Publicidade

Internacional

Procurador abre inquérito contra Guaidó por blecaute na Venezuela

Os EUA ameaçaram reagir caso o líder de oposição seja preso

Portal Amazônia, com informações da Ansa

jornalismo@portalamazonia.com


O procurador-geral da Venezuela, Tarek William Saab, fiel ao regime de Nicolás Maduro, abriu um inquérito contra o autoproclamado presidente Juan Guaidó por suposta responsabilidade no blecaute que atinge o país desde a última quinta-feira (7).

Segundo Saab, um indício da participação de Guaidó na "sabotagem elétrica" seria uma mensagem postada no Twitter logo após o início do apagão, na qual o líder da oposição dizia que a luz voltaria somente com "o fim da usurpação".

O inquérito se junta a outro já aberto contra o autoproclamado presidente por supostas irregularidades financeiras. O procurador-geral também disse que Guaidó violou as medidas cautelares que impediam sua saída da Venezuela, ao entrar clandestinamente na Colômbia.

De acordo com o Ministério das Comunicações da Venezuela, o fornecimento de energia elétrica já foi restabelecido "em quase todo o território nacional".

Em resposta ao inquérito, o Departamento de Estado dos EUA disse nesta terça-feira (12) que reagirá "imediatamente" caso Guaidó seja preso. "Todas as opções estão na mesa", ameaçou a Casa Branca. 

Internacional

Home > Noticias > null

Procurador abre inquérito contra Guaidó por blecaute na Venezuela

Os EUA ameaçaram reagir caso o líder de oposição seja preso

Portal Amazônia, com informações da Ansa

jornalismo@portalamazonia.com


O procurador-geral da Venezuela, Tarek William Saab, fiel ao regime de Nicolás Maduro, abriu um inquérito contra o autoproclamado presidente Juan Guaidó por suposta responsabilidade no blecaute que atinge o país desde a última quinta-feira (7).

Segundo Saab, um indício da participação de Guaidó na "sabotagem elétrica" seria uma mensagem postada no Twitter logo após o início do apagão, na qual o líder da oposição dizia que a luz voltaria somente com "o fim da usurpação".

O inquérito se junta a outro já aberto contra o autoproclamado presidente por supostas irregularidades financeiras. O procurador-geral também disse que Guaidó violou as medidas cautelares que impediam sua saída da Venezuela, ao entrar clandestinamente na Colômbia.

De acordo com o Ministério das Comunicações da Venezuela, o fornecimento de energia elétrica já foi restabelecido "em quase todo o território nacional".

Em resposta ao inquérito, o Departamento de Estado dos EUA disse nesta terça-feira (12) que reagirá "imediatamente" caso Guaidó seja preso. "Todas as opções estão na mesa", ameaçou a Casa Branca. 

TAG apagaoblecautevenezuelaJuan GuaidoEUATarek William Saabnicolas maduropresidente