Publicidade

André Torbey

Home > Opiniao > Andre-torbey
André Torbey

Datas comemorativas e o empreendedorismo

“O Brasil é um país com muitas datas comemorativas. Datas essas que abrem inúmeras oportunidades para testes de negócios e alavancar resultados”

André Torbey

tornei.andre@gmail.com


O Brasil, além de ser abençoado por Deus e bonito por natureza, é um país com muitas datas comemorativas. Datas essas que abrem inúmeras oportunidades para testes de negócios e alavancar resultados.

 

Algumas destas festas podem trazer o resultado de um ano inteiro de trabalho para quem se prepara, se organiza e consegue tirar bom proveito dos eventos. 

 

A páscoa é uma delas. Afinal de contas, estamos em um país que é um dos principais produtores de chocolate no mundo e nossa população também ocupa as primeiras posições no quesito consumo. 

 

Não sei você, mas frequentemente sou abordado por pessoas que vendem doces, bolos e trufas artesanais. Alguns já tem um negócio estável e outros tem um motivo especifico para fazer as vendas (casamento, formatura, pagar uma dívida, ajudar nas despesas em casa). Isso mostra o quanto esse mercado pode ser amplo e, se você tiver atenção e disposição, o quanto você pode fazer dinheiro nele. 

 

Para começar, é preciso avaliar os custos. Antes de desenvolver o seu produto, pense nos custos associados a ele. Desde a matéria-prima à entrega, da embalagem ao marketing. 

 

A parte mais legal desse tipo de empreendedorismo é que você pode minimizar os impactos desse custo. A matéria-prima poderá, se bem usada, diluída na quantidade de produto final e assim aumentar a margem de lucro. Para isso, você deve fazer uma boa pesquisa de preços e ser criativo, claro. 

 

O marketing também pode crescer com as redes sociais. Pois fica mais “fácil” de divulgar seus produtos. Mas falando de doce, nada supera o bom e velho “boca-a-boca”. 

 

Uma vez que você sabe os custos de produção dá para ter uma ideia de quanto você poderá cobrar pelos produtos. A diferença do preço final para os custos será a sua remuneração. Lembrando que de início, você não precisa formalizar o negócio. Mas com o tempo isso poderá ser mais viável e fundamental para o seu sucesso empreendedor. 

 

Outra coisa a fazer é encontrar uma rede de apoio que serão seus primeiros consumidores. Podem ser seus amigos do trabalho, da escola, da faculdade e da sua rua. Na teoria, é mais fácil vender para os amigos primeiro e eles podem te ajudar com os primeiros feedbacks e te indicar o que fazer para melhorar na qualidade do seu produto. 

 

E, na sequência, você poderá expandir sua rede e atingir os amigos dos amigos e outras pessoas que não estão no seu radar. 

 

O que você acha da ideia? Dá para ganhar dinheiro nessa páscoa? Aproveite a data comemorativa e lance o seu negócio, esse é o jeito baré de empreender. 

 

 

     

Datas comemorativas e o empreendedorismo

“O Brasil é um país com muitas datas comemorativas. Datas essas que abrem inúmeras oportunidades para testes de negócios e alavancar resultados”

André Torbey

tornei.andre@gmail.com


O Brasil, além de ser abençoado por Deus e bonito por natureza, é um país com muitas datas comemorativas. Datas essas que abrem inúmeras oportunidades para testes de negócios e alavancar resultados.

 

Algumas destas festas podem trazer o resultado de um ano inteiro de trabalho para quem se prepara, se organiza e consegue tirar bom proveito dos eventos. 

 

A páscoa é uma delas. Afinal de contas, estamos em um país que é um dos principais produtores de chocolate no mundo e nossa população também ocupa as primeiras posições no quesito consumo. 

 

Não sei você, mas frequentemente sou abordado por pessoas que vendem doces, bolos e trufas artesanais. Alguns já tem um negócio estável e outros tem um motivo especifico para fazer as vendas (casamento, formatura, pagar uma dívida, ajudar nas despesas em casa). Isso mostra o quanto esse mercado pode ser amplo e, se você tiver atenção e disposição, o quanto você pode fazer dinheiro nele. 

 

Para começar, é preciso avaliar os custos. Antes de desenvolver o seu produto, pense nos custos associados a ele. Desde a matéria-prima à entrega, da embalagem ao marketing. 

 

A parte mais legal desse tipo de empreendedorismo é que você pode minimizar os impactos desse custo. A matéria-prima poderá, se bem usada, diluída na quantidade de produto final e assim aumentar a margem de lucro. Para isso, você deve fazer uma boa pesquisa de preços e ser criativo, claro. 

 

O marketing também pode crescer com as redes sociais. Pois fica mais “fácil” de divulgar seus produtos. Mas falando de doce, nada supera o bom e velho “boca-a-boca”. 

 

Uma vez que você sabe os custos de produção dá para ter uma ideia de quanto você poderá cobrar pelos produtos. A diferença do preço final para os custos será a sua remuneração. Lembrando que de início, você não precisa formalizar o negócio. Mas com o tempo isso poderá ser mais viável e fundamental para o seu sucesso empreendedor. 

 

Outra coisa a fazer é encontrar uma rede de apoio que serão seus primeiros consumidores. Podem ser seus amigos do trabalho, da escola, da faculdade e da sua rua. Na teoria, é mais fácil vender para os amigos primeiro e eles podem te ajudar com os primeiros feedbacks e te indicar o que fazer para melhorar na qualidade do seu produto. 

 

E, na sequência, você poderá expandir sua rede e atingir os amigos dos amigos e outras pessoas que não estão no seu radar. 

 

O que você acha da ideia? Dá para ganhar dinheiro nessa páscoa? Aproveite a data comemorativa e lance o seu negócio, esse é o jeito baré de empreender. 

 

 

     

TAG Empreendedorismoandre torbeyartigo