Meio Ambiente

Instituto Mamirauá registra cena rara de pumas em reserva; veja vídeo

Com hábitos solitários e noturnos, interação entre três indivíduos da espécie no período diurno não é considerada comum pelos pesquisadores

Portal Amazônia, com informações de assessoria

jornalismo@portalamazonia.com


 

Foto:Divulgação/Instituto Mamirauá

 

Armadilhas fotográficas do Grupo de Pesquisa Ecologia e Conservação de Felinos na Amazônia do Instituto Mamirauá registraram, no último mês de março, a interação entre três espécimes de suçuarana (Puma concolor), também conhecida como puma, onça-parda ou onça-vermelha, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, estado do Amazonas.

As imagens mostram dois animais caminhando pela floresta por volta do meio dia. Um deles fica para trás e, curioso, começa a interagir com as câmeras colocadas no tronco de árvores baixas na floresta. Em seguida, chega mais um animal, o terceiro exemplar da espécie.



A atividade matinal e em bando é considerada incomum por especialistas, já esses animais são conhecidos por terem hábitos solitários e atividade predominantemente noturna.

“É uma coisa que a gente escuta falar, vez por outra, na reserva. Eu me surpreendi, realmente, não imaginei que três pumas fossem andar juntas e estavam tranquilas, não era uma situação de conflito. Talvez seja o que eles chamam de vadiação, acasalamento, um comportamento reprodutivo", contou o pesquisador do Instituto Mamirauá, Diogo Gräbin.

Sobre as suçuaranas

As suçuaranas são conhecidas pela coloração uniforme do pelo, que varia do cinzento ao marrom-avermelhado.  É o segundo felino mais pesado das Américas, atrás apenas da onça-pintada, podendo pesar até 72 kg. Acredita-se que suas áreas de vida variem entre 50 e 1000 km². As femêas possuem uma gestação que pode durar entre 90 e 96 dias e geramente tem de 3 a 4 filhotes, a cada 2 anos, segundo a literatura disponível. É um animal bastante adaptável e vive em habitats variados, como as florestas tropicais, desertos e montanhas.

 


Não é considerado em risco de extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), mas, devido ao avanço da ação humana, não é mais encontrado na região leste da América do Norte e em algumas localidades das Américas Central e do Sul.

Como o trabalho é realizado?

As armadilhas fotográficas são pequenas máquinas instaladas na floresta, a um nível próximo ao solo e em mimetismo com o ambiente. Elas são equipadas com câmeras que registram imagens coloridas, em escala de cinza ou em modo infravermelho (de acordo com a luminosidade do momento) e sensores que disparam quando um corpo com a temperatura diferente do ambiente se movimenta em frente à armadilha. Geralmente os disparos são estimulados por um animal de sangue quente, um vertebrado terrestre.


Meio Ambiente

Instituto Mamirauá registra cena rara de pumas em reserva; veja vídeo

Com hábitos solitários e noturnos, interação entre três indivíduos da espécie no período diurno não é considerada comum pelos pesquisadores

Portal Amazônia, com informações de assessoria

jornalismo@portalamazonia.com


 

Foto:Divulgação/Instituto Mamirauá

 

Armadilhas fotográficas do Grupo de Pesquisa Ecologia e Conservação de Felinos na Amazônia do Instituto Mamirauá registraram, no último mês de março, a interação entre três espécimes de suçuarana (Puma concolor), também conhecida como puma, onça-parda ou onça-vermelha, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, estado do Amazonas.

As imagens mostram dois animais caminhando pela floresta por volta do meio dia. Um deles fica para trás e, curioso, começa a interagir com as câmeras colocadas no tronco de árvores baixas na floresta. Em seguida, chega mais um animal, o terceiro exemplar da espécie.



A atividade matinal e em bando é considerada incomum por especialistas, já esses animais são conhecidos por terem hábitos solitários e atividade predominantemente noturna.

“É uma coisa que a gente escuta falar, vez por outra, na reserva. Eu me surpreendi, realmente, não imaginei que três pumas fossem andar juntas e estavam tranquilas, não era uma situação de conflito. Talvez seja o que eles chamam de vadiação, acasalamento, um comportamento reprodutivo", contou o pesquisador do Instituto Mamirauá, Diogo Gräbin.

Sobre as suçuaranas

As suçuaranas são conhecidas pela coloração uniforme do pelo, que varia do cinzento ao marrom-avermelhado.  É o segundo felino mais pesado das Américas, atrás apenas da onça-pintada, podendo pesar até 72 kg. Acredita-se que suas áreas de vida variem entre 50 e 1000 km². As femêas possuem uma gestação que pode durar entre 90 e 96 dias e geramente tem de 3 a 4 filhotes, a cada 2 anos, segundo a literatura disponível. É um animal bastante adaptável e vive em habitats variados, como as florestas tropicais, desertos e montanhas.

 


Não é considerado em risco de extinção pela União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), mas, devido ao avanço da ação humana, não é mais encontrado na região leste da América do Norte e em algumas localidades das Américas Central e do Sul.

Como o trabalho é realizado?

As armadilhas fotográficas são pequenas máquinas instaladas na floresta, a um nível próximo ao solo e em mimetismo com o ambiente. Elas são equipadas com câmeras que registram imagens coloridas, em escala de cinza ou em modo infravermelho (de acordo com a luminosidade do momento) e sensores que disparam quando um corpo com a temperatura diferente do ambiente se movimenta em frente à armadilha. Geralmente os disparos são estimulados por um animal de sangue quente, um vertebrado terrestre.

TAG Instituto MamirauamamiferospumafelinoAnamã