Publicidade

Economia

Home > Noticias > null

Premiação reconhece startups com foco na floresta e biodiversidade da Amazônia

Objetivo da premiação do Programa AmazôniaUP é contribuir para o desenvolvimento sustentável da região

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, a Natura, em parceria com o Centro de Empreendedorismo da Amazônia, promove no dia 14 de dezembro a premiação do Programa AmazôniaUP. No evento, que contará com a participação do diretor de Inovação Digital da Natura, Luciano Abrantes, as startups selecionadas apresentarão os projetos desenvolvidos ao longo dos últimos meses, com foco na floresta e na biodiversidade.

Do total de 130 inscritos, foram selecionados 12 negócios, sendo que cinco são de municípios de atuação direta da Rede Jirau de Agroecologia, apoiada pela Natura. A seleção levou em conta o potencial da ideia e do protótipo quanto à aplicação e inovação. Neste sentido, todos os projetos têm foco na descoberta de novos processos produtivos que não degradem o meio ambiente e na manutenção da floresta em pé.
 
 
Foto: Arquivo/Agência Brasil
 
Entre setembro e dezembro, os selecionados participaram de um processo de imersão que consistiu em quatro oficinas, que trabalharam em profundidade aspectos centrais do desenvolvimento dos negócios, tais como: perfil do cliente, canais de venda, parcerias essenciais, estrutura de custo e fontes de receita.

Além disso, os selecionados tiveram uma formação intensa em apresentação dos negócios a possíveis investidores e parceiros comerciais, orientados por parceiros e CEOs de startups consolidadas na Amazônia e no Brasil, assim como professores especialistas em temas da sociobiodiversidade e da produção rural.

Confira: Importância de cuidar da Amazônia é retratada por meio de arte, no Beco do Batman

No dia da premiação, os modelos de negócio e seus protótipos serão apresentados para um público representativo do ecossistema de negócios sustentáveis da Amazônia, e, ao final, serão escolhidas quatro startups, premiadas com bolsas no valor de 2 mil reais durante quatro meses e mentoria com as instituições apoiadoras do programa, do Centro de Empreendedorismo da Amazônia e executivos da Natura.

Com esse programa, a Natura, em parceria com o Centro de Empreendedorismo da Amazônia, busca incentivar a inovação para alternativas de desenvolvimento sustentável na região, além de avançar no propósito de atuar em rede e valorizar as parcerias locais na Amazônia. Sendo assim, o Programa "AmazôniaUP" foi idealizado para apoiar estes empreendedores, especialmente na região do Baixo Tocantins, no Pará, onde está concentrada a maior parte das comunidades fornecedoras de matéria-prima para a Natura.

Veja também: Ensaio fotográfico de formandos indígenas do Pará viraliza na internet; confira as fotos

Nesta região também concentram-se centros de pesquisa e universidades, além de muitos negócios rurais sustentáveis com foco em Floresta e Biodiversidade, o que facilita o desenvolvimento de negócios de impacto positivo, contribuindo de maneira efetiva para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, como as cadeias do açaí, cacau, pesca, turismo, gastronomia, sistemas agroflorestais, pecuária sustentável, agricultura orgânica, economia criativa, entre outros.

Na primeira edição do Programa, em 2017, foram mais de setenta inscritos, 10 ideias com protótipos selecionadas, 33 jovens empreendedores participando do processo durante três meses de formação e encontros divididos em três oficinas e mais de 10 instituições patrocinadoras.
Economia

Premiação reconhece startups com foco na floresta e biodiversidade da Amazônia

Objetivo da premiação do Programa AmazôniaUP é contribuir para o desenvolvimento sustentável da região


Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, a Natura, em parceria com o Centro de Empreendedorismo da Amazônia, promove no dia 14 de dezembro a premiação do Programa AmazôniaUP. No evento, que contará com a participação do diretor de Inovação Digital da Natura, Luciano Abrantes, as startups selecionadas apresentarão os projetos desenvolvidos ao longo dos últimos meses, com foco na floresta e na biodiversidade.

Do total de 130 inscritos, foram selecionados 12 negócios, sendo que cinco são de municípios de atuação direta da Rede Jirau de Agroecologia, apoiada pela Natura. A seleção levou em conta o potencial da ideia e do protótipo quanto à aplicação e inovação. Neste sentido, todos os projetos têm foco na descoberta de novos processos produtivos que não degradem o meio ambiente e na manutenção da floresta em pé.
 
 
Foto: Arquivo/Agência Brasil
 
Entre setembro e dezembro, os selecionados participaram de um processo de imersão que consistiu em quatro oficinas, que trabalharam em profundidade aspectos centrais do desenvolvimento dos negócios, tais como: perfil do cliente, canais de venda, parcerias essenciais, estrutura de custo e fontes de receita.

Além disso, os selecionados tiveram uma formação intensa em apresentação dos negócios a possíveis investidores e parceiros comerciais, orientados por parceiros e CEOs de startups consolidadas na Amazônia e no Brasil, assim como professores especialistas em temas da sociobiodiversidade e da produção rural.

Confira: Importância de cuidar da Amazônia é retratada por meio de arte, no Beco do Batman

No dia da premiação, os modelos de negócio e seus protótipos serão apresentados para um público representativo do ecossistema de negócios sustentáveis da Amazônia, e, ao final, serão escolhidas quatro startups, premiadas com bolsas no valor de 2 mil reais durante quatro meses e mentoria com as instituições apoiadoras do programa, do Centro de Empreendedorismo da Amazônia e executivos da Natura.

Com esse programa, a Natura, em parceria com o Centro de Empreendedorismo da Amazônia, busca incentivar a inovação para alternativas de desenvolvimento sustentável na região, além de avançar no propósito de atuar em rede e valorizar as parcerias locais na Amazônia. Sendo assim, o Programa "AmazôniaUP" foi idealizado para apoiar estes empreendedores, especialmente na região do Baixo Tocantins, no Pará, onde está concentrada a maior parte das comunidades fornecedoras de matéria-prima para a Natura.

Veja também: Ensaio fotográfico de formandos indígenas do Pará viraliza na internet; confira as fotos

Nesta região também concentram-se centros de pesquisa e universidades, além de muitos negócios rurais sustentáveis com foco em Floresta e Biodiversidade, o que facilita o desenvolvimento de negócios de impacto positivo, contribuindo de maneira efetiva para o desenvolvimento sustentável da Amazônia, como as cadeias do açaí, cacau, pesca, turismo, gastronomia, sistemas agroflorestais, pecuária sustentável, agricultura orgânica, economia criativa, entre outros.

Na primeira edição do Programa, em 2017, foram mais de setenta inscritos, 10 ideias com protótipos selecionadas, 33 jovens empreendedores participando do processo durante três meses de formação e encontros divididos em três oficinas e mais de 10 instituições patrocinadoras.

TAG amazoniaEmpreendedorismostartuppremiacao