Economia

Polo Industrial de Manaus aposta em Michel Temer

Empresários acreditam que Temer destravará economia

Priscila Caldas

pcaldas@jcam.com.br


 

Foto: Beto Barata/Presidência da República

 

 

O impeachment de Dilma Rousseff e a posse do presidente Michel Temer devem gerar mudanças positivas no cenário econômico nacional e estadual. Esta é a expectativa da classe empresarial amazonense. Credibilidade e retomada da política industrial são considerados como pontos chaves para o novo momento no país. Os empresários acreditam em melhores resultados para o Polo Industrial de Manaus (PIM) ainda nos próximos meses.

O economista e consultor, Francisco Mourão Júnior, acredita que a partir de agora, Temer definirá medidas que viabilizem a recuperação econômica nacional. Logo, o Amazonas, também será beneficiado pelas novas decisões. “A economia deverá voltar aos trilhos. Serão necessárias medidas que visem o controle de gastos e a retomada de uma nova política industrial”, disse.

Segundo Júnior, após um ano de instabilidade econômica e política, com a elevação do índice de desemprego e a menor confiança dos investidores estrangeiros, todos os setores econômicos foram atingidos e dentre eles, está o industrial. Para ele, a apreciação de uma pauta, na reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam), hoje, que prevê investimentos estimados em R$3,2 bilhões e abertura de mais de 2,8 mil vagas de trabalho no Estado, representa a retomada da confiança do investidor em relação ao Amazonas.

“Os empresários estavam no aguardo de um sinal quanto à posse ou não de Temer. Mas, a partir de agora, eles poderão confiar em destinar investimentos ao Estado. Então, os empregos começarão a surgir e o mercado deve começar a reagir positivamente”, explicou.

Para o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, o resultado do afastamento de Dilma já era esperado. Ele acredita que este novo período da história brasileira se resumirá em retomada da confiança da população e dos empresários, principalmente. “É preciso recuperar a confiança do país perante o mercado internacional. Acredito que a mudança será positiva a partir de novas medidas, reformas políticas e na equipe econômica.

Neste processo ainda é necessário ouvir a sociedade, a classe empresarial, os técnicos. Temer já coletou várias ideias e sugestões pela classe industrial brasileira. Agora, é só trabalhar”, comentou. “Temos esperança e acreditamos em melhores resultados na economia brasileira. Sabemos que mudanças não acontecem rapidamente, mas vamos observar a situação pelos próximos 60 dias”, completou.

De acordo com o presidente da Fieam, Antonio Silva, a política nacional começa a tomar novo rumo um novo direcionamento que deverá resultar em benefícios ao setor industrial amazonense. Ele ainda destacou a segurança jurídica como um ponto forte durante este período. “A palavra-chave deste período é: credibilidade. A mudança no regime político trará uma série de benefícios, a credibilidade e a esperança de melhores resultados produtivos. Acredito que essa mudança deverá acontecer nos próximos meses”, disse.

Impeachment

Ontem o plenário do Senado aprovou, por 61 votos favoráveis e 20 contrários, o impeachment de Dilma Rousseff. A ex-presidente foi condenada sob a acusação de ter cometido crimes de responsabilidade fiscal –as chamadas "pedaladas fiscais" no Plano Safra e os decretos que geraram gastos sem autorização do Congresso Nacional. Porém, Dilma não foi punida com a inabilitação para funções públicas. Com isso, ela poderá se candidatar para cargos eletivos e também exercer outras funções na administração pública. O presidente Michel Temer tomou posse do cargo na tarde de ontem.


Economia

Polo Industrial de Manaus aposta em Michel Temer

Empresários acreditam que Temer destravará economia

Priscila Caldas

pcaldas@jcam.com.br


 

Foto: Beto Barata/Presidência da República

 

 

O impeachment de Dilma Rousseff e a posse do presidente Michel Temer devem gerar mudanças positivas no cenário econômico nacional e estadual. Esta é a expectativa da classe empresarial amazonense. Credibilidade e retomada da política industrial são considerados como pontos chaves para o novo momento no país. Os empresários acreditam em melhores resultados para o Polo Industrial de Manaus (PIM) ainda nos próximos meses.

O economista e consultor, Francisco Mourão Júnior, acredita que a partir de agora, Temer definirá medidas que viabilizem a recuperação econômica nacional. Logo, o Amazonas, também será beneficiado pelas novas decisões. “A economia deverá voltar aos trilhos. Serão necessárias medidas que visem o controle de gastos e a retomada de uma nova política industrial”, disse.

Segundo Júnior, após um ano de instabilidade econômica e política, com a elevação do índice de desemprego e a menor confiança dos investidores estrangeiros, todos os setores econômicos foram atingidos e dentre eles, está o industrial. Para ele, a apreciação de uma pauta, na reunião do Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam), hoje, que prevê investimentos estimados em R$3,2 bilhões e abertura de mais de 2,8 mil vagas de trabalho no Estado, representa a retomada da confiança do investidor em relação ao Amazonas.

“Os empresários estavam no aguardo de um sinal quanto à posse ou não de Temer. Mas, a partir de agora, eles poderão confiar em destinar investimentos ao Estado. Então, os empregos começarão a surgir e o mercado deve começar a reagir positivamente”, explicou.

Para o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, o resultado do afastamento de Dilma já era esperado. Ele acredita que este novo período da história brasileira se resumirá em retomada da confiança da população e dos empresários, principalmente. “É preciso recuperar a confiança do país perante o mercado internacional. Acredito que a mudança será positiva a partir de novas medidas, reformas políticas e na equipe econômica.

Neste processo ainda é necessário ouvir a sociedade, a classe empresarial, os técnicos. Temer já coletou várias ideias e sugestões pela classe industrial brasileira. Agora, é só trabalhar”, comentou. “Temos esperança e acreditamos em melhores resultados na economia brasileira. Sabemos que mudanças não acontecem rapidamente, mas vamos observar a situação pelos próximos 60 dias”, completou.

De acordo com o presidente da Fieam, Antonio Silva, a política nacional começa a tomar novo rumo um novo direcionamento que deverá resultar em benefícios ao setor industrial amazonense. Ele ainda destacou a segurança jurídica como um ponto forte durante este período. “A palavra-chave deste período é: credibilidade. A mudança no regime político trará uma série de benefícios, a credibilidade e a esperança de melhores resultados produtivos. Acredito que essa mudança deverá acontecer nos próximos meses”, disse.

Impeachment

Ontem o plenário do Senado aprovou, por 61 votos favoráveis e 20 contrários, o impeachment de Dilma Rousseff. A ex-presidente foi condenada sob a acusação de ter cometido crimes de responsabilidade fiscal –as chamadas "pedaladas fiscais" no Plano Safra e os decretos que geraram gastos sem autorização do Congresso Nacional. Porém, Dilma não foi punida com a inabilitação para funções públicas. Com isso, ela poderá se candidatar para cargos eletivos e também exercer outras funções na administração pública. O presidente Michel Temer tomou posse do cargo na tarde de ontem.

TAG EconomiaManausAmazonasPolo Industrial de ManausZFMindústria