Publicidade

Saúde

Mato Grosso registra 76 novos casos suspeitos de microcefalia

Dos 76 casos, 67 são de Rondonópolis, dois de Alto Garças, e os demais em Alto Araguaia, Itiquira, Jaciara, Pedra Preta, São José do Povo e Tesouro

Portal Amazônia, com informações do Governo de Mato Grosso


CUIABÁ - Mato Grosso tem 76 novos casos suspeitos de microcefalia, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde. Dos 76 casos registrados, 67 são de Rondonópolis, dois de Alto Garças, e os demais em Alto Araguaia, Itiquira, Jaciara, Pedra Preta, São José do Povo e Tesouro. Até a última sexta-feira (4) os números foram inseridos no sistema de Resposta de Evento de Saúde Pública, do Ministério da Saúde.A equipe da Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis, juntamente com a Santa Casa de Misericórdia e Maternidade, ainda trabalha na busca ativa de casos no mês de agosto. Concomitante a isto, as famílias dos bebês identificados com microcefalia estão sendo contatadas para que seja feito o acompanhamento e a reavaliação dos bebês e todos os exames sejam realizados.Em visita ao município de Rondonópolis, a equipe da Secretaria de Estado de Saúde, juntamente com técnicos da Secretaria de Saúde de Rondonópolis e do Escritório Regional de Saúde, definiu o fluxo de atendimento para as crianças identificadas com microcefalia, para as mães e também para as gestantes suspeitas de terem contraído o Zika Virus (ZIKAV) durante a gravidez. "O Estado dará todo o apoio necessário para que seja realizado o atendimento destas crianças que foram acometidas por esta doença. Também iremos conclamar a sociedade civil organizada, associações e conselhos para que se juntem a nós e a sociedade no combate ao mosquito Aedes aegypti", ressaltou o secretário de Estado de Saúde, Eduardo Bermudez.Mudança de novos casosNa última sexta-feira (4.12), o Ministério da Saúde anunciou a mudança de regras para o registro de casos de microcefalia. Os recém-nascidos que tiverem perímetro cefálico menor que 32 centímetros serão notificados. Antes, a referência adotada eram os 33 centímetros. O critério de 32 centímetros é adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Com a redução da medida, o Ministério da Saúde espera diagnosticar com mais precisão os recém-nascidos com microcefalia. Em Mato Grosso, todos os casos registrados também irão passar por reavaliação.Em Rondonópolis, foram coletados licor e soro de quatro bebês com microcefalia. O material foi encaminhado para o MT-Laboratório, em Cuiabá, que enviará as coletas para o Laboratório Evandro Chagas, onde será feita a sorologia para o Zika vírus. No município também está sendo realizado um trabalho preventivo com as gestantes e também para identificar grávidas que tiveram contato com o vírus. Já houve coleta de sangue de três gestantes para ser encaminhado ao laboratório para identificação do Zika vírus, já que as futuras mães apresentaram sintomas da doença. Elas receberão acompanhamento durante toda a gestação.

Saúde

Home > Noticias > null

Mato Grosso registra 76 novos casos suspeitos de microcefalia

Dos 76 casos, 67 são de Rondonópolis, dois de Alto Garças, e os demais em Alto Araguaia, Itiquira, Jaciara, Pedra Preta, São José do Povo e Tesouro

Portal Amazônia, com informações do Governo de Mato Grosso


CUIABÁ - Mato Grosso tem 76 novos casos suspeitos de microcefalia, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde. Dos 76 casos registrados, 67 são de Rondonópolis, dois de Alto Garças, e os demais em Alto Araguaia, Itiquira, Jaciara, Pedra Preta, São José do Povo e Tesouro. Até a última sexta-feira (4) os números foram inseridos no sistema de Resposta de Evento de Saúde Pública, do Ministério da Saúde.A equipe da Secretaria Municipal de Saúde de Rondonópolis, juntamente com a Santa Casa de Misericórdia e Maternidade, ainda trabalha na busca ativa de casos no mês de agosto. Concomitante a isto, as famílias dos bebês identificados com microcefalia estão sendo contatadas para que seja feito o acompanhamento e a reavaliação dos bebês e todos os exames sejam realizados.Em visita ao município de Rondonópolis, a equipe da Secretaria de Estado de Saúde, juntamente com técnicos da Secretaria de Saúde de Rondonópolis e do Escritório Regional de Saúde, definiu o fluxo de atendimento para as crianças identificadas com microcefalia, para as mães e também para as gestantes suspeitas de terem contraído o Zika Virus (ZIKAV) durante a gravidez. "O Estado dará todo o apoio necessário para que seja realizado o atendimento destas crianças que foram acometidas por esta doença. Também iremos conclamar a sociedade civil organizada, associações e conselhos para que se juntem a nós e a sociedade no combate ao mosquito Aedes aegypti", ressaltou o secretário de Estado de Saúde, Eduardo Bermudez.Mudança de novos casosNa última sexta-feira (4.12), o Ministério da Saúde anunciou a mudança de regras para o registro de casos de microcefalia. Os recém-nascidos que tiverem perímetro cefálico menor que 32 centímetros serão notificados. Antes, a referência adotada eram os 33 centímetros. O critério de 32 centímetros é adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Com a redução da medida, o Ministério da Saúde espera diagnosticar com mais precisão os recém-nascidos com microcefalia. Em Mato Grosso, todos os casos registrados também irão passar por reavaliação.Em Rondonópolis, foram coletados licor e soro de quatro bebês com microcefalia. O material foi encaminhado para o MT-Laboratório, em Cuiabá, que enviará as coletas para o Laboratório Evandro Chagas, onde será feita a sorologia para o Zika vírus. No município também está sendo realizado um trabalho preventivo com as gestantes e também para identificar grávidas que tiveram contato com o vírus. Já houve coleta de sangue de três gestantes para ser encaminhado ao laboratório para identificação do Zika vírus, já que as futuras mães apresentaram sintomas da doença. Elas receberão acompanhamento durante toda a gestação.

TAG