouco sobre esse fenômeno. A Síndrome do Impostor é uma distorção que faz com que as pessoas pensem que não são competentes, esforçadas, inteligentes e comecem a questionar se o resultado é mérito delas mesmas ou se trata de sorte e acaso.

E, por incrível que pareça, existem estudos mostrando que essa síndrome afeta, de alguma forma, 70% dos profissionais bem-sucedidos ao redor do mundo. De celebridades de Hollywood até executivos de grandes empresas. 

Imagine só quanta gente extremamente boa acaba se perdendo em pensamentos negativos e autodestrutivos. E tem mais, independentemente da idade, gênero e cor, estamos todos sujeitos ao impacto de nossos pensamentos.

Se você começou a ler e acha que pode estar passando por isso, existem alguns pontos que podem te ajudar a identificar: 

1. Trabalha muito? Você sente a necessidade de se esforçar mais? Mesmo alcançando bons resultados ainda fica se culpando por que deveria estar fazendo mais coisas.

2. Trabalha de menos? O contrário também pode ser verdadeiro, você acaba trabalhando menos, já pensando no fracasso e por isso prefere poupar energias. Chegar em casa sabendo que poderia ter usado o seu tempo de outra forma é um sinal bem claro dessa situação. 

3. Trabalha pela metade? Outro sinal é quando você precisa fazer muitas coisas e acaba desistindo na metade do caminho. Tarefas incompletas drenam a sua energia e trazem a sensação de que você é incompetente.

4. Fica se comparando com outras? Algo que nos acompanha em toda a vida e que pode trazer prejuízos enormes para a nossa saúde mental e emocional. Comparar nossos esforços com de outras pessoas em outras realidades nem sempre é o melhor caminho. 

É importante ter cuidado com esse diagnóstico. Principalmente se você está empreendendo. Duvidar do seu negócio, da sua estratégia, das suas motivações e das suas capacidades podem trazer péssimos resultados.

Para mudar esse cenário, comece melhorando sua gestão de tempo. Organize sua agenda e suas tarefas para que elas sejam parte de um planejamento maior e estejam dentro das suas capacidades. 

Peça feedback de seus clientes e reforce com eles a importância do seu negócio. Isso não serve apenas para massagear o seu ego, mas para pavimentar o caminho que você tem percorrido.

Na dúvida, busque um especialista. 

Cuide bem do seu trabalho, do seu negócio e do seu tempo. Esse é o jeito baré de empreender.
 

E quando a síndrome do impostor te pegar?

"A Síndrome do Impostor é uma distorção que faz com que as pessoas pensem que não são competentes, esforçadas, inteligentes"

André Torbey

torbey.andre@gmail.com


Já ouviu falar na Síndrome do Impostor? Para alguns, esse termo pode ser novidade e aqui abrimos o espaço para explicar um pouco sobre esse fenômeno. A Síndrome do Impostor é uma distorção que faz com que as pessoas pensem que não são competentes, esforçadas, inteligentes e comecem a questionar se o resultado é mérito delas mesmas ou se trata de sorte e acaso.

E, por incrível que pareça, existem estudos mostrando que essa síndrome afeta, de alguma forma, 70% dos profissionais bem-sucedidos ao redor do mundo. De celebridades de Hollywood até executivos de grandes empresas. 

Imagine só quanta gente extremamente boa acaba se perdendo em pensamentos negativos e autodestrutivos. E tem mais, independentemente da idade, gênero e cor, estamos todos sujeitos ao impacto de nossos pensamentos.

Se você começou a ler e acha que pode estar passando por isso, existem alguns pontos que podem te ajudar a identificar: 

1. Trabalha muito? Você sente a necessidade de se esforçar mais? Mesmo alcançando bons resultados ainda fica se culpando por que deveria estar fazendo mais coisas.

2. Trabalha de menos? O contrário também pode ser verdadeiro, você acaba trabalhando menos, já pensando no fracasso e por isso prefere poupar energias. Chegar em casa sabendo que poderia ter usado o seu tempo de outra forma é um sinal bem claro dessa situação. 

3. Trabalha pela metade? Outro sinal é quando você precisa fazer muitas coisas e acaba desistindo na metade do caminho. Tarefas incompletas drenam a sua energia e trazem a sensação de que você é incompetente.

4. Fica se comparando com outras? Algo que nos acompanha em toda a vida e que pode trazer prejuízos enormes para a nossa saúde mental e emocional. Comparar nossos esforços com de outras pessoas em outras realidades nem sempre é o melhor caminho. 

É importante ter cuidado com esse diagnóstico. Principalmente se você está empreendendo. Duvidar do seu negócio, da sua estratégia, das suas motivações e das suas capacidades podem trazer péssimos resultados.

Para mudar esse cenário, comece melhorando sua gestão de tempo. Organize sua agenda e suas tarefas para que elas sejam parte de um planejamento maior e estejam dentro das suas capacidades. 

Peça feedback de seus clientes e reforce com eles a importância do seu negócio. Isso não serve apenas para massagear o seu ego, mas para pavimentar o caminho que você tem percorrido.

Na dúvida, busque um especialista. 

Cuide bem do seu trabalho, do seu negócio e do seu tempo. Esse é o jeito baré de empreender.
 

TAG Empreendedorismoandre torbey