Publicidade

Amazônia

Home > Noticias > null

Pacu, curimatã e matrinxã: conheça 19 peixes que estão sob risco de extinção na Amazônia

O Livro Vermelho da Fauna registrou 180 espécies, apenas no bioma Amazônia, sob risco de extinção

Victor Cruz

jornalismo@portalamazonia.com


Mais de 80 espécies de peixe estão estão sob risco de extinção na Amazônia. O bioma tem 180 espécies, em geral, que correm o risco de desaparecem do ecossistema, conforme informações do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção 2018, divulgado na sexta-feira (25), pelo Instituto de Conservação da Biodiversidade Chico Mendes (ICMBio).

Livro Vermelho da Fauna: Amazônia tem 180 espécies sob risco de extinção

O estudo contou com a participação de 1.270 pesquisadores. Dentre as espécies de peixe que estão ameaçadas, constam o Pacu, o Curimatã e o Matrinxã, conhecidos entre os consumidores do Norte.

O Curimatã, de nome científico Prochilodus britskii, é conhecido apenas da série-tipo, coletado na bacia do rio Arinos, a montante da primeira corredeira antes da confluência com o rio Juruena, drenagem do rio Tapajós, estado de Mato Grosso. Sua classificação é Em Perigo de extinção.

A principal ameaça atual é a perda de qualidade de habitat devido a mudança no uso do solo para fins agropecuários e urbanos (J.A.S. Zuanon, obs. pess.). Há a previsão de construção de pelo menos uma usina hidrelétrica no rio Arinos, o que poderá comprometer severamente o habitat da espécie.

Já o Pacu, de nome científico Mylesinus paucisquamatus, sofre com a perda e fragmentação do habitat de corredeiras. Dentre as atividades que alteram o habitat de corredeiras, se destacam o represamento dos rios para construção de usinas hidrelétricas e atividades mineradoras. Na bacia do rio Tocantins seis usinas hidrelétricas encontram-se em funcionamento ou já com a Licença de Operação concedida e quatro estão planejadas.

O matrinxã, também conhecido como piabanha, de nome científico Brycon gouldingi, sofre com a pesca esportiva e comercial. A bacia do rio Tocantins, onde vive grande parte da população, está sendo progressivamente modificada por barragens hidrelétricas.

O Portal Amazônia levantou 19 espécies da região que também compõe a lista vermelha, confira:

Espécie: Curimatã (Prochilodus britskii)

Situação: Em Perigo

Encontrado no Mato Grosso

 
   
 
 
Pacu (Mylesinus paucisquamatus)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará, Tocantins e Goiás
 
   
 
Matrinxã (Brycon gouldingi)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará, Mato Grosso, Tocantins e Goias
 
   
 
 
Pirapema ou camurupim (Megalops atlanticus)

Situação: Vulnerável

Encontrada no Amapá e Pará
 
   
 
Aracu (Leporinus pitingai)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Amazonas
 
   
 
 
Aracu-boca-pra-cima (Sartor tucuruiense)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará e em Tocantins
 
   
 
 
Gurijuba ou bagre (Sciades parkeri)

Situação: Vulnerável

Encontrado na costa no Amapá e Pará
 
   
 
 
Bacuzinho (Rhynchodoras xingui)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Mato Grosso, Pará e Goias
 
   
 
Bagre (Aguarunichthys tocantinsensis)

Situação: Em Perigo

Encontrado no Pará, Tocantins, Mato Grosso e Goias
 
   
 
 
Acari ou cascudo (Baryancistrus longipinnis)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 
   
 
Acari (Baryancistrus niveatus)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará, Tocantins e Goias
 
   
 
Acari-Cachimbo (Harttia depressa)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Amazonas
 
   
 
 
Alicate ou Cari-de-Unha (Hopliancistrus tricornis)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará
 
   
 
 
Cascudo-zebra-imperial, acari-zebra, zebrinha, cascudo-zebra (Hypancistrus zebra)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará
 
   
 
Acari-Vampiro (Leporacanthicus joselimai)

Situação: Vulnerável

Encontrada no Pará
 
   
 
 
Cascudo-Tigre-Ouro (Peckoltia compta)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará
 
   
 
Garoupa-São-Tomé (Epinephelus morio)

Situação: Vulnerável

Encontrada na costa do Amapá até Santa Catarina
 
   
 
Joana (Crenicichla cyclostoma)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 
   
 
 
Joaninha-da-Pedra ou Jacundá (Teleocichla cinderella)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 
   
 
Veja a lista completa de peixes do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção
Amazônia

Pacu, curimatã e matrinxã: conheça 19 peixes que estão sob risco de extinção na Amazônia

O Livro Vermelho da Fauna registrou 180 espécies, apenas no bioma Amazônia, sob risco de extinção


Mais de 80 espécies de peixe estão estão sob risco de extinção na Amazônia. O bioma tem 180 espécies, em geral, que correm o risco de desaparecem do ecossistema, conforme informações do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção 2018, divulgado na sexta-feira (25), pelo Instituto de Conservação da Biodiversidade Chico Mendes (ICMBio).

Livro Vermelho da Fauna: Amazônia tem 180 espécies sob risco de extinção

O estudo contou com a participação de 1.270 pesquisadores. Dentre as espécies de peixe que estão ameaçadas, constam o Pacu, o Curimatã e o Matrinxã, conhecidos entre os consumidores do Norte.

O Curimatã, de nome científico Prochilodus britskii, é conhecido apenas da série-tipo, coletado na bacia do rio Arinos, a montante da primeira corredeira antes da confluência com o rio Juruena, drenagem do rio Tapajós, estado de Mato Grosso. Sua classificação é Em Perigo de extinção.

A principal ameaça atual é a perda de qualidade de habitat devido a mudança no uso do solo para fins agropecuários e urbanos (J.A.S. Zuanon, obs. pess.). Há a previsão de construção de pelo menos uma usina hidrelétrica no rio Arinos, o que poderá comprometer severamente o habitat da espécie.

Já o Pacu, de nome científico Mylesinus paucisquamatus, sofre com a perda e fragmentação do habitat de corredeiras. Dentre as atividades que alteram o habitat de corredeiras, se destacam o represamento dos rios para construção de usinas hidrelétricas e atividades mineradoras. Na bacia do rio Tocantins seis usinas hidrelétricas encontram-se em funcionamento ou já com a Licença de Operação concedida e quatro estão planejadas.

O matrinxã, também conhecido como piabanha, de nome científico Brycon gouldingi, sofre com a pesca esportiva e comercial. A bacia do rio Tocantins, onde vive grande parte da população, está sendo progressivamente modificada por barragens hidrelétricas.

O Portal Amazônia levantou 19 espécies da região que também compõe a lista vermelha, confira:

Espécie: Curimatã (Prochilodus britskii)

Situação: Em Perigo

Encontrado no Mato Grosso

 
   
 
 
Pacu (Mylesinus paucisquamatus)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará, Tocantins e Goiás
 
   
 
Matrinxã (Brycon gouldingi)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará, Mato Grosso, Tocantins e Goias
 
   
 
 
Pirapema ou camurupim (Megalops atlanticus)

Situação: Vulnerável

Encontrada no Amapá e Pará
 
   
 
Aracu (Leporinus pitingai)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Amazonas
 
   
 
 
Aracu-boca-pra-cima (Sartor tucuruiense)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará e em Tocantins
 
   
 
 
Gurijuba ou bagre (Sciades parkeri)

Situação: Vulnerável

Encontrado na costa no Amapá e Pará
 
   
 
 
Bacuzinho (Rhynchodoras xingui)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Mato Grosso, Pará e Goias
 
   
 
Bagre (Aguarunichthys tocantinsensis)

Situação: Em Perigo

Encontrado no Pará, Tocantins, Mato Grosso e Goias
 
   
 
 
Acari ou cascudo (Baryancistrus longipinnis)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 
   
 
Acari (Baryancistrus niveatus)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará, Tocantins e Goias
 
   
 
Acari-Cachimbo (Harttia depressa)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Amazonas
 
   
 
 
Alicate ou Cari-de-Unha (Hopliancistrus tricornis)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará
 
   
 
 
Cascudo-zebra-imperial, acari-zebra, zebrinha, cascudo-zebra (Hypancistrus zebra)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará
 
   
 
Acari-Vampiro (Leporacanthicus joselimai)

Situação: Vulnerável

Encontrada no Pará
 
   
 
 
Cascudo-Tigre-Ouro (Peckoltia compta)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará
 
   
 
Garoupa-São-Tomé (Epinephelus morio)

Situação: Vulnerável

Encontrada na costa do Amapá até Santa Catarina
 
   
 
Joana (Crenicichla cyclostoma)

Situação: Criticamente em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 
   
 
 
Joaninha-da-Pedra ou Jacundá (Teleocichla cinderella)

Situação: Em Perigo

Encontrada no Pará e Tocantins
 
   
 
Veja a lista completa de peixes do Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção

TAG peixesextincaoamazoniaLivro Vermelho da Fauna 2018