Publicidade

Cidades

Home > Noticias > null

Vaticano financiará primeira igreja indígena da Amazônia para povo Yanomami

Obras devem ser iniciadas no segundo semestre de 2020

Portal Amazônia, com informações da ANSA

jornalismo@portalamazonia.com


O Vaticano está financiando a construção da primeira igreja indígena, localizada no coração da Floresta Amazônica, na região de Maturacá, próximo ao Pico da Neblina, norte do estado do Amazonas.
 
Foto:Divulgação/Creatos Arquitetura
 

Batizada de Igreja Matriz Nossa Senhora de Lourdes, em razão da devoção dos índios a Nossa Senhora, a estrutura receberá fiéis da comunidade indígena Yanomami.


O projeto foi realizado de graça por dois arquitetos paranaenses, Tobias Bonk e Teresa Cavaco. Com capacidade para cerca de 500 pessoas, a estrutura será circular, com 32 metros de diâmetro, e terá 25 metros de altura, 875,49 m² e oito lados, paredes que permitirão ventilação.


A previsão é de que as obras sejam iniciadas no segundo semestre de 2020. De acordo com o padre Thiago Faccini, assessor do setor de espaço litúrgico na Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em entrevista ao Portal G1, a expectativa é de que pelo menos cinco mil indígenas sejam beneficiados com a construção.
 
Foto:Divulgação/Creatos Arquitetura
 

Na entrevista, o religioso afirma que o projeto pretende “servir como uma luz no meio da Amazônia”. “É esperança, é fé no amanhã”, relatou.


O pedido para a construção da catedral foi feito pelos próprios índios Yanomami ao arcebispo italiano Dom Giovanni D’Aniello e ao bispo de São Gabriel da Cachoeira, Dom Edson Damian. Depois disso, Damian fez a solicitação à CNBB, que acionou os arquitetos.


Segundo relato de Bonk, também publicado no G1, a iniciativa passou pelas mãos do papa Francisco e, no começo deste ano, foi aprovada. Além disso, há cerca de um mês, o Vaticano já repassou parte do valor da obra para as autoridades católicas.


A estimativa inicial é de que a construção seja avaliada em R$800 mil. O valor, no entanto, poderá aumentar em decorrência de projetos complementares.


O esboço já foi apresentado oficialmente no 12º Encontro Nacional de Arquitetura e Arte Sacra, realizado em Castanhal, no Pará.
 
Foto:Divulgação/Creatos Arquitetura
 

Segundo relato de Bonk, em entrevista ao Portal G1, a iniciativa passou pelas mãos do papa Francisco e, no começo deste ano, foi aprovada. Além disso, há cerca de um mês, o Vaticano já repassou parte do valor da obra para as autoridades católicas.


A estimativa inicial é de que a construção seja avaliada em R$800 mil. O valor, no entanto, poderá aumentar em decorrência de projetos complementares.


O esboço já foi apresentado oficialmente no 12o Encontro Nacional de Arquitetura e Arte Sacra, realizado em Castanhal, no Pará.


     
Cidades

Vaticano financiará primeira igreja indígena da Amazônia para povo Yanomami

Obras devem ser iniciadas no segundo semestre de 2020

Portal Amazônia, com informações da ANSA

jornalismo@portalamazonia.com


O Vaticano está financiando a construção da primeira igreja indígena, localizada no coração da Floresta Amazônica, na região de Maturacá, próximo ao Pico da Neblina, norte do estado do Amazonas.
 
Foto:Divulgação/Creatos Arquitetura
 

Batizada de Igreja Matriz Nossa Senhora de Lourdes, em razão da devoção dos índios a Nossa Senhora, a estrutura receberá fiéis da comunidade indígena Yanomami.


O projeto foi realizado de graça por dois arquitetos paranaenses, Tobias Bonk e Teresa Cavaco. Com capacidade para cerca de 500 pessoas, a estrutura será circular, com 32 metros de diâmetro, e terá 25 metros de altura, 875,49 m² e oito lados, paredes que permitirão ventilação.


A previsão é de que as obras sejam iniciadas no segundo semestre de 2020. De acordo com o padre Thiago Faccini, assessor do setor de espaço litúrgico na Comissão Episcopal Pastoral para Liturgia na Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em entrevista ao Portal G1, a expectativa é de que pelo menos cinco mil indígenas sejam beneficiados com a construção.
 
Foto:Divulgação/Creatos Arquitetura
 

Na entrevista, o religioso afirma que o projeto pretende “servir como uma luz no meio da Amazônia”. “É esperança, é fé no amanhã”, relatou.


O pedido para a construção da catedral foi feito pelos próprios índios Yanomami ao arcebispo italiano Dom Giovanni D’Aniello e ao bispo de São Gabriel da Cachoeira, Dom Edson Damian. Depois disso, Damian fez a solicitação à CNBB, que acionou os arquitetos.


Segundo relato de Bonk, também publicado no G1, a iniciativa passou pelas mãos do papa Francisco e, no começo deste ano, foi aprovada. Além disso, há cerca de um mês, o Vaticano já repassou parte do valor da obra para as autoridades católicas.


A estimativa inicial é de que a construção seja avaliada em R$800 mil. O valor, no entanto, poderá aumentar em decorrência de projetos complementares.


O esboço já foi apresentado oficialmente no 12º Encontro Nacional de Arquitetura e Arte Sacra, realizado em Castanhal, no Pará.
 
Foto:Divulgação/Creatos Arquitetura
 

Segundo relato de Bonk, em entrevista ao Portal G1, a iniciativa passou pelas mãos do papa Francisco e, no começo deste ano, foi aprovada. Além disso, há cerca de um mês, o Vaticano já repassou parte do valor da obra para as autoridades católicas.


A estimativa inicial é de que a construção seja avaliada em R$800 mil. O valor, no entanto, poderá aumentar em decorrência de projetos complementares.


O esboço já foi apresentado oficialmente no 12o Encontro Nacional de Arquitetura e Arte Sacra, realizado em Castanhal, no Pará.


     

TAG YanomamiamazonasPico da NeblinaIgreja Catolicaigreja nossa senhora lurdes