Publicidade

Saúde

Saiba como se prevenir do vírus H1N1, causador da gripe Influenza A

Até o momento, nove mortes foram causadas pelo vírus H1N1 no Amazonas. Outros casos são investigados


Anunciada como surto, na última segunda-feira (25), pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), o vírus H1N1 tem feito casos através da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e da gripe influenza A. O Portal Amazônia buscou especialistas para trazer informações sobre como se prevenir do vírus H1N1.

No Amazonas, até o momento, foram registrados 126 casos da SRAG, e desses, 27 foram confirmados com o Influenza A. No Estado, ainda não há vacinas para o combate da doenças, pois começaram a ser produzidas em setembro de 2018, segundo o Ministério da Saúde (MS).

Leia também: Amazonas recebe técnicos do Ministério da Saúde para investigar casos de Influenza A

Como medida de controle, o MS enviou o medicamento Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu), que é um antiviral para tratar da doença.

Segundo o médico infectologista Marcus Guerra, os principais sintomas para identificar os casos possíveis de H1N1 são:

- Febre de início súbito, geralmente com duração de 3 dias;

- Calafrios;

- Dores musculares e dores nas articulações;

- Cefaleia intensa, e;

- Em crianças, diarreia e vômito.

Entre as orientações para prevenção da transmissão da doença, o infectologista lembra que as pessoas precisam ter os cuidados básicos de higiene para não contaminar ou transmitir o vírus.
 
   
Foto: Arquivo/Agência Brasil 
 
"Deve se lavar as mãos quando espirrar ou tossir, e usar lenços descartáveis ou a dobra do cotovelo, pois as vezes as pessoas espirram e tossem nas mãos e não lavam depois. Evitar também locais com muito público, pois o vírus permanece vivo durante um determinado tempo, principalmente em superfícies lisas e impermeáveis, como maçanetas e até mesmo o botação do elevador", lembra o médico.

O contágio da gripe Influenza A também pode ser feito através da tosse, mesmo que ainda os sintomas não estejam aparantes. "No caso de pessoas com tosse, a transmissão do vírus pode se dar 48 horas antes de se apresentar os sintomas, é o que chamamos de período de incubação do vírus, mesmo sem a manifestação dos sintomas pode estar transmitindo, até em torno de 4 ou 5 dias, período que pode aumentar no caso das crianças", conta o infectologista.

Confira: Amazonas adota medidas para controlar H1N1; surto pode ser considerado, diz FVS

Sobre a vacina e a medicação que o MS enviou, o infectologista ressalta que há diferenças. "A vacina protege o individuo ou de adoecer ou de ter complicações em formas mais graves. Já a medicação inibe a replicação do vírus e abrevia o tempo de duração das doenças nos pacientes, mas a medicação é orientada apenas para pacientes com forma grave, e dentro dos grupos de risco, como: gestante, idosos, pessoas com morbidade, cardíacos, pessoas com doenças crônicas e crianças abaixo de 1 ano", completa o médico Marcus Guerra.

O Ministério da Saúde ainda não sinalizou a chegada das vacinas para o Amazonas, mas enviou equipe de técnicos para monitorar a situação no Estado e ajudar na prevenção com a medicação já enviada.

Alerta: Após quatro mortes, Manaus busca antecipação de vacinas contra o vírus H1N1

Identificando qualquer um dos sintomas, a pessoas precisa procurar alguma das Unidades Básicas de Saúde, que farão o diagnóstico e encaminharão para as Unidades de Referência no tratamento com a medicação antiviral.

Confira as 23 unidades de saúde que realizam tratamento das síndromes gripais em Manaus:

LESTE

UBS LEONOR BRILHANTE– Avenida Autaz Mirim, Tancredo Neves

UBS AMAZONAS PALHANO– Rua Antonio Matias, São José

UBS ALFREDO CAMPOS– Avenida Cosme Ferreira, Zumbi

UBS GEBES MEDEIROS– Avenida Pirarucu, Jorge Teixeira

NORTE

UBS AUGIAS GADELHA– Rua A, 17, Cidade Nova

UBS SÁLVIO BELOTA– Rua João Monte Fusco, Santa Etelvina

UBS JOSÉ FIGLIOULO– Rua Rio Arinos, Conjunto Residencial Viver Melhor, Lago Azul

UBS BALBINA MESTRINHO– Rua Major Silverio J. Nery (Rua 170), Núcleo III, Cidade Nova

OESTE

UBS LEONOR DE FREITAS– Avenida Brasil, Compensa

UBS DEODATO M. LEÃO– Avenida Presidente Dutra, Glória

SUL 

UBS DR. JOSÉ RAYOL– Avenida Constantino Nery, Chapada

UBS MORRO DA LIBERDADE-  Rua Dona Mimi (Rua São Benedito), Morro da Liberdade

RURAL

UBS FLUVIAL DR. ANTÔNIO LEVINO

UBS FLUVIAL DR. NEY LACERDA

UBS ADA VIANA RODRIGUES– Comunidade Nova Canaã (BR 174 R-10)

UBS PAU ROSA (R-41 R-42) Ramal do Pau-Rosa, Entrada do KM 21, Assentamento Tarumã-Mirim, BR 174;

UBS SÃO PEDRO– Comunidade Bom Jesus - AM 010, KM 25 E Adjacências;

UBS EPHIGENIO SALES(R-34) Ramal Água Branca II, KM 45, Rodovia AM-010;

UBS NOSSA SENHORA AUXILIADORA– Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora - Tarumã-Mirim;

UBS NOSSA SENHORA DE FÁTIMA– Comunidade Nossa Senhora de Fátima - Tarumã-Mirim;

UBS NOSSA SENHORA LIVRAMENTO– Comunidade Nossa Senhora do Livramento, Tarumã-Mirim

Saúde

Home > Noticias > null

Saiba como se prevenir do vírus H1N1, causador da gripe Influenza A

Até o momento, nove mortes foram causadas pelo vírus H1N1 no Amazonas. Outros casos são investigados

William Costa

william.costa@portalamazonia.com


Anunciada como surto, na última segunda-feira (25), pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), o vírus H1N1 tem feito casos através da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e da gripe influenza A. O Portal Amazônia buscou especialistas para trazer informações sobre como se prevenir do vírus H1N1.

No Amazonas, até o momento, foram registrados 126 casos da SRAG, e desses, 27 foram confirmados com o Influenza A. No Estado, ainda não há vacinas para o combate da doenças, pois começaram a ser produzidas em setembro de 2018, segundo o Ministério da Saúde (MS).

Leia também: Amazonas recebe técnicos do Ministério da Saúde para investigar casos de Influenza A

Como medida de controle, o MS enviou o medicamento Fosfato de Oseltamivir (Tamiflu), que é um antiviral para tratar da doença.

Segundo o médico infectologista Marcus Guerra, os principais sintomas para identificar os casos possíveis de H1N1 são:

- Febre de início súbito, geralmente com duração de 3 dias;

- Calafrios;

- Dores musculares e dores nas articulações;

- Cefaleia intensa, e;

- Em crianças, diarreia e vômito.

Entre as orientações para prevenção da transmissão da doença, o infectologista lembra que as pessoas precisam ter os cuidados básicos de higiene para não contaminar ou transmitir o vírus.
 
   
Foto: Arquivo/Agência Brasil 
 
"Deve se lavar as mãos quando espirrar ou tossir, e usar lenços descartáveis ou a dobra do cotovelo, pois as vezes as pessoas espirram e tossem nas mãos e não lavam depois. Evitar também locais com muito público, pois o vírus permanece vivo durante um determinado tempo, principalmente em superfícies lisas e impermeáveis, como maçanetas e até mesmo o botação do elevador", lembra o médico.

O contágio da gripe Influenza A também pode ser feito através da tosse, mesmo que ainda os sintomas não estejam aparantes. "No caso de pessoas com tosse, a transmissão do vírus pode se dar 48 horas antes de se apresentar os sintomas, é o que chamamos de período de incubação do vírus, mesmo sem a manifestação dos sintomas pode estar transmitindo, até em torno de 4 ou 5 dias, período que pode aumentar no caso das crianças", conta o infectologista.

Confira: Amazonas adota medidas para controlar H1N1; surto pode ser considerado, diz FVS

Sobre a vacina e a medicação que o MS enviou, o infectologista ressalta que há diferenças. "A vacina protege o individuo ou de adoecer ou de ter complicações em formas mais graves. Já a medicação inibe a replicação do vírus e abrevia o tempo de duração das doenças nos pacientes, mas a medicação é orientada apenas para pacientes com forma grave, e dentro dos grupos de risco, como: gestante, idosos, pessoas com morbidade, cardíacos, pessoas com doenças crônicas e crianças abaixo de 1 ano", completa o médico Marcus Guerra.

O Ministério da Saúde ainda não sinalizou a chegada das vacinas para o Amazonas, mas enviou equipe de técnicos para monitorar a situação no Estado e ajudar na prevenção com a medicação já enviada.

Alerta: Após quatro mortes, Manaus busca antecipação de vacinas contra o vírus H1N1

Identificando qualquer um dos sintomas, a pessoas precisa procurar alguma das Unidades Básicas de Saúde, que farão o diagnóstico e encaminharão para as Unidades de Referência no tratamento com a medicação antiviral.

Confira as 23 unidades de saúde que realizam tratamento das síndromes gripais em Manaus:

LESTE

UBS LEONOR BRILHANTE– Avenida Autaz Mirim, Tancredo Neves

UBS AMAZONAS PALHANO– Rua Antonio Matias, São José

UBS ALFREDO CAMPOS– Avenida Cosme Ferreira, Zumbi

UBS GEBES MEDEIROS– Avenida Pirarucu, Jorge Teixeira

NORTE

UBS AUGIAS GADELHA– Rua A, 17, Cidade Nova

UBS SÁLVIO BELOTA– Rua João Monte Fusco, Santa Etelvina

UBS JOSÉ FIGLIOULO– Rua Rio Arinos, Conjunto Residencial Viver Melhor, Lago Azul

UBS BALBINA MESTRINHO– Rua Major Silverio J. Nery (Rua 170), Núcleo III, Cidade Nova

OESTE

UBS LEONOR DE FREITAS– Avenida Brasil, Compensa

UBS DEODATO M. LEÃO– Avenida Presidente Dutra, Glória

SUL 

UBS DR. JOSÉ RAYOL– Avenida Constantino Nery, Chapada

UBS MORRO DA LIBERDADE-  Rua Dona Mimi (Rua São Benedito), Morro da Liberdade

RURAL

UBS FLUVIAL DR. ANTÔNIO LEVINO

UBS FLUVIAL DR. NEY LACERDA

UBS ADA VIANA RODRIGUES– Comunidade Nova Canaã (BR 174 R-10)

UBS PAU ROSA (R-41 R-42) Ramal do Pau-Rosa, Entrada do KM 21, Assentamento Tarumã-Mirim, BR 174;

UBS SÃO PEDRO– Comunidade Bom Jesus - AM 010, KM 25 E Adjacências;

UBS EPHIGENIO SALES(R-34) Ramal Água Branca II, KM 45, Rodovia AM-010;

UBS NOSSA SENHORA AUXILIADORA– Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora - Tarumã-Mirim;

UBS NOSSA SENHORA DE FÁTIMA– Comunidade Nossa Senhora de Fátima - Tarumã-Mirim;

UBS NOSSA SENHORA LIVRAMENTO– Comunidade Nossa Senhora do Livramento, Tarumã-Mirim

TAG influenzavacinacao gripe influenzah1n1amazonas