Cidades

Vazante histórica do rio Branco chega a menos 57 cm em Boa Vista

Boletim de monitoramento do CPRM aponta, no entanto, que o nível do rio está em processo de enchente

Portal Amazônia, com informações do CPRM


Foto: Reynesson Damasceno/Prefeitura de Boa VistaMANAUS - Em Boa Vista, Roraima, o rio Branco segue em vazante histórica e atingiu a cota mínima de menos 57 centímetros entre os dias 8 e 14 deste mês. Entretanto, segundo o 6° boletim de monitoramento hidrológico divulgado nesta terça-feira (23) pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o rio já está no início do processo de subida. A maior vazante registrada na capital de Roraima havia sido em 2015, quando o nível do rio chegou a menos 2 centímetros. A situação, segundo o órgão, é preocupante para a vazante deste ano.Rio NegroNo Porto de Manaus, o nível do rio Negro diminuiu o ritmo descida. Nos últimos cinco dias, baixou 4 cm. De acordo com o boletim, vale ressaltar que o processo de vazante "é pouco comum nesse período e parece acompanhar a descida de nível que tem ocorrido no Solimões nas últimas semanas". "Em São Gabriel da Cachoeira, no alto rio Negro, o rio apresentava estado crítico de vazante e subiu 1,39 cm nos últimos 12 dias", destaca. A cota mínima desse ano, de 3,87 metros, ocorreu em 10 de fevereiro, o que o tornou o quinto evento mais extremo de vazante desde o início do monitoramento da estação, em 1982.Bacias amazônicasA Bacia do Javari segue período de enchente. Já a do Purus apresenta níveis baixos para esta época do ano. No rio Solimões as cotas indicam o fim do processo atípico de vazante que ocorria nas últimas semanas. Nas estações de Tabatinga e Fonte Boa, o rio já subiu 3,91 m e 1,21 m, respectivamente. As Bacias do Amazonas e do Madeira apresentam níveis abaixo da média.

Cidades

Home > Noticias > null

Vazante histórica do rio Branco chega a menos 57 cm em Boa Vista

Boletim de monitoramento do CPRM aponta, no entanto, que o nível do rio está em processo de enchente

Portal Amazônia, com informações do CPRM


Foto: Reynesson Damasceno/Prefeitura de Boa VistaMANAUS - Em Boa Vista, Roraima, o rio Branco segue em vazante histórica e atingiu a cota mínima de menos 57 centímetros entre os dias 8 e 14 deste mês. Entretanto, segundo o 6° boletim de monitoramento hidrológico divulgado nesta terça-feira (23) pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o rio já está no início do processo de subida. A maior vazante registrada na capital de Roraima havia sido em 2015, quando o nível do rio chegou a menos 2 centímetros. A situação, segundo o órgão, é preocupante para a vazante deste ano.Rio NegroNo Porto de Manaus, o nível do rio Negro diminuiu o ritmo descida. Nos últimos cinco dias, baixou 4 cm. De acordo com o boletim, vale ressaltar que o processo de vazante "é pouco comum nesse período e parece acompanhar a descida de nível que tem ocorrido no Solimões nas últimas semanas". "Em São Gabriel da Cachoeira, no alto rio Negro, o rio apresentava estado crítico de vazante e subiu 1,39 cm nos últimos 12 dias", destaca. A cota mínima desse ano, de 3,87 metros, ocorreu em 10 de fevereiro, o que o tornou o quinto evento mais extremo de vazante desde o início do monitoramento da estação, em 1982.Bacias amazônicasA Bacia do Javari segue período de enchente. Já a do Purus apresenta níveis baixos para esta época do ano. No rio Solimões as cotas indicam o fim do processo atípico de vazante que ocorria nas últimas semanas. Nas estações de Tabatinga e Fonte Boa, o rio já subiu 3,91 m e 1,21 m, respectivamente. As Bacias do Amazonas e do Madeira apresentam níveis abaixo da média.

TAG