Ciência e Tecnologia

Realidade virtual e drone atraem jovens durante Caravana da Transformação no Mato Grosso

Secitec ofereceu oficinas com o objetivo de promover a popularização da ciência entre estudantes de escolas públicas da região Oeste

Portal Amazônia, com informações da Gcom-MT

jornalismo@portalamazonia.com


Crianças conferem realidade virtual na Caravana da Transformação. Foto: Divulgação/Gcom-MT
Tecnologia em casa, pelo celular, computador, ou vídeo game não é novidade para Ricardo Brambila, de apenas 13 anos de idade, que foi até a Caravana da Transformação conferir os óculos de realidade virtual. Esta foi umas das atrações disponíveis ao público por uma iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Secitec), em São José dos Quatro Marcos (328 km a Oeste da Capital). Cursando o oitavo ano do Ensino Fundamental, já sabe a profissão que quer seguir quando crescer: engenharia da computação.

Ele foi levado pelo pai para participar da Caravana, e conta que gostou muito do que viu nos óculos de realidade virtual. Sentiu a sensação de estar dentro do espaço sideral, vendo de perto planetas e estrelas. A atração gerou fila no estande, e cada jovem pôde experimentar um pouquinho da sensação que a tecnologia pode proporcionar.

Conforme a superintendente de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação da Secitec, Lucia Braga Souza, os óculos de realidade virtual estão entre as inovações que mais intrigam quem passa pelo estande. “Eles têm a oportunidade de assistir um filme 3D, que é muito real. Os meninos chegam com essa dúvida, se realmente parece que estão dentro do filme, e podem conferir de perto isso”, explica.

Ela ressalta também que a oficina de como pilotar drones gera muito interesse. Na atividade, o adolescente pode comandar por um controle remoto o equipamento, com o acompanhamento de um instrutor. O drone utilizado na demonstração pode filmar e até transportar outros objetos. Os jovens aprendem quanto custa, como funciona, quantas hélices e qual a utilidade do equipamento. “Já existem até serviços sendo prestados com drone, como entrega de pizza”, comenta.

O objetivo é a popularização da ciência, conta a servidora da pasta de tecnologia, Letícia Figueiredo. "Viemos mostrar para estes jovens que a ciência está em tudo, que a ciência é diferente, e vale muito a pena deixar a família, o conforto de casa, para vir trabalhar e ver o resultado", considera.

Robótica

O evento contou também com a oficina de robótica, que mostra como funciona um robô a partir de uma placa de energia solar. “Temos também uma impressora 3D no estande, nas próximas Caravanas nós vamos trazer uma mão robótica feita na impressora 3D para mostrar aos alunos como a ciência pode ajudar as pessoas”, complementa a secretária-adjunta, Lucia Souza.

Kit de informática

A Secitec também levou a São José dos Quatro Marcos um Kit de informática. A Secretaria tem distribuídos 140 destes conjuntos de equipamentos, em 115 dos 141 municípios. São laboratórios de informática completos, que contém um servidor, 10 computadores, 10 mesas, uma tela de projeção, e um ar-condicionado, ou seja, toda uma estrutura para dar suporte à população local.


Ciência e Tecnologia

Realidade virtual e drone atraem jovens durante Caravana da Transformação no Mato Grosso

Secitec ofereceu oficinas com o objetivo de promover a popularização da ciência entre estudantes de escolas públicas da região Oeste

Portal Amazônia, com informações da Gcom-MT

jornalismo@portalamazonia.com


Crianças conferem realidade virtual na Caravana da Transformação. Foto: Divulgação/Gcom-MT
Tecnologia em casa, pelo celular, computador, ou vídeo game não é novidade para Ricardo Brambila, de apenas 13 anos de idade, que foi até a Caravana da Transformação conferir os óculos de realidade virtual. Esta foi umas das atrações disponíveis ao público por uma iniciativa da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Secitec), em São José dos Quatro Marcos (328 km a Oeste da Capital). Cursando o oitavo ano do Ensino Fundamental, já sabe a profissão que quer seguir quando crescer: engenharia da computação.

Ele foi levado pelo pai para participar da Caravana, e conta que gostou muito do que viu nos óculos de realidade virtual. Sentiu a sensação de estar dentro do espaço sideral, vendo de perto planetas e estrelas. A atração gerou fila no estande, e cada jovem pôde experimentar um pouquinho da sensação que a tecnologia pode proporcionar.

Conforme a superintendente de Desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação da Secitec, Lucia Braga Souza, os óculos de realidade virtual estão entre as inovações que mais intrigam quem passa pelo estande. “Eles têm a oportunidade de assistir um filme 3D, que é muito real. Os meninos chegam com essa dúvida, se realmente parece que estão dentro do filme, e podem conferir de perto isso”, explica.

Ela ressalta também que a oficina de como pilotar drones gera muito interesse. Na atividade, o adolescente pode comandar por um controle remoto o equipamento, com o acompanhamento de um instrutor. O drone utilizado na demonstração pode filmar e até transportar outros objetos. Os jovens aprendem quanto custa, como funciona, quantas hélices e qual a utilidade do equipamento. “Já existem até serviços sendo prestados com drone, como entrega de pizza”, comenta.

O objetivo é a popularização da ciência, conta a servidora da pasta de tecnologia, Letícia Figueiredo. "Viemos mostrar para estes jovens que a ciência está em tudo, que a ciência é diferente, e vale muito a pena deixar a família, o conforto de casa, para vir trabalhar e ver o resultado", considera.

Robótica

O evento contou também com a oficina de robótica, que mostra como funciona um robô a partir de uma placa de energia solar. “Temos também uma impressora 3D no estande, nas próximas Caravanas nós vamos trazer uma mão robótica feita na impressora 3D para mostrar aos alunos como a ciência pode ajudar as pessoas”, complementa a secretária-adjunta, Lucia Souza.

Kit de informática

A Secitec também levou a São José dos Quatro Marcos um Kit de informática. A Secretaria tem distribuídos 140 destes conjuntos de equipamentos, em 115 dos 141 municípios. São laboratórios de informática completos, que contém um servidor, 10 computadores, 10 mesas, uma tela de projeção, e um ar-condicionado, ou seja, toda uma estrutura para dar suporte à população local.

TAG realidade virtualroboticaMato Grossocrianças