Saúde

Erradicada em 2006, Doença de Chagas reaparece no Pará

Foram detectados casos da doença em Acará, no nordeste do Pará, devido ao consumo de açaí contaminado por fezes do barbeiro

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


No mês de agosto, o Instituto Evandro Chagas confirmou dois surtos de Doença de Chagas em fase aguda, no município do Acará, no Pará. O primeiro deles foi encaminhado ao Instituto em julho; e o segundo foi descoberto em agosto.

Já foram confirmados 20 casos de infecção e pelo menos um óbito de paciente idoso. Os pesquisadores acreditam que nos dois surtos a doença foi transmitida para famílias por via oral, pela ingestão de açaí contaminado com fezes do parasita causador da Doença de Chagas: o barbeiro (Rhodnius prolixus).

Foto: Reprodução/TV Brasil
Em entrevista à Agência Brasil, a cardiologista do Hospital Universitário de Brasília (HUB), Dra. Fernanda Weiler, sobre os casos da doença de chagas no Pará.

"É uma tristeza isso estar acontecendo. Em 2006, o Brasil chegou a receber um certificado de erradicação de transmissão da doença, mas daquela forma de transmissão tradicional em que o barbeiro se escondia nas paredes das casas antigas e durante a noite picava a pessoa, ao picar defecava perto da pele, a pessoa coçava a região e o tripanossoma entrava na corrente sanguínea e causava a doença de chagas", explica a cardiologista.

A médica explica que os novos casos da doença que estão surgindo são por contaminação indireta, ou seja, pela ingestão do barbeiro, que é triturado junto com os alimentos. Essa forma de contágio costuma ocorrer com a ingestão do açaí e do caldo de cana.

“É uma preocupação nova. A gente vai ter que melhorar nossa vigilância sanitária, vai ter que tomar algumas providências para que essa transmissão seja interrompida porque a doença de chagas é uma doença crônica, então, às vezes não é detectada logo no contágio. Ás vezes demora 20 anos para surgir o primeiro sintoma. Essa contaminação pode estar em maior escala do a gente está percebendo”, complementa.
Foto: Divulgação/Instituto Peabiru
A doença de Chagas é uma doença infecciosa, causada por um parasita e tem várias formas de transmissão. A transmissão oral é atualmente considerada a mais comum. A Vigilância Sanitária recomenda cuidado no consumo de alimentos preparados em condições precárias.

Os principais sintomas da Doença de Chagas são inchaço e febre prolongada. Também são comuns dores no corpo, na cabeça, falta de ar, inchaço ao redor dos olhos ou irritação da pele. A doença é crônica, mas existe tratamento na rede pública e ele pode evitar a evolução para insuficiência cardíaca.

   

Saúde

Home > Noticias > null

Erradicada em 2006, Doença de Chagas reaparece no Pará

Foram detectados casos da doença em Acará, no nordeste do Pará, devido ao consumo de açaí contaminado por fezes do barbeiro

Portal Amazônia, com informações da Agência Brasil

jornalismo@portalamazonia.com


No mês de agosto, o Instituto Evandro Chagas confirmou dois surtos de Doença de Chagas em fase aguda, no município do Acará, no Pará. O primeiro deles foi encaminhado ao Instituto em julho; e o segundo foi descoberto em agosto.

Já foram confirmados 20 casos de infecção e pelo menos um óbito de paciente idoso. Os pesquisadores acreditam que nos dois surtos a doença foi transmitida para famílias por via oral, pela ingestão de açaí contaminado com fezes do parasita causador da Doença de Chagas: o barbeiro (Rhodnius prolixus).

Foto: Reprodução/TV Brasil
Em entrevista à Agência Brasil, a cardiologista do Hospital Universitário de Brasília (HUB), Dra. Fernanda Weiler, sobre os casos da doença de chagas no Pará.

"É uma tristeza isso estar acontecendo. Em 2006, o Brasil chegou a receber um certificado de erradicação de transmissão da doença, mas daquela forma de transmissão tradicional em que o barbeiro se escondia nas paredes das casas antigas e durante a noite picava a pessoa, ao picar defecava perto da pele, a pessoa coçava a região e o tripanossoma entrava na corrente sanguínea e causava a doença de chagas", explica a cardiologista.

A médica explica que os novos casos da doença que estão surgindo são por contaminação indireta, ou seja, pela ingestão do barbeiro, que é triturado junto com os alimentos. Essa forma de contágio costuma ocorrer com a ingestão do açaí e do caldo de cana.

“É uma preocupação nova. A gente vai ter que melhorar nossa vigilância sanitária, vai ter que tomar algumas providências para que essa transmissão seja interrompida porque a doença de chagas é uma doença crônica, então, às vezes não é detectada logo no contágio. Ás vezes demora 20 anos para surgir o primeiro sintoma. Essa contaminação pode estar em maior escala do a gente está percebendo”, complementa.
Foto: Divulgação/Instituto Peabiru
A doença de Chagas é uma doença infecciosa, causada por um parasita e tem várias formas de transmissão. A transmissão oral é atualmente considerada a mais comum. A Vigilância Sanitária recomenda cuidado no consumo de alimentos preparados em condições precárias.

Os principais sintomas da Doença de Chagas são inchaço e febre prolongada. Também são comuns dores no corpo, na cabeça, falta de ar, inchaço ao redor dos olhos ou irritação da pele. A doença é crônica, mas existe tratamento na rede pública e ele pode evitar a evolução para insuficiência cardíaca.

   

TAG doenca de chagaspara