Publicidade

Alessandro Dias

Home > Opiniao > Alessandro-dias
Alessandro Dias

Startups encontram no ‘financiamento coletivo’ a oportunidade para alavancar suas ideias

No Amazonas, é possível encontrar alguns casos de Startups que buscam apoio através de plataformas de crowdfunding, uma das alternativas de financiamento

Alessandro Dias

alessandro.dias@fram.org.br


Como empreendedor, posso dizer por experiência própria que empreender não é uma tarefa fácil e, mesmo que mudanças promissoras estejam acontecendo, ainda está longe de ser. Muitos “empreendedores de palco” conseguem até iludir algumas pessoas com suas frases de efeito do tipo “tudo é possível se você mergulhar de cabeça e coração” ou “com uma boa ideia na cabeça basta acreditar que vai dar certo”, mas, na prática, só quem está vivendo a experiência sabe das dificuldades para manter um negócio em atividade, seja ele do segmento que for.

 

As Startups, é claro, não fogem à regra e vemos um número cada vez maior de negócios inovadores fracassando por motivos diversos. Segundo pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, cerca de 30% das Startups analisadas fecharam as portas no último período e o principal motivo foi a dificuldade de acesso a capital (40%), seguido de obstáculos para entrar no mercado (16%) e divergências entre os sócios (12%).

 

Não deixe que os números sirvam de motivo para te fazer desistir do seu propósito de empreender, mas use-os como alerta e aprendizado, para que nessa jornada a captação de recursos não represente uma dificuldade e que outras alternativas, até mesmo as mais criativas e inusitadas, possam te ajudar a alcançar seus objetivos.

 

 
 




Para quem inicia uma Startup, a primeira opção é usar somente recursos próprios sem recorrer a investidores externos, o chamado Bootstrapping, e a segunda é recorrer a pessoas próximas a você, Família, Amigos e Tolos (em inglês FFF - Family, Friends and Fools), que é uma das formas de conseguir investidores, pois a maioria de seus conhecidos não questionarão a situação de mercado, escalabilidade ou validação de sua Startup para aportar capital. 

 

Outras fontes de capital podem ser investidor-anjo, capital semente, venture capital, subvenções, editais e bolsas que normalmente exige uma fase de maturidade maior de sua Startup.

 

Uma coisa que todo o empreendedor deve levar em consideração é que, independente da forma de captação de recursos escolhida, manter uma rede atualizada de relacionamento e manter contato com outros profissionais é essencial no ecossistema das Startups. 

 

Isso significa não só participar de atividades que estimulem o networking, mas também manter uma comunicação sempre proativa sobre o seu negócio informando potenciais investidores, clientes e pessoas estratégicas sobre ações que sua Startup vem desenvolvendo e obtendo feedbacks de seu público alvo e criando comunidades engajadas em torno de seu negócio.

 

E com base na força de uma comunidade forte e coesa, uma forma alternativa e criativa de investimento de negócios inovadores (no mundo físico ou virtual) vem ganhando cada vez mais força no Brasil, o financiamento coletivo (crowdfunding) conhecido também como vaquinha online.

 

O objetivo do financiamento coletivo é reunir pessoas que possam colaborar com pequenas quantias e, assim, viabilizar a execução de uma ideia, um negócio ou um projeto de apelo popular, recebendo, ou não, uma contrapartida por isto, de uma forma rápida e relativamente simples através de plataformas online.

 

A campanha pode ser criada na modalidade "Tudo ou Nada", onde o criador do projeto define o valor mínimo necessário para seu projeto e o tempo de duração da campanha, caso não atinja a meta, o site devolve todo o dinheiro para os doadores e nenhuma taxa é cobrada. Já na modalidade "Flexível" mesmo que não seja arrecadado o mínimo, ao fim do prazo o dinheiro é entregue ao criador, onde também são cobradas as taxas de cada site.

 

Apesar de não ser obrigatório, campanhas de crowdfunding podem oferecer recompensas em troca de doações. O retorno vai desde a satisfação pessoal de poder contribuir com uma bela causa social, recompensas como agradecimentos em redes sociais ou produtos personalizados até participação financeira no negócio.

 

Podemos definir crowdfunding como o esforço coletivo baseado na economia colaborativa de pessoas que se identificam com o seu projeto (amigos, familiares, clientes e investidores individuais) que colaboram e, juntas, realizam objetivos que antes não poderiam fazer sozinhas. É uma ferramenta poderosa de realização e de engajamento de pessoas.

 

Entre as diversas plataformas de crowdfunding no Brasil, podemos destacar quatro que apresentam uma consolidada atuação e casos de sucesso. Meu conselho é que acesse cada uma delas e veja as formas de funcionamento, condições e regras, pois podem variar bastante.

 

https://www.kickante.com.br/ 

https://www.vakinha.com.br/ 

https://www.catarse.me/ 

https://benfeitoria.com/ 


No Amazonas temos alguns casos de Startups que buscam apoio através de plataformas de crowdfunding. Confira:

 

Meritocracity

 

A Meritocracity é uma govtech que fornece dados e indicadores de desempenho dos servidores públicos para melhorar a qualidade do serviço público e está usando a plataforma Benfeitoria para alcançar seus objetivos e contribuir para um governo mais transparente, dando funcionalidade aos dados abertos e tornando-os acessíveis à sociedade. A primeira etapa foi vencida e eles conseguiram formalizar o registro da empresa e iniciar suas vendas para escalar o produto. 

 

Agora para se conectar com os gestores públicos, a Meritocracity precisa conseguir o Selo Govtech do BrazilLab e assim fazer parte de uma rede de empreendedores que possuem soluções tecnológicas para diversos desafios dos governos, seja na esfera municipal, estadual, federal ou até mesmo no legislativo e judiciário. 

 

Que tal ajudar a Meritocracity a ser a primeira startup do Amazonas a conquistar o Selo Govtech? 

 

Plataforma: Benfeitoria

Meta: R$ 1962,00

Já alcançou: 51%

Prazo: Até 10 de Agosto de 2019

Link: https://benfeitoria.com/meritocracity 


 

WeAction

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o autismo afeta uma em cada 160 crianças no mundo e 80 mil pessoas possuem o transtorno de espectro autista no Amazonas. Com base nesses números, surgiu a WeAction, uma plataforma de educação para o desenvolvimento profissional de Autistas que precisam de uma oportunidade para desenvolver talentos e irem para o mercado de trabalho. 

 

O projeto foi  selecionado no Programa da AWC do Instituto TIM e precisa de ajuda para participar das próximas etapas do programa e desenvolver a ideia.

 

Plataforma: Vakinha

Meta: R$ 1500,00

Já alcançou: 60,33%

Prazo: Até 6 de Setembro de 2019

Link: http://vaka.me/605094

 

House 137

 

 

 
Foto: Divulgação
 

A House 137 Studio, conhecida pela autoria de obras como Amazônidas, Midnight Witch e Orange Road e que já atendeu clientes como Marvel Comics, DC Entertainment e Dynamite Entertainment está com uma campanha para financiar seu novo projeto Full House, uma coletânea de histórias inéditas com 80 páginas ilustradas pela equipe da House 137 Studio e recheadas de extras exclusivos como sketches, notas dos artistas, arte conceitual de personagens e storyboards. Eles ainda estão no início da campanha e ao contribuir você pode optar por diversos tipos de recompensas diferentes. 

 

Plataforma: Vakinha

Meta: R$ 20.000,00

Já alcançou: 8%

Prazo: Até 29 de Setembro de 2019

Link: https://www.catarse.me/users/350284-house-137-studio





 

Se você conhece outras Startups ou projetos inovadores na Amazônia que estão com campanhas em plataformas de crowdfunding entre em contato conosco para que possamos divulgar e ajuda-los a alcançar suas metas.

 

Siga Meetup Amazônia nas Redes Sociais

Facebook.com/MeetupAmazonia

Instagram.com/MeetupAmazonia

 

     

Startups encontram no ‘financiamento coletivo’ a oportunidade para alavancar suas ideias

No Amazonas, é possível encontrar alguns casos de Startups que buscam apoio através de plataformas de crowdfunding, uma das alternativas de financiamento

Alessandro Dias

alessandro.dias@fram.org.br


Como empreendedor, posso dizer por experiência própria que empreender não é uma tarefa fácil e, mesmo que mudanças promissoras estejam acontecendo, ainda está longe de ser. Muitos “empreendedores de palco” conseguem até iludir algumas pessoas com suas frases de efeito do tipo “tudo é possível se você mergulhar de cabeça e coração” ou “com uma boa ideia na cabeça basta acreditar que vai dar certo”, mas, na prática, só quem está vivendo a experiência sabe das dificuldades para manter um negócio em atividade, seja ele do segmento que for.

 

As Startups, é claro, não fogem à regra e vemos um número cada vez maior de negócios inovadores fracassando por motivos diversos. Segundo pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, cerca de 30% das Startups analisadas fecharam as portas no último período e o principal motivo foi a dificuldade de acesso a capital (40%), seguido de obstáculos para entrar no mercado (16%) e divergências entre os sócios (12%).

 

Não deixe que os números sirvam de motivo para te fazer desistir do seu propósito de empreender, mas use-os como alerta e aprendizado, para que nessa jornada a captação de recursos não represente uma dificuldade e que outras alternativas, até mesmo as mais criativas e inusitadas, possam te ajudar a alcançar seus objetivos.

 

 
 




Para quem inicia uma Startup, a primeira opção é usar somente recursos próprios sem recorrer a investidores externos, o chamado Bootstrapping, e a segunda é recorrer a pessoas próximas a você, Família, Amigos e Tolos (em inglês FFF - Family, Friends and Fools), que é uma das formas de conseguir investidores, pois a maioria de seus conhecidos não questionarão a situação de mercado, escalabilidade ou validação de sua Startup para aportar capital. 

 

Outras fontes de capital podem ser investidor-anjo, capital semente, venture capital, subvenções, editais e bolsas que normalmente exige uma fase de maturidade maior de sua Startup.

 

Uma coisa que todo o empreendedor deve levar em consideração é que, independente da forma de captação de recursos escolhida, manter uma rede atualizada de relacionamento e manter contato com outros profissionais é essencial no ecossistema das Startups. 

 

Isso significa não só participar de atividades que estimulem o networking, mas também manter uma comunicação sempre proativa sobre o seu negócio informando potenciais investidores, clientes e pessoas estratégicas sobre ações que sua Startup vem desenvolvendo e obtendo feedbacks de seu público alvo e criando comunidades engajadas em torno de seu negócio.

 

E com base na força de uma comunidade forte e coesa, uma forma alternativa e criativa de investimento de negócios inovadores (no mundo físico ou virtual) vem ganhando cada vez mais força no Brasil, o financiamento coletivo (crowdfunding) conhecido também como vaquinha online.

 

O objetivo do financiamento coletivo é reunir pessoas que possam colaborar com pequenas quantias e, assim, viabilizar a execução de uma ideia, um negócio ou um projeto de apelo popular, recebendo, ou não, uma contrapartida por isto, de uma forma rápida e relativamente simples através de plataformas online.

 

A campanha pode ser criada na modalidade "Tudo ou Nada", onde o criador do projeto define o valor mínimo necessário para seu projeto e o tempo de duração da campanha, caso não atinja a meta, o site devolve todo o dinheiro para os doadores e nenhuma taxa é cobrada. Já na modalidade "Flexível" mesmo que não seja arrecadado o mínimo, ao fim do prazo o dinheiro é entregue ao criador, onde também são cobradas as taxas de cada site.

 

Apesar de não ser obrigatório, campanhas de crowdfunding podem oferecer recompensas em troca de doações. O retorno vai desde a satisfação pessoal de poder contribuir com uma bela causa social, recompensas como agradecimentos em redes sociais ou produtos personalizados até participação financeira no negócio.

 

Podemos definir crowdfunding como o esforço coletivo baseado na economia colaborativa de pessoas que se identificam com o seu projeto (amigos, familiares, clientes e investidores individuais) que colaboram e, juntas, realizam objetivos que antes não poderiam fazer sozinhas. É uma ferramenta poderosa de realização e de engajamento de pessoas.

 

Entre as diversas plataformas de crowdfunding no Brasil, podemos destacar quatro que apresentam uma consolidada atuação e casos de sucesso. Meu conselho é que acesse cada uma delas e veja as formas de funcionamento, condições e regras, pois podem variar bastante.

 

https://www.kickante.com.br/ 

https://www.vakinha.com.br/ 

https://www.catarse.me/ 

https://benfeitoria.com/ 


No Amazonas temos alguns casos de Startups que buscam apoio através de plataformas de crowdfunding. Confira:

 

Meritocracity

 

A Meritocracity é uma govtech que fornece dados e indicadores de desempenho dos servidores públicos para melhorar a qualidade do serviço público e está usando a plataforma Benfeitoria para alcançar seus objetivos e contribuir para um governo mais transparente, dando funcionalidade aos dados abertos e tornando-os acessíveis à sociedade. A primeira etapa foi vencida e eles conseguiram formalizar o registro da empresa e iniciar suas vendas para escalar o produto. 

 

Agora para se conectar com os gestores públicos, a Meritocracity precisa conseguir o Selo Govtech do BrazilLab e assim fazer parte de uma rede de empreendedores que possuem soluções tecnológicas para diversos desafios dos governos, seja na esfera municipal, estadual, federal ou até mesmo no legislativo e judiciário. 

 

Que tal ajudar a Meritocracity a ser a primeira startup do Amazonas a conquistar o Selo Govtech? 

 

Plataforma: Benfeitoria

Meta: R$ 1962,00

Já alcançou: 51%

Prazo: Até 10 de Agosto de 2019

Link: https://benfeitoria.com/meritocracity 


 

WeAction

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o autismo afeta uma em cada 160 crianças no mundo e 80 mil pessoas possuem o transtorno de espectro autista no Amazonas. Com base nesses números, surgiu a WeAction, uma plataforma de educação para o desenvolvimento profissional de Autistas que precisam de uma oportunidade para desenvolver talentos e irem para o mercado de trabalho. 

 

O projeto foi  selecionado no Programa da AWC do Instituto TIM e precisa de ajuda para participar das próximas etapas do programa e desenvolver a ideia.

 

Plataforma: Vakinha

Meta: R$ 1500,00

Já alcançou: 60,33%

Prazo: Até 6 de Setembro de 2019

Link: http://vaka.me/605094

 

House 137

 

 

 
Foto: Divulgação
 

A House 137 Studio, conhecida pela autoria de obras como Amazônidas, Midnight Witch e Orange Road e que já atendeu clientes como Marvel Comics, DC Entertainment e Dynamite Entertainment está com uma campanha para financiar seu novo projeto Full House, uma coletânea de histórias inéditas com 80 páginas ilustradas pela equipe da House 137 Studio e recheadas de extras exclusivos como sketches, notas dos artistas, arte conceitual de personagens e storyboards. Eles ainda estão no início da campanha e ao contribuir você pode optar por diversos tipos de recompensas diferentes. 

 

Plataforma: Vakinha

Meta: R$ 20.000,00

Já alcançou: 8%

Prazo: Até 29 de Setembro de 2019

Link: https://www.catarse.me/users/350284-house-137-studio





 

Se você conhece outras Startups ou projetos inovadores na Amazônia que estão com campanhas em plataformas de crowdfunding entre em contato conosco para que possamos divulgar e ajuda-los a alcançar suas metas.

 

Siga Meetup Amazônia nas Redes Sociais

Facebook.com/MeetupAmazonia

Instagram.com/MeetupAmazonia

 

     

TAG startupstartups na amazoniainovacaoEmpreendedorismoAlessandro Dias