Publicidade

Saúde

Visando o carnaval, Hemoam prepara eventos para doação de sangue

Além do Vampirão e do atendimento na sede do órgão, localizado na Av. Constantino Nery, os profissionais atuam através das redes sociais


Carnaval, época de folia e diversão, mas também é um momento crítico para os hospitais da capital. Visando a necessidade de aumentar o estoque de sangue da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), a diretoria do órgão criou ações especiais. Na sede do Grupo Rede Amazônica, por exemplo, o Vampirão, a Unidade Móvel do Hemoam, estacionou nesta terça-feira, (22), em busca de novos doadores.

A responsável pela unidade, a subgerente de Coleta Externa do Hemoam, Eleonora Araújo, falou da importância de ações no mês de fevereiro. "É um período crítico, por isso, a nossa equipe intensificou o número de eventos para doação de sangue. Temos uma grande parceria com os meios de comunicação da capital, então, a Rede Amazônica nos chamou para uma ação interna", explicou. 
 

 
Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia
 
As ações do Hemoam acontecem em todas as áreas da cidade, além do Vampirão e do atendimento na sede do órgão, localizado na Av. Constantino Nery, os profissionais atuam através das redes sociais para conscientizar os jovens doadores. “Vamos também nos hospitais conversar com os parentes dos pacientes, pois, eles podem realizar a doação. Até mesmo, nós, os funcionários do Hemoam doamos o nosso sangue”, contou Eleonora.

De acordo com a profissional, cerca de 2% da população amazonense doa sangue, e por mais que o número pareça pequeno, ela afirma que é suficiente para abastecer os hospitais. “Infelizmente, temos um limite de doações, caso contrário, o sangue pode estragar. Queremos deixar o nosso estoque preparado para as festividades do Carnaval, e se esse 2% se mobilizar, a meta será batida”, garantiu. 
 
 
Vampirão no estacionamento do Grupo Rede Amazônica. Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia
 

Pela primeira vez

Alguns funcionários do Grupo Rede Amazônica realizaram a doação pela primeira vez, como o caso da analista de programação, Camila Romano. "É uma experiência histórica, nunca tive a oportunidade de doar, e estou consciente que não estou doando apenas sangue, para algumas pessoas o sangue é vida", disse.

O jovem Rodrigo Silva, da área de programação da Rede Amazônica, quer conscientizar as pessoas através da doação. "Não é um bicho de sete cabeças, o processo é simples e indolor. Quero dar exemplo para quem tem medo de doar sangue", afirmou. Quem também esperava ansioso na fila era o estagiário da Fundação Rede Amazônica, Anderson Almeida. "Sempre tem gente que precisa, ainda mais no Carnaval. Decidi fazer a minha parte e espero me tomar doador", revelou. 
 

 
Funcionários da Rede Amazônica doam sangue. Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia
 
Quem pode doar?

O Ministério da Saúde recomenda que o doador compareça à unidade portando um documento oficial com foto, tenha mais de 50 quilos, esteja em bom estado de saúde, tenha tido uma boa noite de sono e uma alimentação saudável.

Homens podem fazer até quatro doações anuais, com prazo de dois meses entre cada uma. Já as mulheres podem fazer três doações por ano, com um espaço de quatro meses. Os candidatos precisam ter a partir de 16 a 69 anos, 11 meses e 29 dias.

Em cada coleta é retirado um volume aproximado de até 450 ml de sangue. Recomenda-se, nas primeiras horas pós-doação, descanso, evitar atividade física e ingestão de bebida alcoólica.

Em Manaus, é possível doar sangue em dois pontosl: na Maternidade Ana Braga, na Avenida Alameda Cosme Ferreira – Aleixo, com funcionamento de segunda a sexta, das 7h às 13h30; e na Fundação Hemoam, Avenida Constantino Nery – Chapada, de segunda a sábado, das 7h às 18h.

Saúde

Home > Noticias > null

Visando o carnaval, Hemoam prepara eventos para doação de sangue

Além do Vampirão e do atendimento na sede do órgão, localizado na Av. Constantino Nery, os profissionais atuam através das redes sociais

Diego Oliveira

jornalismo@portalamazonia.com


Carnaval, época de folia e diversão, mas também é um momento crítico para os hospitais da capital. Visando a necessidade de aumentar o estoque de sangue da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), a diretoria do órgão criou ações especiais. Na sede do Grupo Rede Amazônica, por exemplo, o Vampirão, a Unidade Móvel do Hemoam, estacionou nesta terça-feira, (22), em busca de novos doadores.

A responsável pela unidade, a subgerente de Coleta Externa do Hemoam, Eleonora Araújo, falou da importância de ações no mês de fevereiro. "É um período crítico, por isso, a nossa equipe intensificou o número de eventos para doação de sangue. Temos uma grande parceria com os meios de comunicação da capital, então, a Rede Amazônica nos chamou para uma ação interna", explicou. 
 

 
Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia
 
As ações do Hemoam acontecem em todas as áreas da cidade, além do Vampirão e do atendimento na sede do órgão, localizado na Av. Constantino Nery, os profissionais atuam através das redes sociais para conscientizar os jovens doadores. “Vamos também nos hospitais conversar com os parentes dos pacientes, pois, eles podem realizar a doação. Até mesmo, nós, os funcionários do Hemoam doamos o nosso sangue”, contou Eleonora.

De acordo com a profissional, cerca de 2% da população amazonense doa sangue, e por mais que o número pareça pequeno, ela afirma que é suficiente para abastecer os hospitais. “Infelizmente, temos um limite de doações, caso contrário, o sangue pode estragar. Queremos deixar o nosso estoque preparado para as festividades do Carnaval, e se esse 2% se mobilizar, a meta será batida”, garantiu. 
 
 
Vampirão no estacionamento do Grupo Rede Amazônica. Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia
 

Pela primeira vez

Alguns funcionários do Grupo Rede Amazônica realizaram a doação pela primeira vez, como o caso da analista de programação, Camila Romano. "É uma experiência histórica, nunca tive a oportunidade de doar, e estou consciente que não estou doando apenas sangue, para algumas pessoas o sangue é vida", disse.

O jovem Rodrigo Silva, da área de programação da Rede Amazônica, quer conscientizar as pessoas através da doação. "Não é um bicho de sete cabeças, o processo é simples e indolor. Quero dar exemplo para quem tem medo de doar sangue", afirmou. Quem também esperava ansioso na fila era o estagiário da Fundação Rede Amazônica, Anderson Almeida. "Sempre tem gente que precisa, ainda mais no Carnaval. Decidi fazer a minha parte e espero me tomar doador", revelou. 
 

 
Funcionários da Rede Amazônica doam sangue. Foto: Diego Oliveira/Portal Amazônia
 
Quem pode doar?

O Ministério da Saúde recomenda que o doador compareça à unidade portando um documento oficial com foto, tenha mais de 50 quilos, esteja em bom estado de saúde, tenha tido uma boa noite de sono e uma alimentação saudável.

Homens podem fazer até quatro doações anuais, com prazo de dois meses entre cada uma. Já as mulheres podem fazer três doações por ano, com um espaço de quatro meses. Os candidatos precisam ter a partir de 16 a 69 anos, 11 meses e 29 dias.

Em cada coleta é retirado um volume aproximado de até 450 ml de sangue. Recomenda-se, nas primeiras horas pós-doação, descanso, evitar atividade física e ingestão de bebida alcoólica.

Em Manaus, é possível doar sangue em dois pontosl: na Maternidade Ana Braga, na Avenida Alameda Cosme Ferreira – Aleixo, com funcionamento de segunda a sexta, das 7h às 13h30; e na Fundação Hemoam, Avenida Constantino Nery – Chapada, de segunda a sábado, das 7h às 18h.

TAG manausamazonasdoacao de sanguevampiraocarnaval