Publicidade

Atualidades

"Temos que acolhê-los", diz Dom Cláudio Hummes sobre venezuelanos

Presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica, cardeal Dom Cláudio Hummes, participa do III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal, em Manaus


Durante visita a Manaus, onde participa do III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal, o presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica, cardeal Dom Cláudio Hummes, cobrou maior proteção aos imigrantes venezuelanos e brasileiros que vivem na fronteira com a Venezuela. Em entrevista ao Portal Amazônia nesta terça-feira (21), o líder católico ressaltou a gravidade da crise migratória e defendeu uma maior participação, tanto de governos como da sociedade, no acolhimento desses imigrantes.

"É gravíssima a situação, e é necessário que se tomem medidas urgentes para proteger essa gente toda, tanto os brasileiros quanto os imigrantes. Todos tem o direito de terem protegida a dignidade, o sustento e a saúde. Esse fenômeno de migração é muito frequente no mundo. E agora acontece no Brasil, temos que acolhê-los e ajudá-los a encontrar de novo um caminho de vida digna, em que possam criar e educar seus filhos", disse o cardeal.
 
Foto:William Costa/Portal Amazônia
 
Sobre os episódio de violência entre brasileiros e venezuelanos, e as ações da igreja católica nesses casos, o arcebispo de Roraima, Dom Mário Antônio da Silva também lamentou o ocorrido e disse que os governos precisam olhar com mais cuidado para a população.

"A imigração é dramática, pela necessidade dos venezuelanos virem ao Brasil em busca de comida, remédio, segurança e trabalho. E Pacaraima não oferece essas condições. Uma situação caótica, e que nos preocupa, assim como deve preocupar o governo federal, estadual e municipal. Não devemos esquecer de valorizar as pessoas que mesmo na precariedade ajudam os venezuelanos com empregos", disse.
 
Foto: William Costa/Portal Amazônia
 
A igreja católica tem buscado parceiros para atender as demandas dos venezuelanos, tanto em Pacaraima quanto em Boa Vista. É o que afirma Dom Mário. 

"A diocese de Roraima, junto à CNBB e outras organizações, através da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e outros parceiros, tem ajudado os imigrantes na acolhida, orientação, ajuda na obtenção de documentação, alimentação com o café fraterno para mais de 1.500 pessoas entre venezuelanos e indígenas", conta.
 
Foto: William Costa/Portal Amazônia
 
Dom Mário ressalta que o trabalho da igreja é de interpelação e incidência política diante da situação de imigrantes. "Os governos precisam dar mais atenção, tanto as brasileiros quanto aos imigrantes, nas áreas de segurança, saúde e trabalho. E não podemos ficar calados diante da truculência do governo venezuelano, que não reconhece o estado de calamidade e miséria humanitária, além de não admitir receber ajuda de outros países", disse.

O III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal, que acontece até esta sexta-feira (23) em Manaus, tem o objetivo de discutir a realidade da Amazônia, a partir de várias conjunturas e especificidades da região, além da partilha das realidades e trocas de experiências dos bispos em vista de uma Igreja Católica com a característica amazônica. Cerca de 50 bispos de toda a região participam das discussões.

Entenda

No último final de semana, a situação ficou complicada em Pacaraima, cidade de Roraima que faz fronteira com a Venezuela. Depois de se espalhar a notícia de que um comerciante havia morrido em um assalto feito por venezuelanos, os moradores da cidade se revoltaram e começaram uma represália expulsando os imigrantes das ruas e de abrigos de Pacaraima.

Sínodo para a Amazônia

O Sínodo para a Amazônia é um grande encontro que tem a convocação do papa Francisco. O cardeal Cláudio Hummes, dom Neri Tondello, dom Roque Paloschi, dom Erwin Krautler e irmã Maria Irene Lopes representarão o Brasíl em Roma durante o encontro, que será realizado em outubro de 2019.

Atualidades

Home > Noticias > null

"Temos que acolhê-los", diz Dom Cláudio Hummes sobre venezuelanos

Presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica, cardeal Dom Cláudio Hummes, participa do III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal, em Manaus

William Costa

william.costa@portalamazonia.com


Durante visita a Manaus, onde participa do III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal, o presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica, cardeal Dom Cláudio Hummes, cobrou maior proteção aos imigrantes venezuelanos e brasileiros que vivem na fronteira com a Venezuela. Em entrevista ao Portal Amazônia nesta terça-feira (21), o líder católico ressaltou a gravidade da crise migratória e defendeu uma maior participação, tanto de governos como da sociedade, no acolhimento desses imigrantes.

"É gravíssima a situação, e é necessário que se tomem medidas urgentes para proteger essa gente toda, tanto os brasileiros quanto os imigrantes. Todos tem o direito de terem protegida a dignidade, o sustento e a saúde. Esse fenômeno de migração é muito frequente no mundo. E agora acontece no Brasil, temos que acolhê-los e ajudá-los a encontrar de novo um caminho de vida digna, em que possam criar e educar seus filhos", disse o cardeal.
 
Foto:William Costa/Portal Amazônia
 
Sobre os episódio de violência entre brasileiros e venezuelanos, e as ações da igreja católica nesses casos, o arcebispo de Roraima, Dom Mário Antônio da Silva também lamentou o ocorrido e disse que os governos precisam olhar com mais cuidado para a população.

"A imigração é dramática, pela necessidade dos venezuelanos virem ao Brasil em busca de comida, remédio, segurança e trabalho. E Pacaraima não oferece essas condições. Uma situação caótica, e que nos preocupa, assim como deve preocupar o governo federal, estadual e municipal. Não devemos esquecer de valorizar as pessoas que mesmo na precariedade ajudam os venezuelanos com empregos", disse.
 
Foto: William Costa/Portal Amazônia
 
A igreja católica tem buscado parceiros para atender as demandas dos venezuelanos, tanto em Pacaraima quanto em Boa Vista. É o que afirma Dom Mário. 

"A diocese de Roraima, junto à CNBB e outras organizações, através da Paróquia Sagrado Coração de Jesus e outros parceiros, tem ajudado os imigrantes na acolhida, orientação, ajuda na obtenção de documentação, alimentação com o café fraterno para mais de 1.500 pessoas entre venezuelanos e indígenas", conta.
 
Foto: William Costa/Portal Amazônia
 
Dom Mário ressalta que o trabalho da igreja é de interpelação e incidência política diante da situação de imigrantes. "Os governos precisam dar mais atenção, tanto as brasileiros quanto aos imigrantes, nas áreas de segurança, saúde e trabalho. E não podemos ficar calados diante da truculência do governo venezuelano, que não reconhece o estado de calamidade e miséria humanitária, além de não admitir receber ajuda de outros países", disse.

O III Encontro da Igreja Católica na Amazônia Legal, que acontece até esta sexta-feira (23) em Manaus, tem o objetivo de discutir a realidade da Amazônia, a partir de várias conjunturas e especificidades da região, além da partilha das realidades e trocas de experiências dos bispos em vista de uma Igreja Católica com a característica amazônica. Cerca de 50 bispos de toda a região participam das discussões.

Entenda

No último final de semana, a situação ficou complicada em Pacaraima, cidade de Roraima que faz fronteira com a Venezuela. Depois de se espalhar a notícia de que um comerciante havia morrido em um assalto feito por venezuelanos, os moradores da cidade se revoltaram e começaram uma represália expulsando os imigrantes das ruas e de abrigos de Pacaraima.

Sínodo para a Amazônia

O Sínodo para a Amazônia é um grande encontro que tem a convocação do papa Francisco. O cardeal Cláudio Hummes, dom Neri Tondello, dom Roque Paloschi, dom Erwin Krautler e irmã Maria Irene Lopes representarão o Brasíl em Roma durante o encontro, que será realizado em outubro de 2019.

TAG sinodoamazonia