Esportes

No último jogo das oitavas, Inglaterra elimina Colômbia nos pênaltis

Os colombianos estavam muito irritados na partida. Reclamavam muito das decisões do árbitro

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


A classificação inglesa, que parecia tranquila até o final do segundo tempo, foi dramática. Depois de controlar o jogo durante os 90 minutos, levou um gol de empate nos acréscimos e só se garantiu nas quartas de final nos pênaltis. A classificação inglesa encerra a fase de oitavas de final da Copa do Mundo. Com a vitória, a Inglaterra enfrenta a Suécia na próxima fase.

A Colômbia fez um jogo nervoso durante o tempo normal e melhorou na prorrogação. Mas dependia muito de Falcão Garcia e Cuadrado, seus principais nomes ofensivos, para se manter na competição. Mas eles não estavam em um dia inspirado. James Rodriguez, o craque do time e responsável pela armação de jogadas, sequer foi para o banco de reservas, devido a uma lesão.



 
Foto: John Sibley/Reuters/Agência Brasil
 

Os colombianos ainda tiveram sobrevida na partida com o gol do zagueiro Mina. Com seus gols, ele já vinha salvando o time na Copa desde a fase de grupos. Mas dessa vez não foi o suficiente. O placar de 1 a 1 levou o jogo para os pênaltis. Uribe e Bacca perderam suas cobranças, enquanto Henderson errou pela Inglaterra.

O jogo

Foi um primeiro tempo de um time só. A Inglaterra passou a maior parte dos primeiros 45 minutos no campo da Colômbia. Mais eficiente no ataque, os ingleses chegavam bem pelos lados, com Trippier apoiando de um lado e Young de outro. Além disso, o centroavante Harry Kane saiu da área e buscou o jogo, dando trabalho para a defesa na intermediária do ataque.

A melhor chance do English Team foi aos 15 minutos, Trippier cruzou pela direita. A bola passou pelo goleiro e chegou em Kane. O centroavante se esticou para cabecear a bola que já saía do outro lado e quase marcou. O primeiro chute da Colômbia em direção ao gol foi só aos 46 minutos, com Quintero. Ainda assim, não ofereceu dificuldades para Pickford.

A Colômbia teve muitas dificuldades para ligar contra-ataques na primeira etapa. A principal válvula de escape do time sul-americano, Cuadrado, estava preso na boa marcação do adversário e pouco fez. Assim como o centroavante Falcão Garcia. O primeiro tempo ainda mostrou duas equipes muito nervosas, protagonizando pequenas confusões entre os jogadores. Uma dessas confusões rendeu cartão amarelo para o colombiano Barrios por uma cabeçada em Henderson.

Segundo tempo

O segundo tempo começou da mesma forma. Presença inglesa na área e muita animosidade entre os jogadores. Aos 8 minutos, Carlos Sanchéz derrubou Kane na área durante uma cobrança de escanteio e o juiz marcou pênalti. Os colombianos reclamaram muito, mas não teve jeito. O próprio Kane cobrou, no meio do gol, e abriu o placar.

Os colombianos estavam muito irritados na partida. Reclamavam muito das decisões do árbitro. O time do técnico José Pékerman não se concentrava na partida e reclamava mais do que jogava. Os ingleses se aproveitavam disso, controlando o jogo sem correr riscos na defesa.

A Colômbia chegou com perigo, já perto do final do jogo, graças a um presente de Dier. O volante inglês errou na saída de bola e deu de presente para Bacca. Ele avançou em velocidade e abriu o jogo para Cuadrado, que entrava livre pela direita. Mas o atacante chutou a bola muito forte, por cima do gol.

Prorrogação

Nos acréscimos, já na base do desespero, a Colômbia foi para o ataque. Uribe acertou um belo chute de voleio, e obrigou Pickford a fazer uma ótima defesa e espalmar a bola para escanteio. Na cobrança, Mina, o zagueiro artilheiro da Colômbia, subiu mais alto que todo mundo, cabeceou com firmeza para para o fundo do gol. O estádio explodiu em êxtase, enquanto os ingleses mal acreditavam na vitória que escapava-lhes pelos dedos no último minuto do tempo normal.

A prorrogação mostrou um time colombiano totalmente diferente. Mais calmo, passou a ameaçar mais a Inglaterra. Era melhor na defesa e tinha mais presença ofensiva. Como o treinador inglês havia tirado seus principais articuladores de jogadas, Sterling e Dele Alli, para reforçar a defesa no final do tempo regulamentar, o time ficou sem saída de bola.

No segundo tempo da prorrogação, a Inglaterra melhorou e equilibrou as ações. Aos 6 minutos, Rose, que entrara já no tempo extra, invadiu a área pela esquerda e bateu cruzado. A bola passou rente à trave. Mas ficou só nisso e o jogo foi para os pênaltis.

Pênaltis

Depois de sofrer o jogo todo com um time que pouco respondia em campo, o torcedor colombiano se sentiu praticamente garantido nas quartas de final quando Ospina defendeu a cobrança de Henderson. Isso acabou deixando o desfecho ainda mais cruel, porque Uribe e Bacca desperdiçaram as duas últimas cobranças do time. Dier tratou de garantir o voo dos colombianos de volta para casa, ao acertar a última cobrança.

Esportes

Home > Noticias > null

No último jogo das oitavas, Inglaterra elimina Colômbia nos pênaltis

Os colombianos estavam muito irritados na partida. Reclamavam muito das decisões do árbitro

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


A classificação inglesa, que parecia tranquila até o final do segundo tempo, foi dramática. Depois de controlar o jogo durante os 90 minutos, levou um gol de empate nos acréscimos e só se garantiu nas quartas de final nos pênaltis. A classificação inglesa encerra a fase de oitavas de final da Copa do Mundo. Com a vitória, a Inglaterra enfrenta a Suécia na próxima fase.

A Colômbia fez um jogo nervoso durante o tempo normal e melhorou na prorrogação. Mas dependia muito de Falcão Garcia e Cuadrado, seus principais nomes ofensivos, para se manter na competição. Mas eles não estavam em um dia inspirado. James Rodriguez, o craque do time e responsável pela armação de jogadas, sequer foi para o banco de reservas, devido a uma lesão.



 
Foto: John Sibley/Reuters/Agência Brasil
 

Os colombianos ainda tiveram sobrevida na partida com o gol do zagueiro Mina. Com seus gols, ele já vinha salvando o time na Copa desde a fase de grupos. Mas dessa vez não foi o suficiente. O placar de 1 a 1 levou o jogo para os pênaltis. Uribe e Bacca perderam suas cobranças, enquanto Henderson errou pela Inglaterra.

O jogo

Foi um primeiro tempo de um time só. A Inglaterra passou a maior parte dos primeiros 45 minutos no campo da Colômbia. Mais eficiente no ataque, os ingleses chegavam bem pelos lados, com Trippier apoiando de um lado e Young de outro. Além disso, o centroavante Harry Kane saiu da área e buscou o jogo, dando trabalho para a defesa na intermediária do ataque.

A melhor chance do English Team foi aos 15 minutos, Trippier cruzou pela direita. A bola passou pelo goleiro e chegou em Kane. O centroavante se esticou para cabecear a bola que já saía do outro lado e quase marcou. O primeiro chute da Colômbia em direção ao gol foi só aos 46 minutos, com Quintero. Ainda assim, não ofereceu dificuldades para Pickford.

A Colômbia teve muitas dificuldades para ligar contra-ataques na primeira etapa. A principal válvula de escape do time sul-americano, Cuadrado, estava preso na boa marcação do adversário e pouco fez. Assim como o centroavante Falcão Garcia. O primeiro tempo ainda mostrou duas equipes muito nervosas, protagonizando pequenas confusões entre os jogadores. Uma dessas confusões rendeu cartão amarelo para o colombiano Barrios por uma cabeçada em Henderson.

Segundo tempo

O segundo tempo começou da mesma forma. Presença inglesa na área e muita animosidade entre os jogadores. Aos 8 minutos, Carlos Sanchéz derrubou Kane na área durante uma cobrança de escanteio e o juiz marcou pênalti. Os colombianos reclamaram muito, mas não teve jeito. O próprio Kane cobrou, no meio do gol, e abriu o placar.

Os colombianos estavam muito irritados na partida. Reclamavam muito das decisões do árbitro. O time do técnico José Pékerman não se concentrava na partida e reclamava mais do que jogava. Os ingleses se aproveitavam disso, controlando o jogo sem correr riscos na defesa.

A Colômbia chegou com perigo, já perto do final do jogo, graças a um presente de Dier. O volante inglês errou na saída de bola e deu de presente para Bacca. Ele avançou em velocidade e abriu o jogo para Cuadrado, que entrava livre pela direita. Mas o atacante chutou a bola muito forte, por cima do gol.

Prorrogação

Nos acréscimos, já na base do desespero, a Colômbia foi para o ataque. Uribe acertou um belo chute de voleio, e obrigou Pickford a fazer uma ótima defesa e espalmar a bola para escanteio. Na cobrança, Mina, o zagueiro artilheiro da Colômbia, subiu mais alto que todo mundo, cabeceou com firmeza para para o fundo do gol. O estádio explodiu em êxtase, enquanto os ingleses mal acreditavam na vitória que escapava-lhes pelos dedos no último minuto do tempo normal.

A prorrogação mostrou um time colombiano totalmente diferente. Mais calmo, passou a ameaçar mais a Inglaterra. Era melhor na defesa e tinha mais presença ofensiva. Como o treinador inglês havia tirado seus principais articuladores de jogadas, Sterling e Dele Alli, para reforçar a defesa no final do tempo regulamentar, o time ficou sem saída de bola.

No segundo tempo da prorrogação, a Inglaterra melhorou e equilibrou as ações. Aos 6 minutos, Rose, que entrara já no tempo extra, invadiu a área pela esquerda e bateu cruzado. A bola passou rente à trave. Mas ficou só nisso e o jogo foi para os pênaltis.

Pênaltis

Depois de sofrer o jogo todo com um time que pouco respondia em campo, o torcedor colombiano se sentiu praticamente garantido nas quartas de final quando Ospina defendeu a cobrança de Henderson. Isso acabou deixando o desfecho ainda mais cruel, porque Uribe e Bacca desperdiçaram as duas últimas cobranças do time. Dier tratou de garantir o voo dos colombianos de volta para casa, ao acertar a última cobrança.

TAG ColombiaCopa do Mundoeliminacao

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
VOCÊ VIU ?