Publicidade

Economia

IBGE: Safra de grãos 2015 na Região Norte chegará a 7,2 milhões de toneladas

Estimativa do IBGE aponta que aumento de 21,5% na safra do Norte lidera expansão do setor, seguido pelo Nordeste e Sul, com 9,6% cada

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil


MANAUS - A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas da Região Norte deve fechar 2015 com aumento de 21,5% em relação à safra de 2014. A previsão é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que estima um volume total de 7,2 milhões de toneladas em grãos até dezembro. Apesar de liderar a porcentagem de aumento na produção de grãos no país, a Região Norte ainda tem a menor participação no montante total brasileiro. Com estimativa 210,4 milhões de toneladas este ano, a safra 2015 brasileira deve ter alta de 8,8%. Destes, o Centro-Oeste representa 89,6 milhões de toneladas; Sul, 77,6 milhões de toneladas; Sudeste, 18,8 milhões de toneladas; e Nordeste, 17,3 milhões de toneladas. Comparativamente à safra passada, o aumento de 21,5% na safra do Norte lidera a expansão do setor, seguido pelo Nordeste e Sul, com 9,6% cada um, 8% na Região Centro-Oeste e 4,7% no Sudeste. Mato Grosso segue como maior produtor nacional de grãos, com participação de 25% no saldo total brasileiro.Previsão nacionalA previsão do IBGE para o aumento na safra brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas acrescenta 396,2 mil toneladas à estimativa do órgão feita em agosto, o que representa aumento de 0,2% em relação ao cálculo anterior.A estimativa do IBGE da área a ser colhida abrange 57,7 milhões de hectares, acréscimo de 2% em comparação à área colhida em 2014 (56,5 milhões de hectares). O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos da safra: somados representam 92,5% da estimativa da produção, respondendo por 86,4% da área a ser colhida. Em relação ao ano anterior, houve acréscimos de 6% na área da soja, de 0,9% na área do milho e redução de 5,5% na área de arroz. No que se refere à produção, houve acréscimos de 3,4% para o arroz, 12,2% para a soja e de 7,3% para o milho. 

Economia

Home > Noticias > null

IBGE: Safra de grãos 2015 na Região Norte chegará a 7,2 milhões de toneladas

Estimativa do IBGE aponta que aumento de 21,5% na safra do Norte lidera expansão do setor, seguido pelo Nordeste e Sul, com 9,6% cada

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil


MANAUS - A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas da Região Norte deve fechar 2015 com aumento de 21,5% em relação à safra de 2014. A previsão é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que estima um volume total de 7,2 milhões de toneladas em grãos até dezembro. Apesar de liderar a porcentagem de aumento na produção de grãos no país, a Região Norte ainda tem a menor participação no montante total brasileiro. Com estimativa 210,4 milhões de toneladas este ano, a safra 2015 brasileira deve ter alta de 8,8%. Destes, o Centro-Oeste representa 89,6 milhões de toneladas; Sul, 77,6 milhões de toneladas; Sudeste, 18,8 milhões de toneladas; e Nordeste, 17,3 milhões de toneladas. Comparativamente à safra passada, o aumento de 21,5% na safra do Norte lidera a expansão do setor, seguido pelo Nordeste e Sul, com 9,6% cada um, 8% na Região Centro-Oeste e 4,7% no Sudeste. Mato Grosso segue como maior produtor nacional de grãos, com participação de 25% no saldo total brasileiro.Previsão nacionalA previsão do IBGE para o aumento na safra brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas acrescenta 396,2 mil toneladas à estimativa do órgão feita em agosto, o que representa aumento de 0,2% em relação ao cálculo anterior.A estimativa do IBGE da área a ser colhida abrange 57,7 milhões de hectares, acréscimo de 2% em comparação à área colhida em 2014 (56,5 milhões de hectares). O arroz, o milho e a soja são os três principais produtos da safra: somados representam 92,5% da estimativa da produção, respondendo por 86,4% da área a ser colhida. Em relação ao ano anterior, houve acréscimos de 6% na área da soja, de 0,9% na área do milho e redução de 5,5% na área de arroz. No que se refere à produção, houve acréscimos de 3,4% para o arroz, 12,2% para a soja e de 7,3% para o milho. 

TAG