Cidades

Justiça determina prisão de envolvidos no crime de Pau D'Arco

Todos os 13 acusados se apresentaram espontaneamente à polícia. Oito militares e um civil se apresentaram em Redenção


Onze policiais militares e dois civis tiveram pedido de prisão temporária acolhido pela Justiça do Estado do Pará pela morte de 10 trabalhadores rurais na fazenda Santa Lúcia, no município de Pau D'arco, sudeste paraense. 

De acordo com matéria publicada no G1 Pará, a decisão, assinada pelos promotores de Justiça de Redenção Alfredo Martins de Amorim, José Alberto Grisi Dantas e Leonardo Jorge Lima Caldas, atende a pedido de prisão feito pelo Ministério Público.
 

 

 

Foto: Reprodução/Agência Pará

 

Ainda segundo o G1, todos os 13 acusados se apresentaram espontaneamente à polícia. Oito militares e um civil se apresentaram em Redenção. Os demais se apresentaram na sede da Polícia Federal em Belém. Os policiais presos são:
- Carlos Gonçalves de Souza; 
- Cristiano da Silva; 
- Douglas da Silva Luz;
- Euclides Lima Júnior; 
- Jonatas Pereira e Silva; 
- Neuily Sousa da Silva; 
- Orlando Cunha; 
- Welington Lira; 
- Rodrigo de Souza; Advone da Silva; 
- Rômulo Neves; 
- Ronaldo Silva; Ricardo Moreira.
Segundo o Ministério, em breve será oferecida à Justiça a denúncia sobre esse caso. De acordo com a lei a prisão é por 30 dias, por tratar-se de crime hediondo, podendo ser prorrogada por igual período.
Novo crime
O agricultor Rosenilton Pereira de Almeida foi morto na noite desta sexta-feira (7) no município de Rio Maria (distante a 806 quilômetros de Belém). Segundo informações da Polícia Civil, os agentes trabalham agora para encontrar uma ligação entre o assassinato de Almeida com as mortes que aconteceram na fazenda Santa Lucia. 
De acordo com a Comissão Pastoral da Terra, Almeida liderava um grupo de agricultores que ocuparam a fazenda na última quinzena. O crime aconteceu quando o agricultor estava saindo da igreja e foi abordado por dois homens.

 


Cidades

Justiça determina prisão de envolvidos no crime de Pau D'Arco

Todos os 13 acusados se apresentaram espontaneamente à polícia. Oito militares e um civil se apresentaram em Redenção

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


Onze policiais militares e dois civis tiveram pedido de prisão temporária acolhido pela Justiça do Estado do Pará pela morte de 10 trabalhadores rurais na fazenda Santa Lúcia, no município de Pau D'arco, sudeste paraense. 

De acordo com matéria publicada no G1 Pará, a decisão, assinada pelos promotores de Justiça de Redenção Alfredo Martins de Amorim, José Alberto Grisi Dantas e Leonardo Jorge Lima Caldas, atende a pedido de prisão feito pelo Ministério Público.
 

 

 

Foto: Reprodução/Agência Pará

 

Ainda segundo o G1, todos os 13 acusados se apresentaram espontaneamente à polícia. Oito militares e um civil se apresentaram em Redenção. Os demais se apresentaram na sede da Polícia Federal em Belém. Os policiais presos são:
- Carlos Gonçalves de Souza; 
- Cristiano da Silva; 
- Douglas da Silva Luz;
- Euclides Lima Júnior; 
- Jonatas Pereira e Silva; 
- Neuily Sousa da Silva; 
- Orlando Cunha; 
- Welington Lira; 
- Rodrigo de Souza; Advone da Silva; 
- Rômulo Neves; 
- Ronaldo Silva; Ricardo Moreira.
Segundo o Ministério, em breve será oferecida à Justiça a denúncia sobre esse caso. De acordo com a lei a prisão é por 30 dias, por tratar-se de crime hediondo, podendo ser prorrogada por igual período.
Novo crime
O agricultor Rosenilton Pereira de Almeida foi morto na noite desta sexta-feira (7) no município de Rio Maria (distante a 806 quilômetros de Belém). Segundo informações da Polícia Civil, os agentes trabalham agora para encontrar uma ligação entre o assassinato de Almeida com as mortes que aconteceram na fazenda Santa Lucia. 
De acordo com a Comissão Pastoral da Terra, Almeida liderava um grupo de agricultores que ocuparam a fazenda na última quinzena. O crime aconteceu quando o agricultor estava saindo da igreja e foi abordado por dois homens.

 

TAG ParaBelemPau D\'Arco