Saúde

Roraima recebe novo alerta frente ao surto de sarampo na Venezuela

No Brasil o vírus está erradicado, mas a Venezuela, até o momento, registra são 38 casos confirmados


Roraima recebeu o terceiro alerta epidemiológico devido a um surto de sarampo no estado de Bolívar (Venezuela), na fronteira com o Brasil. O novo alerta foi emitido pela CGVS (Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde) em conjunto com a OPAS/Brasil (Organização Pan-Americana da Saúde).

 

Até o momento, são 38 casos confirmados, atualizados. O vírus encontra-se em circulação há mais de seis meses na Venezuela, colocando em situação de alto risco todas as regiões vizinhas. O vírus está erradicado no Brasil, mas com a imigração pode vir à tona novamente. O último caso de sarampo registrado no Estado foi em 2015.

 

Segundo o gerente do Núcleo Estadual do Programa Nacional de Imunização de Roraima, Rodrigo Danin, é imprescindível detectar e notificar rapidamente qualquer caso suspeito de sarampo. “A detecção dos casos possibilitará que as medidas de controle sejam realizadas oportunamente interrompendo a cadeia de transmissão”, disse.

 

É importante salientar que nem sempre o indivíduo com sarampo necessita de internação, portanto, deve ser orientado isolamento respiratório do paciente e coleta de sangue para exames, realizado em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde.

 

A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), recomendam que os países do continente americano fortaleçam as medidas de vigilância para rápida detecção de qualquer introdução do vírus nas Américas, assim como as medidas de prevenção e controle adequadas e oportunas.

 

 

 

Foto: Reprodução / SECOM Roraima

 

 

PREVENÇÃO

 

A vacina Tríplice Viral é a medida de prevenção mais segura e eficaz contra o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba. Reforçar o monitoramento da cobertura vacinal, vacinação de rotina para a população de 1 ano e reforço com a Tetraviral para crianças de 1 ano e 3 meses de idade, conforme o Calendário Nacional de Vacinação, proceder à busca de faltosos, principalmente nos municípios que fazem fronteira com áreas de riscos, é imprescindível para proteção da população e evitar a disseminação dessas doenças.

 

Em Roraima somente os municípios de Caracaraí, Rorainópolis, Caroebe e Pacaraima, atingiram a meta de 95% da cobertura vacinal da Tríplice Viral. Já os municípios que não atingiram foram Amajari, Alto Alegre, Boa vista, Bonfim, Cantá Uiramutã, Mucajaí, Iracema, Normandia.

 

AÇÕES

 

 

Para reforçar as ações e manter o país livre da doença, a Sesau representou Roraima em uma reunião promovida pela Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), em Buenos Aires, na Argentina, entre os dias 2 e 8 de novembro.

 

A coordenadora estadual de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, adiantou que o Estado está mobilizado desde o início do surto. Uma Sala de Situação está sendo montada para concentrar o máximo de informações sobre imigrantes venezuelanos. A pedido do Governo do Estado, técnicos do Ministério da Saúde vieram a Roraima para ajudar a elaborar proposta de ações contra esta e outras doenças.

 

“Uma das principais formas de conter a doença é manter a população imunizada. Por isso, a Sesau também está incentivando os municípios a reforçarem estas ações. Recentemente foi realizado, pela primeira vez no Estado, treinamento em um método para supervisionar as ações de vacinação e melhorar adesão da população às campanhas”, explicou Daniela.

 

No início de novembro o governo emitiu uma nota para os municípios e gestores das unidades de saúde, alertando para a necessidade de detectar e notificar rapidamente qualquer caso suspeito de sarampo, o que possibilitará que as medidas de controle sejam realizadas oportunamente interrompendo a cadeia de transmissão.

 

 

 

Foto: Divulgação

 


Saúde

Roraima recebe novo alerta frente ao surto de sarampo na Venezuela

No Brasil o vírus está erradicado, mas a Venezuela, até o momento, registra são 38 casos confirmados

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


Roraima recebeu o terceiro alerta epidemiológico devido a um surto de sarampo no estado de Bolívar (Venezuela), na fronteira com o Brasil. O novo alerta foi emitido pela CGVS (Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde) em conjunto com a OPAS/Brasil (Organização Pan-Americana da Saúde).

 

Até o momento, são 38 casos confirmados, atualizados. O vírus encontra-se em circulação há mais de seis meses na Venezuela, colocando em situação de alto risco todas as regiões vizinhas. O vírus está erradicado no Brasil, mas com a imigração pode vir à tona novamente. O último caso de sarampo registrado no Estado foi em 2015.

 

Segundo o gerente do Núcleo Estadual do Programa Nacional de Imunização de Roraima, Rodrigo Danin, é imprescindível detectar e notificar rapidamente qualquer caso suspeito de sarampo. “A detecção dos casos possibilitará que as medidas de controle sejam realizadas oportunamente interrompendo a cadeia de transmissão”, disse.

 

É importante salientar que nem sempre o indivíduo com sarampo necessita de internação, portanto, deve ser orientado isolamento respiratório do paciente e coleta de sangue para exames, realizado em conjunto com a Secretaria Municipal de Saúde.

 

A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e a Organização Mundial de Saúde (OMS), recomendam que os países do continente americano fortaleçam as medidas de vigilância para rápida detecção de qualquer introdução do vírus nas Américas, assim como as medidas de prevenção e controle adequadas e oportunas.

 

 

 

Foto: Reprodução / SECOM Roraima

 

 

PREVENÇÃO

 

A vacina Tríplice Viral é a medida de prevenção mais segura e eficaz contra o sarampo, protegendo também contra a rubéola e a caxumba. Reforçar o monitoramento da cobertura vacinal, vacinação de rotina para a população de 1 ano e reforço com a Tetraviral para crianças de 1 ano e 3 meses de idade, conforme o Calendário Nacional de Vacinação, proceder à busca de faltosos, principalmente nos municípios que fazem fronteira com áreas de riscos, é imprescindível para proteção da população e evitar a disseminação dessas doenças.

 

Em Roraima somente os municípios de Caracaraí, Rorainópolis, Caroebe e Pacaraima, atingiram a meta de 95% da cobertura vacinal da Tríplice Viral. Já os municípios que não atingiram foram Amajari, Alto Alegre, Boa vista, Bonfim, Cantá Uiramutã, Mucajaí, Iracema, Normandia.

 

AÇÕES

 

 

Para reforçar as ações e manter o país livre da doença, a Sesau representou Roraima em uma reunião promovida pela Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), em Buenos Aires, na Argentina, entre os dias 2 e 8 de novembro.

 

A coordenadora estadual de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, adiantou que o Estado está mobilizado desde o início do surto. Uma Sala de Situação está sendo montada para concentrar o máximo de informações sobre imigrantes venezuelanos. A pedido do Governo do Estado, técnicos do Ministério da Saúde vieram a Roraima para ajudar a elaborar proposta de ações contra esta e outras doenças.

 

“Uma das principais formas de conter a doença é manter a população imunizada. Por isso, a Sesau também está incentivando os municípios a reforçarem estas ações. Recentemente foi realizado, pela primeira vez no Estado, treinamento em um método para supervisionar as ações de vacinação e melhorar adesão da população às campanhas”, explicou Daniela.

 

No início de novembro o governo emitiu uma nota para os municípios e gestores das unidades de saúde, alertando para a necessidade de detectar e notificar rapidamente qualquer caso suspeito de sarampo, o que possibilitará que as medidas de controle sejam realizadas oportunamente interrompendo a cadeia de transmissão.

 

 

 

Foto: Divulgação

 

TAG RoraimaVenezuelasurtoalertabolivarsarampo