Publicidade

Cidades

Órgãos de defesa ambiental iniciam ações de prevenção e combate a queimadas no Acre

O período favorável a queimadas em grande parte da região amazônica se inicia em junho, com a estiagem e o início do verão amazônico

Portal Amazônia, com informações da Radioagência Nacional

jornalismo@portalamazonia.com


O período favorável a queimadas em grande parte da região amazônica se inicia em junho, com a estiagem e o início do verão amazônico. Este é o caso do Acre.

 

De acordo com o governo acreano, focos de incêndios criminosos levaram os órgãos de defesa ambiental a anteciparem as ações de prevenção.

 

Com base em um plano de contingenciamento elaborado em novembro do ano passado, os agentes ambientais atuam na conscientização da população sobre os riscos e prejuízos que as queimadas provocam à saúde e ao meio ambiente.

 

Foto: Arquivo/Ibama

Entre as atividades executadas estão a preparação do efetivo e a aquisição de equipamento de combate a incêndios; além de palestras educativas em escolas públicas com o intuito de transformar os alunos em agentes de conscientização no meio familiar. Também foram pensadas estratégias de comunicação como as propagandas.

 

Além do Corpo de Bombeiros, também participam da força-tarefa a Defesa Civil, a secretaria Municipal de Meio Ambiente de Rio Branco, o Instituto de Meio Ambiente, a secretaria estadual da saúde, além das forças militares ambientais.

 

A queimada – seja em área urbana ou rural – é crime previsto em lei com pena de três a seis anos de prisão e multa. E isso vale, inclusive, para infrações consideradas mais leves, como a prática de queimar folhas em terrenos.

 

     

Cidades

Home > Noticias > null

Órgãos de defesa ambiental iniciam ações de prevenção e combate a queimadas no Acre

O período favorável a queimadas em grande parte da região amazônica se inicia em junho, com a estiagem e o início do verão amazônico

Portal Amazônia, com informações da Radioagência Nacional

jornalismo@portalamazonia.com


O período favorável a queimadas em grande parte da região amazônica se inicia em junho, com a estiagem e o início do verão amazônico. Este é o caso do Acre.

 

De acordo com o governo acreano, focos de incêndios criminosos levaram os órgãos de defesa ambiental a anteciparem as ações de prevenção.

 

Com base em um plano de contingenciamento elaborado em novembro do ano passado, os agentes ambientais atuam na conscientização da população sobre os riscos e prejuízos que as queimadas provocam à saúde e ao meio ambiente.

 

Foto: Arquivo/Ibama

Entre as atividades executadas estão a preparação do efetivo e a aquisição de equipamento de combate a incêndios; além de palestras educativas em escolas públicas com o intuito de transformar os alunos em agentes de conscientização no meio familiar. Também foram pensadas estratégias de comunicação como as propagandas.

 

Além do Corpo de Bombeiros, também participam da força-tarefa a Defesa Civil, a secretaria Municipal de Meio Ambiente de Rio Branco, o Instituto de Meio Ambiente, a secretaria estadual da saúde, além das forças militares ambientais.

 

A queimada – seja em área urbana ou rural – é crime previsto em lei com pena de três a seis anos de prisão e multa. E isso vale, inclusive, para infrações consideradas mais leves, como a prática de queimar folhas em terrenos.

 

     

TAG acrefocos queimadasqueimadas