Cidades

Lewandowski mantém eleição para governador do Amazonas neste domingo

Apesar da decisão que garante a realização das eleições, os vencedores do pleito não poderão ser diplomados até o julgamento do último recurso no TSE, que cassou o mandato do ex-governador José Melo


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski decidiu nesta quinta-feira (3) manter a eleição direta para governador do Amazonas no próximo domingo (6). Na decisão, o ministro rejeitou recurso protocolado pelo ex-vice-governador Henrique Oliveira, que pretendia assumir o cargo.

Apesar da decisão que garante a realização das eleições, os vencedores do pleito não poderão ser diplomados pela Justiça Eleitoral até o julgamento do último recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassou o mandato do ex-governador José Melo por compra de votos na campanha de 2014 e determinou a realização das eleições suplementares. Com a decisão, Henrique Oliveira também foi cassado.

Segundo o TSE, a eleição suplementar vai custar R$ 18 milhões, incluído o segundo turno, caso seja necessário. Serão utilizadas cerca de 7 mil urnas eletrônicas em 1.508 locais de votação, espalhadas por 7.262 seções eleitorais. Mais de 2,3 milhões de eleitores devem ir às urnas.


Cidades

Lewandowski mantém eleição para governador do Amazonas neste domingo

Apesar da decisão que garante a realização das eleições, os vencedores do pleito não poderão ser diplomados até o julgamento do último recurso no TSE, que cassou o mandato do ex-governador José Melo

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski decidiu nesta quinta-feira (3) manter a eleição direta para governador do Amazonas no próximo domingo (6). Na decisão, o ministro rejeitou recurso protocolado pelo ex-vice-governador Henrique Oliveira, que pretendia assumir o cargo.

Apesar da decisão que garante a realização das eleições, os vencedores do pleito não poderão ser diplomados pela Justiça Eleitoral até o julgamento do último recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassou o mandato do ex-governador José Melo por compra de votos na campanha de 2014 e determinou a realização das eleições suplementares. Com a decisão, Henrique Oliveira também foi cassado.

Segundo o TSE, a eleição suplementar vai custar R$ 18 milhões, incluído o segundo turno, caso seja necessário. Serão utilizadas cerca de 7 mil urnas eletrônicas em 1.508 locais de votação, espalhadas por 7.262 seções eleitorais. Mais de 2,3 milhões de eleitores devem ir às urnas.

TAG eleicao suplementargovernadorAmazonasTSE