Publicidade

Meio Ambiente

Home > Noticias > null

Operação do Ibama apreende mais de 18 toneladas de pescado no interior do Amazonas

A operação do Ibama visitou os municípios de Atalaia do Norte, Tabatinga, Benjamin Constant, São Pelo de Olivença, Amaturá e Santo Antônio do Içá, no Amazonas

William Costa

william.costa@portalamazonia.com


Uma operação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreendeu mais de 18 toneladas de peixes e carnes de animais silvestres no interior do Amazonas. Carnes podres de boto, jacaré e gado eram usadas como isca para captura da piracatinga. 
   
Foto: Divulgação/Ibama
 
Segundo o órgão, a operação que iniciou no dia 11 de fevereiro e terminou nesta quarta-feira (20) tinha como foco a pesca na região do Alto Solimões, e passou pelo municípios de Atalaia do Norte, Tabatinga, Benjamin Constant, São Pelo de Olivença, Amaturá e Santo Antônio do Içá.

A pesca da piracatinga está em moratória devido o uso de carne de botos para captura do peixe, onde os pescadores caçam os botos, que já estão na lista de animais ameaçados de extinção, e com a carne podre, usam como iscas na pesca da piracatinga.
   
Foto: Divulgação/Ibama
 
Entre as constatações do Ibama estavam a de armazenamento ilegal do pescado, pesca do pirarucu, que é proibido o ano todo, além de outros peixes em período de defeso, como o tambaqui, o surubim, caparari, aruanã, matrinxã e outros.

Ainda segundo o Ibama, os destinos do pescado apreendido seriam o Peru e a Colômbia. Os fiscais do órgão ainda apontam fraude na exportação do peixe, e encaminharam para a Receita Federal as constatações.
   
Foto: Divulgação/Ibama
 

Além do pescado, carne de caça também foi apreendida nas feiras de Tabatinga, e a prefeitura da cidade, notificada. E mais de 56 mil m³ de madeira foram apreendidas e 3 serrarias embargadas, e mais de 5 mil litros de combustível foi apreendida por estar sendo vendido de forma inadequada e ilegal.

No total, foram apreendidas:

10 toneladas da piracatinga;
4 toneladas pirarucu;
4,6 tonelada de peixes em defeso;
100 quilos de carne de caça;
56,846 m³ de madeira, tendo três serrarias embargadas;
5.450 litros de gasolina. 
   
Foto: Divulgação/Ibama
 
Todo o pescado apreendido foi doado para instituições de caridade e a madeira repassada para Defesa Civil. A operação teve o apoio da Polícia Federal.

A equipe de reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Tabatinga, que informou ter sido notificada na última segunda-feira (18), e que realizará uma reunião nesta sexta-feira (22) com os permissionários das feiras para tratar da questão.

Meio Ambiente

Operação do Ibama apreende mais de 18 toneladas de pescado no interior do Amazonas

A operação do Ibama visitou os municípios de Atalaia do Norte, Tabatinga, Benjamin Constant, São Pelo de Olivença, Amaturá e Santo Antônio do Içá, no Amazonas


Uma operação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apreendeu mais de 18 toneladas de peixes e carnes de animais silvestres no interior do Amazonas. Carnes podres de boto, jacaré e gado eram usadas como isca para captura da piracatinga. 
   
Foto: Divulgação/Ibama
 
Segundo o órgão, a operação que iniciou no dia 11 de fevereiro e terminou nesta quarta-feira (20) tinha como foco a pesca na região do Alto Solimões, e passou pelo municípios de Atalaia do Norte, Tabatinga, Benjamin Constant, São Pelo de Olivença, Amaturá e Santo Antônio do Içá.

A pesca da piracatinga está em moratória devido o uso de carne de botos para captura do peixe, onde os pescadores caçam os botos, que já estão na lista de animais ameaçados de extinção, e com a carne podre, usam como iscas na pesca da piracatinga.
   
Foto: Divulgação/Ibama
 
Entre as constatações do Ibama estavam a de armazenamento ilegal do pescado, pesca do pirarucu, que é proibido o ano todo, além de outros peixes em período de defeso, como o tambaqui, o surubim, caparari, aruanã, matrinxã e outros.

Ainda segundo o Ibama, os destinos do pescado apreendido seriam o Peru e a Colômbia. Os fiscais do órgão ainda apontam fraude na exportação do peixe, e encaminharam para a Receita Federal as constatações.
   
Foto: Divulgação/Ibama
 

Além do pescado, carne de caça também foi apreendida nas feiras de Tabatinga, e a prefeitura da cidade, notificada. E mais de 56 mil m³ de madeira foram apreendidas e 3 serrarias embargadas, e mais de 5 mil litros de combustível foi apreendida por estar sendo vendido de forma inadequada e ilegal.

No total, foram apreendidas:

10 toneladas da piracatinga;
4 toneladas pirarucu;
4,6 tonelada de peixes em defeso;
100 quilos de carne de caça;
56,846 m³ de madeira, tendo três serrarias embargadas;
5.450 litros de gasolina. 
   
Foto: Divulgação/Ibama
 
Todo o pescado apreendido foi doado para instituições de caridade e a madeira repassada para Defesa Civil. A operação teve o apoio da Polícia Federal.

A equipe de reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Tabatinga, que informou ter sido notificada na última segunda-feira (18), e que realizará uma reunião nesta sexta-feira (22) com os permissionários das feiras para tratar da questão.


TAG operacaoalto solimoesamazonaspescadodefesobotosIbama