Publicidade

Cidades

Tráfego na rodovia BR-163, no Pará, pode ser liberado ainda esta semana, diz Dnit

Trabalhos de manutenção são realizados em trecho intransitável da estrada, afetado por atoleiros provocados pelas chuvas desde o último final de semana


Com o auxílio do Exército e da Polícia Rodoviária Federal, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) prevê a liberação do tráfego na rodovia BR-163, no Pará, até a próxima sexta-feira (3). Um trecho da estrada, entre os municípios paraenses de Trairão e Novo Progresso, está intransitável por causa de atoleiros provocados pelas chuvas desde o último final de semana. Ainda de acordo com o Dnit, os trabalhos concentrados em pontos de retenção entre a BR-163 e BR-230, permitiram a liberação de parte do tráfego no sentido Sul (para Mato Grosso) a partir da madrugada desta terça-feira (28).
 
Foto: Reprodução/Agência Pará
 
Segundo o Dnit, caso as condições meteorológicas sejam favoráveis, a expectativa é de liberação total do tráfego nos próximos dias, com a recuperação de pontos isolados em um segmento de aproximadamente 37 quilômetros (km) localizado entre as comunidades de Santa Luzia e Bela Vista do Caracol.

Nesta segunda-feira (27), o Governo do Pará criou uma força-tarefa para ajudar a tirar milhares de caminhões presos em atoleiros que formam um engarrafamento de mais de 50 km no Estado. A situação também despertou reações do Governo do Mato Grosso que divulgou nota dizendo que a situação prejudica o escoamento da safra de milho e soja mato-grossense. O Dnit diz que a ação das forças de segurança mantém a ordem e as condições necessárias para que os materiais de reparo da rodovia cheguem aos pontos críticos e em volumes suficientes. "Estas forças organizam a disposição dos veículos ao longo da pista, de modo a desfazerem as filas duplas para permitir a passagem das equipes de manutenção. As equipes do Dnit estão trabalhando em duas frentes, simultaneamente: nas proximidades da Comunidade Jamanxim e próximo à Vila Santa Luzia", explica o órgão.
Ministério dos Transportes acompanha a situação

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, receberá, nesta quinta-feira (2), representantes dos produtores de soja, responsáveis pela maior parte do volume de grãos transportados pela rota da BR-163 em direção aos portos do Norte do país (AMAGGI, ADM, CARGIL, BUNGER e COFCO). O objetivo será definir a estratégia logística que garanta a manutenção da trafegabilidade ao longo da rodovia durante o chamado inverno amazônico e o conseqüente escoamento da produção agrícola. Por outro lado, o diretor geral do Dnit, Valter Casimiro Silveira, estará no Pará a partir do dia 3 de março, para inspecionar a realização dos serviços emergenciais na rodovia.

Trabalhos

Segundo o Dnit, dos 1.006 km da BR-163 no Pará, faltam 100 km para serem asfaltados, ou seja, 90% estão concluídos. Em 2016, foram asfaltados 20 km. Com a atuação do Dnit na pavimentação, foi solucionada parte dos pontos críticos da BR-163 e BR-230: a Serra do Caracol e a chegada ao porto de Miritituba, conhecida como Top Miritituba. O trecho da BR-163 onde se verificaram os pontos críticos devido às chuvas será pavimentado este ano. O órgão diz que a meta é asfaltar 60 km da rodovia em 2017. A previsão de conclusão do asfaltamento de toda a BR-163 no Pará é 2018.

Cidades

Home > Noticias > null

Tráfego na rodovia BR-163, no Pará, pode ser liberado ainda esta semana, diz Dnit

Trabalhos de manutenção são realizados em trecho intransitável da estrada, afetado por atoleiros provocados pelas chuvas desde o último final de semana

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


Com o auxílio do Exército e da Polícia Rodoviária Federal, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) prevê a liberação do tráfego na rodovia BR-163, no Pará, até a próxima sexta-feira (3). Um trecho da estrada, entre os municípios paraenses de Trairão e Novo Progresso, está intransitável por causa de atoleiros provocados pelas chuvas desde o último final de semana. Ainda de acordo com o Dnit, os trabalhos concentrados em pontos de retenção entre a BR-163 e BR-230, permitiram a liberação de parte do tráfego no sentido Sul (para Mato Grosso) a partir da madrugada desta terça-feira (28).
 
Foto: Reprodução/Agência Pará
 
Segundo o Dnit, caso as condições meteorológicas sejam favoráveis, a expectativa é de liberação total do tráfego nos próximos dias, com a recuperação de pontos isolados em um segmento de aproximadamente 37 quilômetros (km) localizado entre as comunidades de Santa Luzia e Bela Vista do Caracol.

Nesta segunda-feira (27), o Governo do Pará criou uma força-tarefa para ajudar a tirar milhares de caminhões presos em atoleiros que formam um engarrafamento de mais de 50 km no Estado. A situação também despertou reações do Governo do Mato Grosso que divulgou nota dizendo que a situação prejudica o escoamento da safra de milho e soja mato-grossense. O Dnit diz que a ação das forças de segurança mantém a ordem e as condições necessárias para que os materiais de reparo da rodovia cheguem aos pontos críticos e em volumes suficientes. "Estas forças organizam a disposição dos veículos ao longo da pista, de modo a desfazerem as filas duplas para permitir a passagem das equipes de manutenção. As equipes do Dnit estão trabalhando em duas frentes, simultaneamente: nas proximidades da Comunidade Jamanxim e próximo à Vila Santa Luzia", explica o órgão.
Ministério dos Transportes acompanha a situação

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, receberá, nesta quinta-feira (2), representantes dos produtores de soja, responsáveis pela maior parte do volume de grãos transportados pela rota da BR-163 em direção aos portos do Norte do país (AMAGGI, ADM, CARGIL, BUNGER e COFCO). O objetivo será definir a estratégia logística que garanta a manutenção da trafegabilidade ao longo da rodovia durante o chamado inverno amazônico e o conseqüente escoamento da produção agrícola. Por outro lado, o diretor geral do Dnit, Valter Casimiro Silveira, estará no Pará a partir do dia 3 de março, para inspecionar a realização dos serviços emergenciais na rodovia.

Trabalhos

Segundo o Dnit, dos 1.006 km da BR-163 no Pará, faltam 100 km para serem asfaltados, ou seja, 90% estão concluídos. Em 2016, foram asfaltados 20 km. Com a atuação do Dnit na pavimentação, foi solucionada parte dos pontos críticos da BR-163 e BR-230: a Serra do Caracol e a chegada ao porto de Miritituba, conhecida como Top Miritituba. O trecho da BR-163 onde se verificaram os pontos críticos devido às chuvas será pavimentado este ano. O órgão diz que a meta é asfaltar 60 km da rodovia em 2017. A previsão de conclusão do asfaltamento de toda a BR-163 no Pará é 2018.

TAG Amazonia LegalParaestradasBR-163infraestruturaeconomiaagronegocio