Publicidade

Cidades

Fiscalização apreende 1,5 tonelada de carne imprópria para consumo humano, em Itacoatiara

A ação entre a Polícia Civil, Adaf e FVS apreenderam na última quinta-feira (4), 1,5 tonelada de carne clandestina e imprópria para consumo humano.


As equipes da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) e Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Itacoatiara, apreenderam no lugar, ao longo da última quinta-feira (4), durante ação deflagrada em parceria com fiscais da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) e Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), 1,5 tonelada de carne imprópria para consumo humano, além de 356 litros de mel em situação irregular.

De acordo com o delegado Paulo Barros, a operação recebeu o nome de “Pecado da Carne” e teve por objetivo coibir o abate irregular de gado e a consequente venda de carne clandestina naquele município, distante 176 quilômetros em linha reta da capital. Ao longo de quinta-feira (4), as equipes percorreram as Vilas de Engenho, Lindoia, Novo Remanso e Paraná da Eva, comunidades localizadas na zona rural de Itacoatiara.


Foto: Divulgação/Polícia Civil


Em um açougue na Vila de Novo Remanso, onde estavam expostas para venda carnes clandestinas, os servidores apreenderam uma tonelada de frango e derivados, meia tonelada de carne bovina e 356 litros de mel. A informação foi confirmada pela gerente de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Adaf, Juliana Prado.

“O abate clandestino estava funcionando sem o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e sem as devidas condições higiênico-sanitárias previstas na legislação de inspeção de origem animal. Foram lavrados os termos de fiscalização, auto de infração, auto de apreensão e destruição. Os donos do local têm um prazo de 15 dias pra recorrer da decisão”, explicou Prado.

Conforme o delegado Paulo Barros, a operação teve caráter educativo, alertando produtores, comerciantes e a população em geral quanto aos perigos que a carne clandestina traz para a vida humana, uma vez que pode transmitir muitas doenças, como tuberculose, brucelose e toxoplasmose, que podem levar à morte.

Paulo Barros fez um alerta à população de que a venda de carne clandestina é crime e um atentado à saúde pública. “Denúncias podem ser feitas à FVS, pelo número (92) 3214-8550”, finalizou.

Cidades

Home > Noticias > null

Fiscalização apreende 1,5 tonelada de carne imprópria para consumo humano, em Itacoatiara

A ação entre a Polícia Civil, Adaf e FVS apreenderam na última quinta-feira (4), 1,5 tonelada de carne clandestina e imprópria para consumo humano.

Redação

jornalismo@portalamazonia.com


As equipes da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) e Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Itacoatiara, apreenderam no lugar, ao longo da última quinta-feira (4), durante ação deflagrada em parceria com fiscais da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) e Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), 1,5 tonelada de carne imprópria para consumo humano, além de 356 litros de mel em situação irregular.

De acordo com o delegado Paulo Barros, a operação recebeu o nome de “Pecado da Carne” e teve por objetivo coibir o abate irregular de gado e a consequente venda de carne clandestina naquele município, distante 176 quilômetros em linha reta da capital. Ao longo de quinta-feira (4), as equipes percorreram as Vilas de Engenho, Lindoia, Novo Remanso e Paraná da Eva, comunidades localizadas na zona rural de Itacoatiara.


Foto: Divulgação/Polícia Civil


Em um açougue na Vila de Novo Remanso, onde estavam expostas para venda carnes clandestinas, os servidores apreenderam uma tonelada de frango e derivados, meia tonelada de carne bovina e 356 litros de mel. A informação foi confirmada pela gerente de Inspeção de Produtos de Origem Animal da Adaf, Juliana Prado.

“O abate clandestino estava funcionando sem o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) e sem as devidas condições higiênico-sanitárias previstas na legislação de inspeção de origem animal. Foram lavrados os termos de fiscalização, auto de infração, auto de apreensão e destruição. Os donos do local têm um prazo de 15 dias pra recorrer da decisão”, explicou Prado.

Conforme o delegado Paulo Barros, a operação teve caráter educativo, alertando produtores, comerciantes e a população em geral quanto aos perigos que a carne clandestina traz para a vida humana, uma vez que pode transmitir muitas doenças, como tuberculose, brucelose e toxoplasmose, que podem levar à morte.

Paulo Barros fez um alerta à população de que a venda de carne clandestina é crime e um atentado à saúde pública. “Denúncias podem ser feitas à FVS, pelo número (92) 3214-8550”, finalizou.

TAG operacao pecado carnepolicia civilfiscalizacaoitacoatiaraamazonas