Publicidade

Amazônia

Home > Noticias > null

Grupamento Aéreo explica peculiaridades para sobrevoo na região amazônica; confira

Uma das peculiaridades citadas foi o sobrevoo nos céus a longas distâncias, sobre áreas de florestas e rios, que oferece poucas opções para pouso

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará

jornalismo@portalamazonia.com


As peculiaridades de sobrevoar os céus da Amazônia foram expostas por integrantes do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) durante a Semana Safety 2019, o Encontro de Segurança Operacional, que é realizado pela Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC). O objetivo do evento é abordar assuntos relacionados à segurança operacional aérea, além de alcançar o maior número de regulados que possam refletir e discutir sobre medidas de segurança. O evento que acontece no Hotel Bristol, em Belém, teve início no último dia 28 e se encerrara nesta sexta-feira (31).

 

A importância em abordar as questões aéreas no contexto paraense se dá devido às particularidades do ambiente amazônico, de acordo com delegado Nelson Sobreira, Comandante de Helicóptero e Coordenador de Segurança GRAESP, que é vinculado à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup).

 

Foto: Divulgação/Segup

 

“Podemos citar entre as peculiaridades de sobrevoar os céus no Pará as longas distâncias, questões relacionadas a poucos pontos de abastecimento, sobrevoo em áreas de florestas e rios, o que nos dá poucas opções para pouso. Além disso, as condições do inverno amazônico, onde temos seis meses de mal tempo e chuvas intensas, mas nada que com um bom planejamento o nosso grupamento não consiga realizar as missões”, declarou.

 

Ainda segundo o delegado, a atuação do Graesp não se limita às questões de segurança pública, mas é também um fundamental vetor de prestação de serviços necessários ao desenvolvimento social. “Encaramos o nosso grupamento aéreo como um verdadeiro fator de integração do Estado”, reiterou o Delegado.

 

Durante a exposição, foi informado ainda como ocorre o brieffing de verificação de condições, comunicação e trabalho em equipe, perigo da fauna e obstáculos físicos, meteorologia, estágios de pousos, bem como a segurança de pessoas.

 

 

Em 2019 já foram realizadas duas Semanas Safety no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Ainda este ano estão previstas mais quatro edições: no mês de junho em São Paulo, em agosto na cidade de Campo Grande, em setembro no Recife e no mês de outubro em Porto Alegre.

 

Foto: Divulgação/Ibama

 

 

     
Amazônia

Grupamento Aéreo explica peculiaridades para sobrevoo na região amazônica; confira

Uma das peculiaridades citadas foi o sobrevoo nos céus a longas distâncias, sobre áreas de florestas e rios, que oferece poucas opções para pouso

Portal Amazônia, com informações da Agência Pará

jornalismo@portalamazonia.com


As peculiaridades de sobrevoar os céus da Amazônia foram expostas por integrantes do Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp) durante a Semana Safety 2019, o Encontro de Segurança Operacional, que é realizado pela Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC). O objetivo do evento é abordar assuntos relacionados à segurança operacional aérea, além de alcançar o maior número de regulados que possam refletir e discutir sobre medidas de segurança. O evento que acontece no Hotel Bristol, em Belém, teve início no último dia 28 e se encerrara nesta sexta-feira (31).

 

A importância em abordar as questões aéreas no contexto paraense se dá devido às particularidades do ambiente amazônico, de acordo com delegado Nelson Sobreira, Comandante de Helicóptero e Coordenador de Segurança GRAESP, que é vinculado à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Segup).

 

Foto: Divulgação/Segup

 

“Podemos citar entre as peculiaridades de sobrevoar os céus no Pará as longas distâncias, questões relacionadas a poucos pontos de abastecimento, sobrevoo em áreas de florestas e rios, o que nos dá poucas opções para pouso. Além disso, as condições do inverno amazônico, onde temos seis meses de mal tempo e chuvas intensas, mas nada que com um bom planejamento o nosso grupamento não consiga realizar as missões”, declarou.

 

Ainda segundo o delegado, a atuação do Graesp não se limita às questões de segurança pública, mas é também um fundamental vetor de prestação de serviços necessários ao desenvolvimento social. “Encaramos o nosso grupamento aéreo como um verdadeiro fator de integração do Estado”, reiterou o Delegado.

 

Durante a exposição, foi informado ainda como ocorre o brieffing de verificação de condições, comunicação e trabalho em equipe, perigo da fauna e obstáculos físicos, meteorologia, estágios de pousos, bem como a segurança de pessoas.

 

 

Em 2019 já foram realizadas duas Semanas Safety no Rio de Janeiro e em Belo Horizonte. Ainda este ano estão previstas mais quatro edições: no mês de junho em São Paulo, em agosto na cidade de Campo Grande, em setembro no Recife e no mês de outubro em Porto Alegre.

 

Foto: Divulgação/Ibama

 

 

     

TAG amazoniacontrolador de voosobrevoo na amazoniavoar na amazonia