Publicidade

Ciência e Tecnologia

Home > Noticias > null

Pesquisa abrange desafios éticos no uso de animais em testes

O uso de animais de laboratório em pesquisas científicas é regido atualmente pelos princípios dos 3Rs: Reduction, Refinement e Replacement

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará

jornalismo@portalamazonia.com


A existência de medicamentos e vacinas para a manutenção da saúde dos indivíduos pressupõe a realização de pesquisas e experimentos científicos para a descoberta de substâncias indispensáveis à criação dos remédios. No entanto, desde os primórdios da ciência, os animais são usados em testes de laboratório. Neles, os cientistas podem observar como as substâncias se comportam em humanos. A partir daí surge uma discussão ética sobre a utilização dos animais e a regulamentação das pesquisas acadêmicas referentes a essa questão.


Para fixar diretrizes nas pesquisas com animais, a Universidade do Estado do Pará (Uepa) implantou no ano de 2013, por meio do Parecer Técnico nº 59 do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea), o Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA). Instalado no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), o órgão funciona uma instância colegiada, interdisciplinar, autônoma, de caráter consultivo, educativo e deliberativo com a função de analisar, emitir pareceres e expedir certificados de acordo com os princípios éticos no uso de animais em pesquisa e ensino implementados pelo Concea.








Hoje, o Comitê desenvolve as atividades no Biotério, espaço inaugurado em 2017 que funciona como o viveiro de animais e recebe os profissionais e discentes para a execução de pesquisas. Como ambos realizam trabalhos que são de áreas afins, aumentam as possibilidades de gestão do serviço oferecido para as pesquisas dos discentes da Instituição. “Agora que estamos unidos em um mesmo espaço de convivência entre o CEUA e o Biotério facilitou a nossa troca de informações e a gestão das pesquisas dos alunos da Uepa”, comentou a secretária do CEUA, Sônia Palheta.


O uso de animais de laboratório em pesquisas científicas é regido atualmente pelos princípios dos 3Rs: Reduction (redução), Refinement (refinamento) e Replacement (substituição). O intuito é a redução da quantidade de animais usados, além do aperfeiçoamento na condução das pesquisas com a finalidade de reduzir o sofrimento dos animais, por meio de métodos alternativos nos experimentos.




 

Humanização



A humanização no âmbito das pesquisas acadêmicas é um dos horizontes a serem alcançados pelo Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA), haja vista a necessidade atual do uso de cobaias animais que tenham uma formação biológica e química mais próxima a dos humanos. Nesse sentido, a regulamentação das pesquisas acadêmicas da Uepa é uma das diretrizes essenciais para que a Instituição possa realizar experiências que estejam enquadradas no debate ético referente ao uso dos animais em pesquisas. “Hoje em dia, nosso objetivo é fazer com que as pessoas entendam que o animal sofre e sente dor. Então dentro da nossa comissão a gente precisa conversar para saber se o projeto encaminhado miniminiza essas questões”, afirmou o coordenador do CEUA, professor doutor Anderson Bentes de Lima.


O Comitê de Ética no Uso de Animais da Universidade do Estado do Pará realiza um trabalho pontual para a regulamentação das pesquisas científicas, pois almeja criar uma cultura científica dentro da instituição que demonstre o entendimento sobre a importância de vida animal.
"Quando se realiza um teste, o animal vai ser usado em prol da vida das pessoas. Portanto é necessário desenvolver o pensamento de que toda a vida é importante, além de colocar a Uepa numa posição de respeito a questão ética que contorna o uso de animais em pesquisas acadêmicas”, finalizou o professor.

Ciência e Tecnologia

Pesquisa abrange desafios éticos no uso de animais em testes

O uso de animais de laboratório em pesquisas científicas é regido atualmente pelos princípios dos 3Rs: Reduction, Refinement e Replacement

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará

jornalismo@portalamazonia.com


A existência de medicamentos e vacinas para a manutenção da saúde dos indivíduos pressupõe a realização de pesquisas e experimentos científicos para a descoberta de substâncias indispensáveis à criação dos remédios. No entanto, desde os primórdios da ciência, os animais são usados em testes de laboratório. Neles, os cientistas podem observar como as substâncias se comportam em humanos. A partir daí surge uma discussão ética sobre a utilização dos animais e a regulamentação das pesquisas acadêmicas referentes a essa questão.


Para fixar diretrizes nas pesquisas com animais, a Universidade do Estado do Pará (Uepa) implantou no ano de 2013, por meio do Parecer Técnico nº 59 do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea), o Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA). Instalado no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), o órgão funciona uma instância colegiada, interdisciplinar, autônoma, de caráter consultivo, educativo e deliberativo com a função de analisar, emitir pareceres e expedir certificados de acordo com os princípios éticos no uso de animais em pesquisa e ensino implementados pelo Concea.








Hoje, o Comitê desenvolve as atividades no Biotério, espaço inaugurado em 2017 que funciona como o viveiro de animais e recebe os profissionais e discentes para a execução de pesquisas. Como ambos realizam trabalhos que são de áreas afins, aumentam as possibilidades de gestão do serviço oferecido para as pesquisas dos discentes da Instituição. “Agora que estamos unidos em um mesmo espaço de convivência entre o CEUA e o Biotério facilitou a nossa troca de informações e a gestão das pesquisas dos alunos da Uepa”, comentou a secretária do CEUA, Sônia Palheta.


O uso de animais de laboratório em pesquisas científicas é regido atualmente pelos princípios dos 3Rs: Reduction (redução), Refinement (refinamento) e Replacement (substituição). O intuito é a redução da quantidade de animais usados, além do aperfeiçoamento na condução das pesquisas com a finalidade de reduzir o sofrimento dos animais, por meio de métodos alternativos nos experimentos.




 

Humanização



A humanização no âmbito das pesquisas acadêmicas é um dos horizontes a serem alcançados pelo Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA), haja vista a necessidade atual do uso de cobaias animais que tenham uma formação biológica e química mais próxima a dos humanos. Nesse sentido, a regulamentação das pesquisas acadêmicas da Uepa é uma das diretrizes essenciais para que a Instituição possa realizar experiências que estejam enquadradas no debate ético referente ao uso dos animais em pesquisas. “Hoje em dia, nosso objetivo é fazer com que as pessoas entendam que o animal sofre e sente dor. Então dentro da nossa comissão a gente precisa conversar para saber se o projeto encaminhado miniminiza essas questões”, afirmou o coordenador do CEUA, professor doutor Anderson Bentes de Lima.


O Comitê de Ética no Uso de Animais da Universidade do Estado do Pará realiza um trabalho pontual para a regulamentação das pesquisas científicas, pois almeja criar uma cultura científica dentro da instituição que demonstre o entendimento sobre a importância de vida animal.
"Quando se realiza um teste, o animal vai ser usado em prol da vida das pessoas. Portanto é necessário desenvolver o pensamento de que toda a vida é importante, além de colocar a Uepa numa posição de respeito a questão ética que contorna o uso de animais em pesquisas acadêmicas”, finalizou o professor.


TAG parabelemdebatetesteanimais