Publicidade

Cidades

Home > Noticias > null

Polícia Federal identifica áreas de desmatamento e grilagem em Altamira, no Pará

Operação constatou desmatamentos na Terra Indígena Ituna Itatá, e exploração seletiva de madeira na Terra Indígena Arara e Terra Indígena Cachoeira Seca

Portal Amazônia, com informações da PF

jornalismo@portalamazonia.com


A Polícia Federal identificou, nos últimos dias, áreas de desmatamento (aproximadamente 15 mil hectares) e iminente processo de grilagem no município de Altamira, no Pará. Outras ações estão sendo desenvolvidas no âmbito da Operação VerdeBrasil.

 

Os policiais, através do uso de recursos tecnológicos, como geoprocessamento, imagens de satélite e outras ferramentas disponíveis, localizaram as áreas degradadas, o que possibilitou o deslocamento até a região e a chegada às localidades de difícil acesso.

 

Foto: Divulgação/PF

Foram realizadas incursões no interior de Terras Indígenas, sendo constatado desmatamentos na Terra Indígena Ituna Itatá, e exploração seletiva de madeira na Terra Indígena Arara e Terra Indígena Cachoeira Seca.

 

Um grupo de peritos da PF também identificou, planejou e conduziu a equipe policial para as ações realizadas no garimpo Ressaca, dia 30 de agosto. No interior desse garimpo foram encontradas e destruídas 2 máquinas PC e diversos equipamentos/motores/ acampamentos.

 

Foram realizados voos, em parceria com a Marinha do Brasil e com o Ibama, para registro de imagens e outras ações sobre os acampamentos no interior das áreas desmatadas.

 

Paralelamente, estão sendo elaborados laudos dessas situações, especialmente dos desmatamentos na TI Ituna Itatá. Foi identificada, pela equipe de polícia judiciária, a possível autoria desses desmatamentos e grilagem de terras na localidade.

 

Além disso, uma equipe pericial segue desenvolvendo trabalhos específicos relativos à investigação do chamado "Dia do Fogo”.

 

Cidades

Polícia Federal identifica áreas de desmatamento e grilagem em Altamira, no Pará

Operação constatou desmatamentos na Terra Indígena Ituna Itatá, e exploração seletiva de madeira na Terra Indígena Arara e Terra Indígena Cachoeira Seca

Portal Amazônia, com informações da PF

jornalismo@portalamazonia.com


A Polícia Federal identificou, nos últimos dias, áreas de desmatamento (aproximadamente 15 mil hectares) e iminente processo de grilagem no município de Altamira, no Pará. Outras ações estão sendo desenvolvidas no âmbito da Operação VerdeBrasil.

 

Os policiais, através do uso de recursos tecnológicos, como geoprocessamento, imagens de satélite e outras ferramentas disponíveis, localizaram as áreas degradadas, o que possibilitou o deslocamento até a região e a chegada às localidades de difícil acesso.

 

Foto: Divulgação/PF

Foram realizadas incursões no interior de Terras Indígenas, sendo constatado desmatamentos na Terra Indígena Ituna Itatá, e exploração seletiva de madeira na Terra Indígena Arara e Terra Indígena Cachoeira Seca.

 

Um grupo de peritos da PF também identificou, planejou e conduziu a equipe policial para as ações realizadas no garimpo Ressaca, dia 30 de agosto. No interior desse garimpo foram encontradas e destruídas 2 máquinas PC e diversos equipamentos/motores/ acampamentos.

 

Foram realizados voos, em parceria com a Marinha do Brasil e com o Ibama, para registro de imagens e outras ações sobre os acampamentos no interior das áreas desmatadas.

 

Paralelamente, estão sendo elaborados laudos dessas situações, especialmente dos desmatamentos na TI Ituna Itatá. Foi identificada, pela equipe de polícia judiciária, a possível autoria desses desmatamentos e grilagem de terras na localidade.

 

Além disso, uma equipe pericial segue desenvolvendo trabalhos específicos relativos à investigação do chamado "Dia do Fogo”.

 


TAG amazonia desmatadadesmatamento na amazoniadesmatamento