Publicidade

Política

Home > Noticias > null

Funai deixa Ministério da Justiça e vai integrar o das Mulheres, Família e Direitos Humanos

O anúncio foi feito pelo Chefe da Casa Civil do próximo Governo, Onyx Lorenzoni

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


A assessora do senador Magno Malta, pastora Damaris Alves, foi confirmada, nesta quinta-feira (06), como a ministra no governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Chefe da pasta que ficará responsável pela Funai, Damares Alves, diz questionar a demarcação de algumas áreas.   
   
Foto: Divulgação
 
O anúncio desta quinta-feira põe fim às especulações sobre o destino do órgão responsável pela política indigenista do país. A nova ministra dos Direitos Humanos, Damaris Alves, comentou sobre as declarações de Bolsonaro de que seu governo não demarcará novas terras e afirmou que ela própria discorda de algumas áreas demarcadas.

Pela manhã, cerca de 80 indígenas realizaram um ato no Centro Cultural do Banco do Brasil, em Brasília. É lá que Jair Bolsonaro e a equipe de transição do governo federal estão trabalhando. O grupo protocolou uma a carta da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) com reivindicações ao presidente eleito.

O documento reivindica o respeito a seus direitos como povos originários, estabelecidos na Constituição Federa, e a continuidade da demarcação de terras indígenas.  
   
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
 
A nova ministra dos Direitos Humanos disse que vai receber os grupos indígenas que a procurarem. Sobre a carta da Apib, informou que ainda não teve acesso ao teor do documento.
Política

Funai deixa Ministério da Justiça e vai integrar o das Mulheres, Família e Direitos Humanos

O anúncio foi feito pelo Chefe da Casa Civil do próximo Governo, Onyx Lorenzoni

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


A assessora do senador Magno Malta, pastora Damaris Alves, foi confirmada, nesta quinta-feira (06), como a ministra no governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Chefe da pasta que ficará responsável pela Funai, Damares Alves, diz questionar a demarcação de algumas áreas.   
   
Foto: Divulgação
 
O anúncio desta quinta-feira põe fim às especulações sobre o destino do órgão responsável pela política indigenista do país. A nova ministra dos Direitos Humanos, Damaris Alves, comentou sobre as declarações de Bolsonaro de que seu governo não demarcará novas terras e afirmou que ela própria discorda de algumas áreas demarcadas.

Pela manhã, cerca de 80 indígenas realizaram um ato no Centro Cultural do Banco do Brasil, em Brasília. É lá que Jair Bolsonaro e a equipe de transição do governo federal estão trabalhando. O grupo protocolou uma a carta da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) com reivindicações ao presidente eleito.

O documento reivindica o respeito a seus direitos como povos originários, estabelecidos na Constituição Federa, e a continuidade da demarcação de terras indígenas.  
   
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
 
A nova ministra dos Direitos Humanos disse que vai receber os grupos indígenas que a procurarem. Sobre a carta da Apib, informou que ainda não teve acesso ao teor do documento.

TAG funaiindigenasministerioDireitos HumanosDamaris Alves