Publicidade

Internacional

Home > Noticias > null

Epidemia de Zika: Colômbia deve registrar 600 mil casos da doença

Governo pediu que população ajude na disseminação de informações para prevenir a doença

Portal Amazônia, com informações do Governo da Colômbia



Mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika. Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

MANAUS – O vírus Zika também é motivo de preocupação na Amazônia Internacional. A Colômbia tem registros da doença em 175 cidades. O Governo já admite a epidemia, que deve chegar a 600 mil casos. Estes por sua vez,  podem provocar outros 500 casos  de microcefalia e síndrome de Guillain-Barré.
"As estimativas são que teremos na Colômbia 600 mil casos de Zika no transcurso desta epidemia. Destes, calcula-se que as consequências serão 500 casos de recém-nascidos com microcefalia e 500 casos de pessoas com Guillain-Barré", disse o Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos em uma reunião do conselho de ministros.
Ele determinou que nesta terça-feira (26), o ministro da saúde, Alejandro Gaviria, e toda a sua equipe, percorram os departamentos do País realizando um trabalho de prevenção e controle da doença. “[A epidemia de Zika] está apenas começando e vai se estender ao longo do ano. Já há casos confirmados em 175 municípios da Colômbia, e o foco deve ser em 60, particularmente de locais quentes”, disse Santos.
O Presidente também recomendou que mulheres grávidas não viagem para áreas afetadas pela doença. Ele também pediu a todos os colombianos que difundam informações referentes às medidas de prevenção à doença. “Controlar a epidemia não é apenas responsabilidade do Governo”, destacou.
Internacional

Epidemia de Zika: Colômbia deve registrar 600 mil casos da doença

Governo pediu que população ajude na disseminação de informações para prevenir a doença

Portal Amazônia, com informações do Governo da Colômbia



Mosquito Aedes aegypti, transmissor do Zika. Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

MANAUS – O vírus Zika também é motivo de preocupação na Amazônia Internacional. A Colômbia tem registros da doença em 175 cidades. O Governo já admite a epidemia, que deve chegar a 600 mil casos. Estes por sua vez,  podem provocar outros 500 casos  de microcefalia e síndrome de Guillain-Barré.
"As estimativas são que teremos na Colômbia 600 mil casos de Zika no transcurso desta epidemia. Destes, calcula-se que as consequências serão 500 casos de recém-nascidos com microcefalia e 500 casos de pessoas com Guillain-Barré", disse o Presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos em uma reunião do conselho de ministros.
Ele determinou que nesta terça-feira (26), o ministro da saúde, Alejandro Gaviria, e toda a sua equipe, percorram os departamentos do País realizando um trabalho de prevenção e controle da doença. “[A epidemia de Zika] está apenas começando e vai se estender ao longo do ano. Já há casos confirmados em 175 municípios da Colômbia, e o foco deve ser em 60, particularmente de locais quentes”, disse Santos.
O Presidente também recomendou que mulheres grávidas não viagem para áreas afetadas pela doença. Ele também pediu a todos os colombianos que difundam informações referentes às medidas de prevenção à doença. “Controlar a epidemia não é apenas responsabilidade do Governo”, destacou.

TAG