Publicidade

Amazônia

Home > Noticias > null

MPF pede urgência na suspensão de mineração em florestas nacionais, no Pará

Instituição alega que a atividade está sendo liberada com base apenas em autorizações emitidas por secretarias municipais de meio ambiente

Portal Amazônia, com informações da Radioagência Nacional

jornalismo@portalamazonia.com


O Ministério Público Federal do Pará pediu à justiça que a expedição e a manutenção de licenças para mineração em florestas nacionais sejam suspensas. O pedido é de urgência e é relativo às Florestas Nacionais de Itaituba I e II, nos municípios de Itaituba e Trairão, no sudoeste do Pará.

 

O Ministério Público Federal no Estado alega que a mineração, mesmo sendo proibida nas flonas, está sendo liberada pela ANM, Agência Nacional de Mineração, com base apenas em autorizações emitidas por secretarias municipais de Meio Ambiente. O MPF também argumenta que, conforme a legislação, o licenciamento é atribuição do ICMBIO, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

 

Foto: Divulgação/ICMBio

Na ação, ajuizada no último dia 17, o Ministério Público argumenta que a garimpagem desordenada na região tem provocado o assoreamento de rios e consequentemente diminuído a quantidade e a diversidade de peixes e de outros animais e plantas aquáticos.

 

O órgão pede à justiça que proíba a ANM de deferir requerimentos de autorização de pesquisa, permissão e concessão de lavra dentro das Flonas, sob pena de multa de 500 mil reais para cada deferimento indevido. Além disso, a Agência deve negar todos os requerimentos em tramitação e suspender todas as autorizações em vigor para pesquisa mineral nas flonas, sob pena de multa de 100 mil reais para cada um dos dois casos.

 

     
Amazônia

MPF pede urgência na suspensão de mineração em florestas nacionais, no Pará

Instituição alega que a atividade está sendo liberada com base apenas em autorizações emitidas por secretarias municipais de meio ambiente

Portal Amazônia, com informações da Radioagência Nacional

jornalismo@portalamazonia.com


O Ministério Público Federal do Pará pediu à justiça que a expedição e a manutenção de licenças para mineração em florestas nacionais sejam suspensas. O pedido é de urgência e é relativo às Florestas Nacionais de Itaituba I e II, nos municípios de Itaituba e Trairão, no sudoeste do Pará.

 

O Ministério Público Federal no Estado alega que a mineração, mesmo sendo proibida nas flonas, está sendo liberada pela ANM, Agência Nacional de Mineração, com base apenas em autorizações emitidas por secretarias municipais de Meio Ambiente. O MPF também argumenta que, conforme a legislação, o licenciamento é atribuição do ICMBIO, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

 

Foto: Divulgação/ICMBio

Na ação, ajuizada no último dia 17, o Ministério Público argumenta que a garimpagem desordenada na região tem provocado o assoreamento de rios e consequentemente diminuído a quantidade e a diversidade de peixes e de outros animais e plantas aquáticos.

 

O órgão pede à justiça que proíba a ANM de deferir requerimentos de autorização de pesquisa, permissão e concessão de lavra dentro das Flonas, sob pena de multa de 500 mil reais para cada deferimento indevido. Além disso, a Agência deve negar todos os requerimentos em tramitação e suspender todas as autorizações em vigor para pesquisa mineral nas flonas, sob pena de multa de 100 mil reais para cada um dos dois casos.

 

     

TAG amazoniafloresta amazonicaflorestas nacionaisMPFexploracao mineral