Publicidade

Amazônia

Home > Noticias > null

Sozinho, missionário se perde na selva amazônica e é encontrado após nove dias de buscas

Nessa terça-feira, a vítima gritou por socorro quando percebeu a proximidade das equipes de buscas. Confira a história:

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


O missionário Vladimir Menezes Cunha, de 59 anos, foi encontrado, nessa terça-feira (2), após passar nove dias perdido na mata, nas proximidades da Comunidade Indígena do Limoeiro, pertencente ao município de Lábrea, no Amazonas. Ele foi resgatado pelo Batalhão de Incêndio Florestal e Meio Ambiente (BIFMA), do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM).

De acordo com os bombeiros, o missionário havia saído para uma atividade na floresta, na manhã do dia 24 de março, e não retornou para a comunidade. Dado o prazo de 24h, os membros da igreja foram até a Delegacia de Polícia Civil do município e registraram um boletim de ocorrência.
 
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros
 
  No dia 26 de março, o Corpo de Bombeiros foi acionado e três militares foram designados para realizar as primeiras buscas. “Os bombeiros partiram na manhã do dia 27, de avião, para a operação de busca, salvamento e resgate. Ficamos monitorando toda a ação para ver se precisaríamos enviar um efetivo maior”, contou o Chefe de Estado Maior Geral, Coronel BM Jair Ruas Braga.

De acordo com o Soldado BM Danilo Ferreira, a equipe contou com a ajuda de comunitários. “Fizemos buscas em uma área de 70 quilômetros de distância da comunidade. Tivemos a ajuda dos ribeirinhos e indígenas. Os bombeiros pernoitaram por dois dias na mata seguindo os rastros do desaparecido, mas até então sem sucesso”, relatou Danilo.

Dado o tempo e tamanho da área onde supostamente o missionário havia desaparecido, o Coronel Ruas, que também era comandante da operação, encaminhou mais uma equipe com sete militares da capital que chegaram à Comunidade Indígena do Limoeiro no dia 1º de abril. “Enviamos mais sete militares e retornamos com a primeira equipe”, explicou o Coronel.

As buscas estavam dividas em terrestres e aquáticas. Na manhã dessa terça-feira (2), ao ouvir a movimentação das equipes do Corpo de Bombeiros, o missionário perdido gritou por socorro. Segundo o Coronel Ruas, o quadro de saúde da vítima era estável.
 
Foto:
Divulgação/Corpo de Bombeiros
 
  “Nós o encontramos abatido, com desidratação mas estável, considerando o quadro de outras vítimas desse tipo de ocorrência. O missionário foi levado para a comunidade onde foi aferida a sua pressão arterial. Ele também foi submetido a aplicação de soro para sua hidratação", disse o Chefe de Estado Maior Geral.

O objetivo da corporação é levar o missionário até Manaus para que seja submetido a exames médicos e cuidados especiais. Conforme os bombeiros, no primeiro trimestre deste ano, a corporação registrou 11 ocorrências de busca e resgate de pessoas em ambiente de selva.
     
Amazônia

Sozinho, missionário se perde na selva amazônica e é encontrado após nove dias de buscas

Nessa terça-feira, a vítima gritou por socorro quando percebeu a proximidade das equipes de buscas. Confira a história:


O missionário Vladimir Menezes Cunha, de 59 anos, foi encontrado, nessa terça-feira (2), após passar nove dias perdido na mata, nas proximidades da Comunidade Indígena do Limoeiro, pertencente ao município de Lábrea, no Amazonas. Ele foi resgatado pelo Batalhão de Incêndio Florestal e Meio Ambiente (BIFMA), do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM).

De acordo com os bombeiros, o missionário havia saído para uma atividade na floresta, na manhã do dia 24 de março, e não retornou para a comunidade. Dado o prazo de 24h, os membros da igreja foram até a Delegacia de Polícia Civil do município e registraram um boletim de ocorrência.
 
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros
 
  No dia 26 de março, o Corpo de Bombeiros foi acionado e três militares foram designados para realizar as primeiras buscas. “Os bombeiros partiram na manhã do dia 27, de avião, para a operação de busca, salvamento e resgate. Ficamos monitorando toda a ação para ver se precisaríamos enviar um efetivo maior”, contou o Chefe de Estado Maior Geral, Coronel BM Jair Ruas Braga.

De acordo com o Soldado BM Danilo Ferreira, a equipe contou com a ajuda de comunitários. “Fizemos buscas em uma área de 70 quilômetros de distância da comunidade. Tivemos a ajuda dos ribeirinhos e indígenas. Os bombeiros pernoitaram por dois dias na mata seguindo os rastros do desaparecido, mas até então sem sucesso”, relatou Danilo.

Dado o tempo e tamanho da área onde supostamente o missionário havia desaparecido, o Coronel Ruas, que também era comandante da operação, encaminhou mais uma equipe com sete militares da capital que chegaram à Comunidade Indígena do Limoeiro no dia 1º de abril. “Enviamos mais sete militares e retornamos com a primeira equipe”, explicou o Coronel.

As buscas estavam dividas em terrestres e aquáticas. Na manhã dessa terça-feira (2), ao ouvir a movimentação das equipes do Corpo de Bombeiros, o missionário perdido gritou por socorro. Segundo o Coronel Ruas, o quadro de saúde da vítima era estável.
 
Foto:
Divulgação/Corpo de Bombeiros
 
  “Nós o encontramos abatido, com desidratação mas estável, considerando o quadro de outras vítimas desse tipo de ocorrência. O missionário foi levado para a comunidade onde foi aferida a sua pressão arterial. Ele também foi submetido a aplicação de soro para sua hidratação", disse o Chefe de Estado Maior Geral.

O objetivo da corporação é levar o missionário até Manaus para que seja submetido a exames médicos e cuidados especiais. Conforme os bombeiros, no primeiro trimestre deste ano, a corporação registrou 11 ocorrências de busca e resgate de pessoas em ambiente de selva.
     

TAG floresta amazonicaCorpo de Bombeirosperdido na mata