Internacional

Peru reitera aos EUA pedido de extradição de ex-presidente

Alejandro Toledo teve prisão decretada no âmbito das investigações sobre um esquema de corrupção envolvendo a construtora brasileira Odebrecht

Portal Amazônia, com informações da Agência Ansa

jornalismo@portalamazonia.com


O governo do Peru pediu novamente às autoridades dos Estados Unidos para deterem e extraditarem o ex-presidente peruano Alejandro Toledo, que teve sua prisão decretada no âmbito das investigações sobre um esquema de corrupção envolvendo a construtora brasileira Odebrecht.

 


Toledo se negou a informar seu paradeiro desde que o pedido de prisão foi decretado, argumentando que a Justiça é tendenciosa. Foto: Reprodução/TV Peru
O primeiro pedido, feito na última quarta-feira (15), foi negado e os Estados Unidos pediram provas mais contundentes ao Judiciário peruano sobre o envolvimento de Toledo, que atualmente vive em solo norte-americano. O ex-presidente é acusado por tráfico de influência e por lavagem de dinheiro, sendo suspeito de ter recebido propinas no valor aproximado de US$ 20 milhões. O pedido de prisão preventiva foi dado pelo juiz Richard Concepción após pedido do promotor anticorrupção Hamilton Castro.


O ex-presidente nega as acusações e diz ser vítima de perseguição política. Toledo se negou a informar seu paradeiro desde que o pedido de prisão foi decretado, argumentando que a Justiça é tendenciosa.

A Odebrecht reconheceu a distribuição de centenas de milhões em propinas na América Latina, o que tem gerado inquérito em diversos países, inclusive Peru e Panamá.

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, pediu ao mandatário dos Estados Unidos, Donald Trump, para ordenar pessoalmente a deportação de Toledo sob uma provisão na lei antimigratória norte-americana, segundo o ministro do Interior peruano Ruben Varga. 


Internacional

Peru reitera aos EUA pedido de extradição de ex-presidente

Alejandro Toledo teve prisão decretada no âmbito das investigações sobre um esquema de corrupção envolvendo a construtora brasileira Odebrecht

Portal Amazônia, com informações da Agência Ansa

jornalismo@portalamazonia.com


O governo do Peru pediu novamente às autoridades dos Estados Unidos para deterem e extraditarem o ex-presidente peruano Alejandro Toledo, que teve sua prisão decretada no âmbito das investigações sobre um esquema de corrupção envolvendo a construtora brasileira Odebrecht.

 


Toledo se negou a informar seu paradeiro desde que o pedido de prisão foi decretado, argumentando que a Justiça é tendenciosa. Foto: Reprodução/TV Peru
O primeiro pedido, feito na última quarta-feira (15), foi negado e os Estados Unidos pediram provas mais contundentes ao Judiciário peruano sobre o envolvimento de Toledo, que atualmente vive em solo norte-americano. O ex-presidente é acusado por tráfico de influência e por lavagem de dinheiro, sendo suspeito de ter recebido propinas no valor aproximado de US$ 20 milhões. O pedido de prisão preventiva foi dado pelo juiz Richard Concepción após pedido do promotor anticorrupção Hamilton Castro.


O ex-presidente nega as acusações e diz ser vítima de perseguição política. Toledo se negou a informar seu paradeiro desde que o pedido de prisão foi decretado, argumentando que a Justiça é tendenciosa.

A Odebrecht reconheceu a distribuição de centenas de milhões em propinas na América Latina, o que tem gerado inquérito em diversos países, inclusive Peru e Panamá.

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, pediu ao mandatário dos Estados Unidos, Donald Trump, para ordenar pessoalmente a deportação de Toledo sob uma provisão na lei antimigratória norte-americana, segundo o ministro do Interior peruano Ruben Varga. 

TAG Amazonia InternacionalPerupoliticaOdebrecht corrupcaoinvestigacao