Meio Ambiente

Rio Negro, no Amazonas, é sítio Ramsar Regional

Em São Gabriel da Cachoeira, Ministério do Meio Ambiente apresenta aspectos relacionados ao reconhecimento internacional da área úmida

Portal Amazônia, com informações do Ministério do Meio Ambiente

jornalismo@portalamazonia.com


Nestas segunda e terça-feiras, o Ministério do Meio Ambiente realiza, em São Gabriel da Cachoeira (AM), reunião para apresentar aspectos relacionados com a designação do Rio Negro e áreas adjacentes como Sítio Ramsar Regional. A região foi incluída na lista das áreas úmidas de importância internacional, pela Convenção de Ramsar, na Suíça, em março deste ano. Participam da reunião representantes dos governos federal, estadual, municipal e de entidades da sociedade civil.

A designação possibilita apoio ao desenvolvimento de pesquisas e o acesso a fontes internacionais de financiamento e a criação de um cenário mais amplo para a cooperação. "Espera-se que o título de sítio Ramsar traga benefícios e oportunidades à toda região. O selo "Sítio Ramsar" pode dar maior visibilidade e valor para atividades como o turismo sustentável e desenvolvimento do artesanato local", afirma o secretário de Biodiversidade do ministério, José Pedro de Oliveira Costa.

De acordo com o secretário, o estabelecimento dos Sítios Ramsar em arranjos territoriais em escala regional é mais adequado à gestão das áreas úmidas, dependentes dos fluxos hídricos e seus processos ecossistêmicos. "Daí surge a necessidade de uma visão integrada do território, pela coordenação de ações entre as áreas protegidas, sob o pano de fundo "Sítio Ramsar", para a efetiva implementação de Ramsar", explica José Pedro. Atualmente, o Brasil tem 25 áreas úmidas reconhecidas como sítio Ramsar.

Ramsar

A Convenção sobre Áreas Úmidas de Importância Internacional, mais conhecida como Convenção de Ramsar, é um tratado multilateral que estabelece marcos para ações nacionais e para a cooperação entre países com o objetivo de promover a conservação e o uso racional das áreas úmidas. Essas ações estão fundamentadas no reconhecimento, pelos países signatários da Convenção, da importância ecológica e do valor social, econômico, cultural, científico e recreativo de tais áreas.

A Lista de Ramsar é o principal instrumento adotado pela Convenção para implementar seus objetivos. É composta por áreas caracterizadas como ecossistemas úmidos importantes. No Brasil, o Ministério do Meio Ambiente é a Autoridade Administrativa da Convenção de Ramsar e presidente do Comitê Nacional de Zonas Úmidas (CNZU).

Foto:Reprodução/Ministério do Meio Ambiente

Meio Ambiente

Home > Noticias > null

Rio Negro, no Amazonas, é sítio Ramsar Regional

Em São Gabriel da Cachoeira, Ministério do Meio Ambiente apresenta aspectos relacionados ao reconhecimento internacional da área úmida

Portal Amazônia, com informações do Ministério do Meio Ambiente

jornalismo@portalamazonia.com


Nestas segunda e terça-feiras, o Ministério do Meio Ambiente realiza, em São Gabriel da Cachoeira (AM), reunião para apresentar aspectos relacionados com a designação do Rio Negro e áreas adjacentes como Sítio Ramsar Regional. A região foi incluída na lista das áreas úmidas de importância internacional, pela Convenção de Ramsar, na Suíça, em março deste ano. Participam da reunião representantes dos governos federal, estadual, municipal e de entidades da sociedade civil.

A designação possibilita apoio ao desenvolvimento de pesquisas e o acesso a fontes internacionais de financiamento e a criação de um cenário mais amplo para a cooperação. "Espera-se que o título de sítio Ramsar traga benefícios e oportunidades à toda região. O selo "Sítio Ramsar" pode dar maior visibilidade e valor para atividades como o turismo sustentável e desenvolvimento do artesanato local", afirma o secretário de Biodiversidade do ministério, José Pedro de Oliveira Costa.

De acordo com o secretário, o estabelecimento dos Sítios Ramsar em arranjos territoriais em escala regional é mais adequado à gestão das áreas úmidas, dependentes dos fluxos hídricos e seus processos ecossistêmicos. "Daí surge a necessidade de uma visão integrada do território, pela coordenação de ações entre as áreas protegidas, sob o pano de fundo "Sítio Ramsar", para a efetiva implementação de Ramsar", explica José Pedro. Atualmente, o Brasil tem 25 áreas úmidas reconhecidas como sítio Ramsar.

Ramsar

A Convenção sobre Áreas Úmidas de Importância Internacional, mais conhecida como Convenção de Ramsar, é um tratado multilateral que estabelece marcos para ações nacionais e para a cooperação entre países com o objetivo de promover a conservação e o uso racional das áreas úmidas. Essas ações estão fundamentadas no reconhecimento, pelos países signatários da Convenção, da importância ecológica e do valor social, econômico, cultural, científico e recreativo de tais áreas.

A Lista de Ramsar é o principal instrumento adotado pela Convenção para implementar seus objetivos. É composta por áreas caracterizadas como ecossistemas úmidos importantes. No Brasil, o Ministério do Meio Ambiente é a Autoridade Administrativa da Convenção de Ramsar e presidente do Comitê Nacional de Zonas Úmidas (CNZU).

Foto:Reprodução/Ministério do Meio Ambiente

TAG Sítio Ramsarrio negropreservacaorecursos hidricos