Publicidade

Meio Ambiente

Home > Noticias > null

Rio Limpo, Amazônia Viva: projeto de sustentabilidade da Antaq é lançado em Manaus

Manaus receberá pela primeira vez a mobilização do projeto "Rio Limpo, Amazônia Viva", em abril

William Costa

william.costa@portalamazonia.com


Os deslocamentos pela Amazônia são conduzidos, em muitos casos, através de embarcações que oferecem serviços de transporte de passageiros. Uma das rotas mais comuns é o trajeto entre Belém e Manaus, de 1600 quilômetros, que dura 6 dias, pois vai contra a correnteza do rio Amazonas, já o sentido inverso, é feito em 5 dias.

     
Foto:Diego Oliveira/Portal Amazônia
 


Segundo a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), são 9 milhões de passageiros por ano na Amazônia, e a quantidade média de copos plásticos utilizados chega aos 27 milhões. Além dos demais lixos gerados, com o consumo de alimentos durante as refeições que são servidas em louças plásticas, esse número é bem maior.


Com o objetivo de conscientizar os passageiros, donos de embarcações e pessoas que utilizam os portos da região, a ANTAQ criou, há 4 anos, o projeto "Rio Limpo, Amazônia Viva", que desenvolve ações pensadas na conscientização com o meio ambiente, sustentabilidade e preservação dos rios, que já passou por Belém, Santarém e chega a Manaus.


A gerente de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Antaq, Maria Luiza Almeida Gusmão, lembra que o projeto atende a lei de criação do órgão.


"Nossa lei de criação é muito clara, e temos que trabalhar na atuação de preservação do meio ambiente, e a questão dos usuários e passageiros. Eles tem que entrar em uma embarcação interestadual onde possam, mesmo que minimamente, ter um local ideal para armazenar seus resíduos", conta.


Ainda segundo ela, algumas embarcações que fazem as rotas interestaduais tem o sistema de coleta seletiva, mas um dos grandes problemas é a destinação do lixo após as viagens.


"Só nas capitais que temos um serviço melhor para destinação do lixo dessas embarcações, nas cidades menores que muitas delas passam, é difícil encontrarmos sistemas que possam absorver esse lixo e dar um destino correto", ressalta Maria.


O "Rio Limpo, Amazônia Viva" é projeto que a Antaq defende e usa como parâmetro de atuação na região para conscientização da população. Manaus, no Amazonas, receberá o projeto pela primeira vez, durante o mês de abril, onde serão desenvolvidas ações de educação, panfletagem, visitas às embarcações, e a orientação de que os passageiros possam ter uma consciência mais ecológica.


"Queremos explicar para os passageiros a importância de levar suas garrafinhas nas viagens de barco ou um copo mais resistente, e deixe de utilizar os descartáveis, por exemplo. Antigamente as alimentações, por exemplo, eram servidas em louças de vidro e alumínio, hoje, as embarcações preferem os descartáveis, até pelo grande número de furto que se tinha", pontua a gerente.


Além das ações de conscientização, oficinas de reciclagem e coletas de lixo em portos de Manaus, o projeto prevê uma caminhada de impacto pelas ruas da cidade reafirmando ainda mais a questão ambiental.


     
Foto:Divulgação/Antaq
 
 
A assessoria técnica da Antaq, Auxiliadora do Rego Borges ressalta que são feitos eventos prévios como seminários, além de uma consulta pública para debater a questão do transporte de passageiros na região.

"Vamos chamar os parceiros para explicar o projeto para a sociedade e fazer o lançamento em Manaus. Onde também vamos debater em Consulta Pública, a Resolução nª 912, da Antaq, referente a autorização para o transporte de passageiros na navegação interior", disse.


Parceiros


Para quem quiser saber mais sobre o projeto "Rio Limpo, Amazônia Viva", que será lançado em Manaus, nesta quarta-feira (28), a partir das 18h, na Assembleia Legislativa do Amazonas, e queira somar como parceiro nas ações de mobilização, pode enviar e-mail para gestao.ambiental@antaq.gov.br.    
     
         
   
Meio Ambiente

Rio Limpo, Amazônia Viva: projeto de sustentabilidade da Antaq é lançado em Manaus

Manaus receberá pela primeira vez a mobilização do projeto "Rio Limpo, Amazônia Viva", em abril


Os deslocamentos pela Amazônia são conduzidos, em muitos casos, através de embarcações que oferecem serviços de transporte de passageiros. Uma das rotas mais comuns é o trajeto entre Belém e Manaus, de 1600 quilômetros, que dura 6 dias, pois vai contra a correnteza do rio Amazonas, já o sentido inverso, é feito em 5 dias.

     
Foto:Diego Oliveira/Portal Amazônia
 


Segundo a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), são 9 milhões de passageiros por ano na Amazônia, e a quantidade média de copos plásticos utilizados chega aos 27 milhões. Além dos demais lixos gerados, com o consumo de alimentos durante as refeições que são servidas em louças plásticas, esse número é bem maior.


Com o objetivo de conscientizar os passageiros, donos de embarcações e pessoas que utilizam os portos da região, a ANTAQ criou, há 4 anos, o projeto "Rio Limpo, Amazônia Viva", que desenvolve ações pensadas na conscientização com o meio ambiente, sustentabilidade e preservação dos rios, que já passou por Belém, Santarém e chega a Manaus.


A gerente de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Antaq, Maria Luiza Almeida Gusmão, lembra que o projeto atende a lei de criação do órgão.


"Nossa lei de criação é muito clara, e temos que trabalhar na atuação de preservação do meio ambiente, e a questão dos usuários e passageiros. Eles tem que entrar em uma embarcação interestadual onde possam, mesmo que minimamente, ter um local ideal para armazenar seus resíduos", conta.


Ainda segundo ela, algumas embarcações que fazem as rotas interestaduais tem o sistema de coleta seletiva, mas um dos grandes problemas é a destinação do lixo após as viagens.


"Só nas capitais que temos um serviço melhor para destinação do lixo dessas embarcações, nas cidades menores que muitas delas passam, é difícil encontrarmos sistemas que possam absorver esse lixo e dar um destino correto", ressalta Maria.


O "Rio Limpo, Amazônia Viva" é projeto que a Antaq defende e usa como parâmetro de atuação na região para conscientização da população. Manaus, no Amazonas, receberá o projeto pela primeira vez, durante o mês de abril, onde serão desenvolvidas ações de educação, panfletagem, visitas às embarcações, e a orientação de que os passageiros possam ter uma consciência mais ecológica.


"Queremos explicar para os passageiros a importância de levar suas garrafinhas nas viagens de barco ou um copo mais resistente, e deixe de utilizar os descartáveis, por exemplo. Antigamente as alimentações, por exemplo, eram servidas em louças de vidro e alumínio, hoje, as embarcações preferem os descartáveis, até pelo grande número de furto que se tinha", pontua a gerente.


Além das ações de conscientização, oficinas de reciclagem e coletas de lixo em portos de Manaus, o projeto prevê uma caminhada de impacto pelas ruas da cidade reafirmando ainda mais a questão ambiental.


     
Foto:Divulgação/Antaq
 
 
A assessoria técnica da Antaq, Auxiliadora do Rego Borges ressalta que são feitos eventos prévios como seminários, além de uma consulta pública para debater a questão do transporte de passageiros na região.

"Vamos chamar os parceiros para explicar o projeto para a sociedade e fazer o lançamento em Manaus. Onde também vamos debater em Consulta Pública, a Resolução nª 912, da Antaq, referente a autorização para o transporte de passageiros na navegação interior", disse.


Parceiros


Para quem quiser saber mais sobre o projeto "Rio Limpo, Amazônia Viva", que será lançado em Manaus, nesta quarta-feira (28), a partir das 18h, na Assembleia Legislativa do Amazonas, e queira somar como parceiro nas ações de mobilização, pode enviar e-mail para gestao.ambiental@antaq.gov.br.       

TAG projeto antaq manaus rio limpo amazonia viva manaus rio limpo amazonia vivaConsciência Limpa