Publicidade

Saúde

Vacina contra a Influenza já chegou a 48 municípios do Amazonas

Serão 1.535 salas de imunização abertas nos 62 municípios, das quais 183 em Manaus


A Campanha de Vacinação contra a Influenza (gripe) no Amazonas teve início nesta quarta-feira (20), por conta de um surto da doença no Estado. Até o momento, 48 municípios já receberam as doses da vacina. Em coletiva de imprensa, nessa terça-feira (19), o governador do Estado, Wilson Lima, afirmou que todos os municípios terão as doses da vacina até sexta-feira (22).

Serão 1.535 salas de imunização abertas nos 62 municípios, das quais 183 em Manaus. Na capital, a vacinação acontecerá nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da prefeitura, no Parque do Idoso, na sede da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI) e nas Centrais de Distribuição do Leite do Meu Filho. Vale destacar que, 20 UBSs funcionarão com horário diferenciado e outras dez terão horário ampliado.

Saiba onde você pode se vacinar em Manaus

Segundo o prefeito Arthur Virgílio Neto, a meta da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) é vacinar 90% do público alvo da capital, que é de 455.083. As unidades de vacina da capital que estarão realizando a vacinação já estão mapeadas no sistema de georreferenciamento da prefeitura e podem ser acessadas no link - http://bit.ly/SalasVacinaInfluenzaMar19.

A Susam também abrirá salas de vacina nos 12 Centros de Atenção Integral à Criança (CAIC) e três Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (CAIMI), de 8 às 17h, para seus públicos específicos. No interior, além das UBSs, cada uma das 61 prefeituras definirá suas salas de imunização.

Em todo o Amazonas, a meta da campanha é imunizar um milhão de pessoas, obedecendo o grupo prioritário determinado pelo Ministério da Saúde. O titular da Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, que está em Manaus para o lançamento da campanha, enfatizou que a vacina é uma estratégia importante, mas não é destinada a evitar a circulação do vírus, mas sim para evitar que casos graves e óbitos ocorram nos grupos prioritários.

“Esses grupos foram estabelecidos com base em estudos. Juntamente com isso é analisada a capacidade de produção, logística e distribuição. Obviamente que, tendo possibilidades, nós faremos a revisão. Temos um grupo técnico que estabelece esses critérios, que são discutidos com a Organização Mundial da Saúde. Temos que reiterar que a vacina não é o único instrumento, nós temos as medidas não farmacológicas que são tão importantes quanto a vacinação”, alertou Wanderson.

O público alvo é formado por crianças de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, profissionais de saúde e educação da rede pública e privada, indígenas, idosos com mais de 60 anos, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis; as portadoras de outras condições clínicas especiais como doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Edward, Síndrome de Patau, Síndrome de Warkany).

 
Foto: Arquivo/Agência Brasil

  Dia D

O “Dia D” de vacinação contra a Influenza será 30 de março, quando acontece uma grande mobilização para a intensificação da campanha, conforme anunciado na última segunda-feira,18/02, durante a reunião extraordinária do Comitê Intersetorial de Enfrentamento à H1N1, composto por órgãos do governo, da Prefeitura de Manaus, Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS- AM), Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e órgãos de segurança, que passaram a integrar o colegiado.

De acordo com o prefeito de Manaus, Arthur Neto, serão disponibilizados 681 postos de vacinação em toda as zonas da capital, com 3.040 profissionais de saúde envolvidos. “Serão muitos corações envolvidos nessa grande mobilização contra o vírus H1N1 e não vejo outra forma de fazer isso senão em trabalho conjunto. Vamos mostrar, fortemente, como nosso povo, na capital e interior, é capaz de participar e enfrentar esse problema”, afirmou Arthur Neto.

Documentação

Para receber a dose da vacina, é importante levar o Cartão de Vacinação e um documento de identificação. Pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais deverão apresentar, também, prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica. Para os profissionais do público prioritário, basta apresentar o contracheque ou crachá.

O Governo do Estado e a Prefeitura de Manaus irão aproveitar a Campanha de Vacinação contra a Influenza para a atualização das outras vacinas.

Segurança

O Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP-AM) atuará integrado à campanha. O aparato tecnológico do CICC ficará disponível em prol da vigilância das unidades, além do reforço do policiamento ostensivo. A parceria que visa garantir a segurança dos usuários e profissionais de saúde com a intensificação das rondas policiais nas imediações das UBSs que receberão os grupos prioritários para vacinação, que também terá a participação da Guarda Municipal, por meio do Grupo de Gestão Integrada Municipal (GGIM) no patrulhamento.

Números

De acordo com a última edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Estado do Amazonas, atualizada na tarde de segunda-feira, pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), foram notificados 666 casos, sendo 107 positivos para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 96 para Vírus Sincicial Respiratório (SRV).

São 27 óbitos por H1N1 no Estado, sendo 22 em Manaus, dois em Manacapuru, um em Parintins, um em Itacoatiara e um em Japurá. Ainda segundo o boletim, são seis óbitos confirmados por Vírus Sincicial Respiratório, sendo cinco de Manaus e um de Borba, além de um óbito em Manaus por Parainfluenza tipo 3.

Em relação aos pacientes que evoluíram para óbitos, dos 34 ocorridos neste período, entre fevereiro e março, 72% faziam parte de grupo de risco mais vulnerável para formas graves, com destaque para crianças menores de cinco anos, idosos, pessoas com diabetes, pneumopatas, pessoas com obesidade e neuropatas. Apenas 60% dos pacientes que evoluíram para óbito utilizaram em algum momento do atendimento o antiviral oferecido gratuitamente na rede pública e particular da capital e do interior.

Histórico sobre a vacina

A campanha de vacinação contra a Influenza é ofertada pelo Ministério da Saúde desde 1999, para público prioritário seguindo critérios epidemiológicos para definição de risco, entres eles pessoas que apresentam o sistema imunológico comprometido e desta forma podem ter a evolução rápida para o quadro de síndrome respiratória aguda grave e alguns casos levar à morte.

 

Saúde

Home > Noticias > null

Vacina contra a Influenza já chegou a 48 municípios do Amazonas

Serão 1.535 salas de imunização abertas nos 62 municípios, das quais 183 em Manaus

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


A Campanha de Vacinação contra a Influenza (gripe) no Amazonas teve início nesta quarta-feira (20), por conta de um surto da doença no Estado. Até o momento, 48 municípios já receberam as doses da vacina. Em coletiva de imprensa, nessa terça-feira (19), o governador do Estado, Wilson Lima, afirmou que todos os municípios terão as doses da vacina até sexta-feira (22).

Serão 1.535 salas de imunização abertas nos 62 municípios, das quais 183 em Manaus. Na capital, a vacinação acontecerá nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da prefeitura, no Parque do Idoso, na sede da Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI) e nas Centrais de Distribuição do Leite do Meu Filho. Vale destacar que, 20 UBSs funcionarão com horário diferenciado e outras dez terão horário ampliado.

Saiba onde você pode se vacinar em Manaus

Segundo o prefeito Arthur Virgílio Neto, a meta da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) é vacinar 90% do público alvo da capital, que é de 455.083. As unidades de vacina da capital que estarão realizando a vacinação já estão mapeadas no sistema de georreferenciamento da prefeitura e podem ser acessadas no link - http://bit.ly/SalasVacinaInfluenzaMar19.

A Susam também abrirá salas de vacina nos 12 Centros de Atenção Integral à Criança (CAIC) e três Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (CAIMI), de 8 às 17h, para seus públicos específicos. No interior, além das UBSs, cada uma das 61 prefeituras definirá suas salas de imunização.

Em todo o Amazonas, a meta da campanha é imunizar um milhão de pessoas, obedecendo o grupo prioritário determinado pelo Ministério da Saúde. O titular da Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde, Wanderson Kleber de Oliveira, que está em Manaus para o lançamento da campanha, enfatizou que a vacina é uma estratégia importante, mas não é destinada a evitar a circulação do vírus, mas sim para evitar que casos graves e óbitos ocorram nos grupos prioritários.

“Esses grupos foram estabelecidos com base em estudos. Juntamente com isso é analisada a capacidade de produção, logística e distribuição. Obviamente que, tendo possibilidades, nós faremos a revisão. Temos um grupo técnico que estabelece esses critérios, que são discutidos com a Organização Mundial da Saúde. Temos que reiterar que a vacina não é o único instrumento, nós temos as medidas não farmacológicas que são tão importantes quanto a vacinação”, alertou Wanderson.

O público alvo é formado por crianças de 6 meses a 5 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, profissionais de saúde e educação da rede pública e privada, indígenas, idosos com mais de 60 anos, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis; as portadoras de outras condições clínicas especiais como doença respiratória crônica, doença cardíaca crônica, doença renal crônica, doença hepática crônica, doença neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesos, transplantados e portadores de trissomias (Síndrome de Down, Síndrome de Edward, Síndrome de Patau, Síndrome de Warkany).

 
Foto: Arquivo/Agência Brasil

  Dia D

O “Dia D” de vacinação contra a Influenza será 30 de março, quando acontece uma grande mobilização para a intensificação da campanha, conforme anunciado na última segunda-feira,18/02, durante a reunião extraordinária do Comitê Intersetorial de Enfrentamento à H1N1, composto por órgãos do governo, da Prefeitura de Manaus, Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS- AM), Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e órgãos de segurança, que passaram a integrar o colegiado.

De acordo com o prefeito de Manaus, Arthur Neto, serão disponibilizados 681 postos de vacinação em toda as zonas da capital, com 3.040 profissionais de saúde envolvidos. “Serão muitos corações envolvidos nessa grande mobilização contra o vírus H1N1 e não vejo outra forma de fazer isso senão em trabalho conjunto. Vamos mostrar, fortemente, como nosso povo, na capital e interior, é capaz de participar e enfrentar esse problema”, afirmou Arthur Neto.

Documentação

Para receber a dose da vacina, é importante levar o Cartão de Vacinação e um documento de identificação. Pessoas com doenças crônicas ou com outras condições clínicas especiais deverão apresentar, também, prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receberem a dose, sem necessidade de prescrição médica. Para os profissionais do público prioritário, basta apresentar o contracheque ou crachá.

O Governo do Estado e a Prefeitura de Manaus irão aproveitar a Campanha de Vacinação contra a Influenza para a atualização das outras vacinas.

Segurança

O Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP-AM) atuará integrado à campanha. O aparato tecnológico do CICC ficará disponível em prol da vigilância das unidades, além do reforço do policiamento ostensivo. A parceria que visa garantir a segurança dos usuários e profissionais de saúde com a intensificação das rondas policiais nas imediações das UBSs que receberão os grupos prioritários para vacinação, que também terá a participação da Guarda Municipal, por meio do Grupo de Gestão Integrada Municipal (GGIM) no patrulhamento.

Números

De acordo com a última edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Estado do Amazonas, atualizada na tarde de segunda-feira, pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), foram notificados 666 casos, sendo 107 positivos para o Vírus da Influenza A (H1N1) e 96 para Vírus Sincicial Respiratório (SRV).

São 27 óbitos por H1N1 no Estado, sendo 22 em Manaus, dois em Manacapuru, um em Parintins, um em Itacoatiara e um em Japurá. Ainda segundo o boletim, são seis óbitos confirmados por Vírus Sincicial Respiratório, sendo cinco de Manaus e um de Borba, além de um óbito em Manaus por Parainfluenza tipo 3.

Em relação aos pacientes que evoluíram para óbitos, dos 34 ocorridos neste período, entre fevereiro e março, 72% faziam parte de grupo de risco mais vulnerável para formas graves, com destaque para crianças menores de cinco anos, idosos, pessoas com diabetes, pneumopatas, pessoas com obesidade e neuropatas. Apenas 60% dos pacientes que evoluíram para óbito utilizaram em algum momento do atendimento o antiviral oferecido gratuitamente na rede pública e particular da capital e do interior.

Histórico sobre a vacina

A campanha de vacinação contra a Influenza é ofertada pelo Ministério da Saúde desde 1999, para público prioritário seguindo critérios epidemiológicos para definição de risco, entres eles pessoas que apresentam o sistema imunológico comprometido e desta forma podem ter a evolução rápida para o quadro de síndrome respiratória aguda grave e alguns casos levar à morte.

 

TAG vacinacao gripe influenzainfluenzah1n1 manaus