Publicidade

Cidades

Semas inicia vistoria técnica em barragens de rejeitos do Pará

Primeira vistoria técnica aconteceu nas barragens da Mina do Sossego, em Canaã dos Carajás, sudeste do Pará

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará

jornalismo@portalamazonia.com


"As equipes avaliaram as condições das barragens em relação ao que foi apresentado no licenciamento. É o que a gente chama de monitoramento pós-licenciamento. Essa é uma barragem muito grande, considerada a maior do Estado. Nós coletamos informações importantes durante a vistoria".

A declaração é do secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro Ó de Almeida, após a primeira vistoria técnica nas barragens da Mina do Sossego, em Canaã dos Carajás, sudeste do Pará, nessa quarta-feira (13). Os trabalhos em Canaã continuam nesta quinta-feira (14). A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) também já avalia a estrutura de lagoas de rejeitos em Juruti, na região oeste.
 
 
Foto: Maycon Nunes/Agência Pará
 
Além da Semas, a Defesa Civil Estadual participa da ação preventiva, com o coordenador adjunto, tenente-coronel Jayme Benjó, que integra o Grupo de Trabalho de Segurança em Barragens criado pelo Governo do Estado.

Nesta quarta-feira, em Canaã dos Carajás, as equipes avaliaram não apenas a barragem, de quase 42 metros de altura e com capacidade para concentrar 108 milhões de metros cúbicos (m³), mas também as estruturas de contenção de fino (diferentes diques) do empreendimento, que explora concentrado de cobre.

Para a Defesa Civil Estadual, a viabilidade técnica do Plano Emergencial é um dos principais pontos a serem inspecionados. "Nós vamos avaliar a proposta do Plano Emergencial. Vamos interagir com os gestores do município para saber se ali existe uma Defesa Civil Municipal atuante. A ideia é saber se a população vai saber o que fazer em caso de rota de fuga", ressaltou Jayme Benjó.
 
 
Foto: Maycon Nunes/Agência Pará 
Estruturas

Além da inspeção realizada nas barragens da Mina do Sossego, outra equipe da Semas iniciou nesta quarta-feira vistoria nas seis lagoas de rejeitos localizadas em Juruti, município onde há extração de bauxita. Uma força-tarefa foi montada para avaliar as estruturas de contenção de rejeitos de mineração no Estado.

"Cinco grupos foram criados para realizar as vistorias nas regiões Sudeste, Sudoeste, Baixo Amazonas, Paragominas e Barcarena. As equipes são multidisciplinares. Os integrantes são geólogos, biólogos, engenheiros ambientais, entre outros. No total, serão vistoriadas 56 estruturas até 5 de abril", informou Rodolpho Zahluth Bastos, secretário adjunto de Meio Ambiente e Sustentabilidade.

As próximas estruturas de contenção de rejeitos que devem ser vistoriadas ficam em Paragominas, no sudeste paraense. Os resultados das avaliações técnicas nas barragens ainda serão apresentados ao Grupo de Trabalho de Segurança e Estudo de Barragens.

 

Cidades

Home > Noticias > null

Semas inicia vistoria técnica em barragens de rejeitos do Pará

Primeira vistoria técnica aconteceu nas barragens da Mina do Sossego, em Canaã dos Carajás, sudeste do Pará

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará

jornalismo@portalamazonia.com


"As equipes avaliaram as condições das barragens em relação ao que foi apresentado no licenciamento. É o que a gente chama de monitoramento pós-licenciamento. Essa é uma barragem muito grande, considerada a maior do Estado. Nós coletamos informações importantes durante a vistoria".

A declaração é do secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Mauro Ó de Almeida, após a primeira vistoria técnica nas barragens da Mina do Sossego, em Canaã dos Carajás, sudeste do Pará, nessa quarta-feira (13). Os trabalhos em Canaã continuam nesta quinta-feira (14). A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) também já avalia a estrutura de lagoas de rejeitos em Juruti, na região oeste.
 
 
Foto: Maycon Nunes/Agência Pará
 
Além da Semas, a Defesa Civil Estadual participa da ação preventiva, com o coordenador adjunto, tenente-coronel Jayme Benjó, que integra o Grupo de Trabalho de Segurança em Barragens criado pelo Governo do Estado.

Nesta quarta-feira, em Canaã dos Carajás, as equipes avaliaram não apenas a barragem, de quase 42 metros de altura e com capacidade para concentrar 108 milhões de metros cúbicos (m³), mas também as estruturas de contenção de fino (diferentes diques) do empreendimento, que explora concentrado de cobre.

Para a Defesa Civil Estadual, a viabilidade técnica do Plano Emergencial é um dos principais pontos a serem inspecionados. "Nós vamos avaliar a proposta do Plano Emergencial. Vamos interagir com os gestores do município para saber se ali existe uma Defesa Civil Municipal atuante. A ideia é saber se a população vai saber o que fazer em caso de rota de fuga", ressaltou Jayme Benjó.
 
 
Foto: Maycon Nunes/Agência Pará 
Estruturas

Além da inspeção realizada nas barragens da Mina do Sossego, outra equipe da Semas iniciou nesta quarta-feira vistoria nas seis lagoas de rejeitos localizadas em Juruti, município onde há extração de bauxita. Uma força-tarefa foi montada para avaliar as estruturas de contenção de rejeitos de mineração no Estado.

"Cinco grupos foram criados para realizar as vistorias nas regiões Sudeste, Sudoeste, Baixo Amazonas, Paragominas e Barcarena. As equipes são multidisciplinares. Os integrantes são geólogos, biólogos, engenheiros ambientais, entre outros. No total, serão vistoriadas 56 estruturas até 5 de abril", informou Rodolpho Zahluth Bastos, secretário adjunto de Meio Ambiente e Sustentabilidade.

As próximas estruturas de contenção de rejeitos que devem ser vistoriadas ficam em Paragominas, no sudeste paraense. Os resultados das avaliações técnicas nas barragens ainda serão apresentados ao Grupo de Trabalho de Segurança e Estudo de Barragens.

 

TAG barragensparafiscalizacao