Publicidade

Esportes

Home > Noticias > null

Sem manutenção, estádios da Copa em Manaus estão com gramados danificados

Com Olimpíadas à vista, Governo não paga manutenção do gramado da Arena da Amazônia há 5 meses; dívida com COTs é de 10 meses

Gabriel Seixas


MANAUS - Com menos de um ano para os Jogos Olímpicos, a manutenção dos gramados da Arena da Amazônia e dos COTs Colina e Carlos Zamith está seriamente comprometida. O Governo do Amazonas não paga a manutenção do campo da Arena há cinco meses, enquanto o atraso nos COTs é de dez meses. A dívida com os estádios da Copa é estimada em R$ 700 mil.
Gramado do estádio Carlos Zamith está visivelmente danificado. Foto: Marcos Dantas/Rede Amazônica
A empresa que cuida dos três gramados é a Greenleaf. Estádios com uma carga excessiva de jogos, como a Colina e o Carlos Zamith - principalmente o segundo -, apresentam descuido na qualidade da grama. Visivelmente 'castigado', o Zamith recebeu a final da Copa Amazonas na última sexta-feira (30), entre Fast Clube e Manaus.
O Portal Amazônia apurou que a manutenção do gramado dos COTs, Colina e Zamith, custa R$ 35 mil. Segundo o diretor-presidente da Fundação Vila Olímpica (FVO), Aly Almeida, a manutenção do gramado da Arena da Amazônia teve custo reduzido para cerca de R$ 50 mil. Desta forma, a dívida do Governo pode ser calculada em R$ 700 mil.
No dia 10 de novembro, a Arena da Amazônia será vistoriada por representantes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Aly Almeida confirmou a dívida, mas garantiu que o Governo vai sanar o débito com a Greenleaf. "O Estado como um todo está atrasado com outros serviços. Como a Olimpíada é prioridade, o Governo me garantiu que o problema será resolvido de imediato", afirmou.Interdição?
O gestor da Arena admite que os estádios podem até mesmo ser fechados por falta de manutenção, já que a grama fica alta. No entanto, isto causaria péssima impressão ao Comitê Olímpico, que deve vistoriar os estádios mensalmente a partir de novembro até abril.A crise financeira do Estado afeta diretamente o esporte. Neste mês, o Governo gerou polêmica ao cortar alimentação dos atletas que moram na Vila Olímpica de Manaus para conter gastos.Eventos-teste
Com ou sem reparos, a Arena da Amazônia ainda precisa passar por dois eventos-teste até abril, quando o estádio será entregue ao Comitê Olímpico. Os eventos-teste compreendem rodadas duplas, tais como a Arena receberá nos Jogos Olímpicos.
A Arena da Amazônia tenta receber jogos das seleções masculina e feminina do Brasil antes das Olimpíadas. O jogo da seleção masculina pode ser no dia 24 de março de 2016, entre Brasil x Uruguai. Um torneio quadrangular de seleções femininas (incluindo o Brasil) foi oferecido à Arena.  No entanto, Aly Almeida revelou que a proposta era o Governo assumir um custo de R$ 2 milhões e não ter qualquer lucro com o evento.
Esportes

Sem manutenção, estádios da Copa em Manaus estão com gramados danificados

Com Olimpíadas à vista, Governo não paga manutenção do gramado da Arena da Amazônia há 5 meses; dívida com COTs é de 10 meses

Gabriel Seixas


MANAUS - Com menos de um ano para os Jogos Olímpicos, a manutenção dos gramados da Arena da Amazônia e dos COTs Colina e Carlos Zamith está seriamente comprometida. O Governo do Amazonas não paga a manutenção do campo da Arena há cinco meses, enquanto o atraso nos COTs é de dez meses. A dívida com os estádios da Copa é estimada em R$ 700 mil.
Gramado do estádio Carlos Zamith está visivelmente danificado. Foto: Marcos Dantas/Rede Amazônica
A empresa que cuida dos três gramados é a Greenleaf. Estádios com uma carga excessiva de jogos, como a Colina e o Carlos Zamith - principalmente o segundo -, apresentam descuido na qualidade da grama. Visivelmente 'castigado', o Zamith recebeu a final da Copa Amazonas na última sexta-feira (30), entre Fast Clube e Manaus.
O Portal Amazônia apurou que a manutenção do gramado dos COTs, Colina e Zamith, custa R$ 35 mil. Segundo o diretor-presidente da Fundação Vila Olímpica (FVO), Aly Almeida, a manutenção do gramado da Arena da Amazônia teve custo reduzido para cerca de R$ 50 mil. Desta forma, a dívida do Governo pode ser calculada em R$ 700 mil.
No dia 10 de novembro, a Arena da Amazônia será vistoriada por representantes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Aly Almeida confirmou a dívida, mas garantiu que o Governo vai sanar o débito com a Greenleaf. "O Estado como um todo está atrasado com outros serviços. Como a Olimpíada é prioridade, o Governo me garantiu que o problema será resolvido de imediato", afirmou.Interdição?
O gestor da Arena admite que os estádios podem até mesmo ser fechados por falta de manutenção, já que a grama fica alta. No entanto, isto causaria péssima impressão ao Comitê Olímpico, que deve vistoriar os estádios mensalmente a partir de novembro até abril.A crise financeira do Estado afeta diretamente o esporte. Neste mês, o Governo gerou polêmica ao cortar alimentação dos atletas que moram na Vila Olímpica de Manaus para conter gastos.Eventos-teste
Com ou sem reparos, a Arena da Amazônia ainda precisa passar por dois eventos-teste até abril, quando o estádio será entregue ao Comitê Olímpico. Os eventos-teste compreendem rodadas duplas, tais como a Arena receberá nos Jogos Olímpicos.
A Arena da Amazônia tenta receber jogos das seleções masculina e feminina do Brasil antes das Olimpíadas. O jogo da seleção masculina pode ser no dia 24 de março de 2016, entre Brasil x Uruguai. Um torneio quadrangular de seleções femininas (incluindo o Brasil) foi oferecido à Arena.  No entanto, Aly Almeida revelou que a proposta era o Governo assumir um custo de R$ 2 milhões e não ter qualquer lucro com o evento.

TAG